Espanha vence Portugal à beira do fim

Espanha 1-0 Portugal
A determinação da guarda-redes Bárbara Santos foi desfeita a três minutos do fim, quando a suplente Raquel Pinel apurou a Espanha para a final.

As jogadoras da Espanha festejam o golo marcado por Raquel Pinel
As jogadoras da Espanha festejam o golo marcado por Raquel Pinel ©Sportsfile

A suplente Raquel Pinel marcou a três minutos do fim e permitiu à Espanha finalmente uma forma de quebrar a estóica defesa de Portugal, apurando-se assim para a final da edição 2012 do Campeonato da Europa Feminino de Sub-19.

Um encontro tenso no calor abrasador de Antália parecia destinado ao prolongamento, mas Amanda Sampedro e Alexia Putellas esgotaram a sua energia de forma devastadora e construíram a jogada que Pinel finalizou à boca da baliza. Esse lance colocou ponto final na determinação impressionante do rival ibérico, particularmente da guarda-redes Bárbara Santos, autora de exibição brilhante a manter a sua equipa na luta pelo apuramento debaixo de pressão constante. No entanto, a Espanha quebrou o impasse nos instantes finais.

Vizinhos geográficos, estas equipas estavam em pólos opostos no que à experiência diz respeito nesta categoria – a fase final foi a primeira de Portugal, enquanto a Espanha participava na oitava –, mas nenhuma ganhou ascendente durante a primeira parte. A "rojita", tal como esperado, assumiu grande parte das despesas do jogo, primeiro movimentando a bola de um flanco para o outro, depois a rodar as jogadoras de posição na tentativa de encontrar uma brecha na bem organizada muralha defensiva das lusitanas.

O plano quase deu certo aos 18 minutos, quando a extremo-direito Sampedro apareceu na esquerda após corte deficiente de Vanessa Rodrigues. A capitã espanhola avançou alguns metros antes de desferir um remate que escapou a Santos, mas não ao poste direito da sua baliza. Apesar da maior posse de bola da Espanha, a guarda-redes lusa só voltaria a fazer uma defesa a dez minutos do intervalo, ao desviar um remate forte de Nagore Calderón.

O esforço ofensivo de Portugal era mais directo e esteve perto de produzir efeito, ainda que de forma pouco provável, à beira do intervalo, quando um remate de longe da diligente Mélissa Gomes quase escapou das mãos de Dolores Gallardo. Estava feito o aviso para a Espanha, ainda que tivesse iniciado a segunda parte a todo o gás, só que Bárbara Santos, a última linha de defesa de Portugal, aguentou firme com defesas notáveis, a remates de Virginia Torrecilla (três vezes) e Putellas (duas).

A intensidade diminuiu, tal como a energia da Espanha, e Portugal pressionou e só não marcou a 11 minutos do fim, no seguimento de um canto, porque o remate de Mónica Mendes foi afastado por Ivana Andrés quando a bola se encaminhada para a baliza após defesa de Gallardo. Mas a vitória viria a sorrir à Espanha e nem mesmo a guarda-redes portuguesa conseguiu fazer alguma coisa quando Putellas serviu Pinel em bandeja de ouro e esta facturou na pequena área. A Suécia, adversária na final de domingo, será igualmente complicada de bater.

Conteúdos relacionados

Topo