Vilda satisfeito e Paisana orgulhoso de Portugal

Enquanto Ángel Vilda, do lado da Espanha, falou no que é preciso melhorar para a final de sábado, José Paisana destacou o imenso orgulho na selecção de Portugal.

A desilusão de Fátima Pinto no final da partida
A desilusão de Fátima Pinto no final da partida ©Sportsfile

O seleccionador da Espanha, Ángel Vilda, não teve dúvidas ao afirmar que a sua equipa mereceu estar na final do Campeonato da Europa de Sub-19, mas deixou uma palavra de apreço ao "grande desempenho de Portugal". José Paisana foi ao encontro desse pensamento e sai de cabeça bem levantada, depois de um torneio inesquecível que poderia ter sido ainda melhor até a altura em que Raquel Pinel marcou aos 87 minutos.

Ángel Vilda, seleccionador da Espanha
Sim, duvidei da vitória. A Espanha dominou toda a partida, criou muitas oportunidades, mas Portugal teve algumas perto do final e se uma tem entrado, as coisas seriam diferentes. As raparigas baixaram um pouco o ritmo perto do fim, mas era esperado, depois da pressão a que submetemos Portugal durante o jogo, mas não penso que tenha sido cansaço. A Espanha mereceu, depois de tanto domínio.

Esperamos agora uma final muito disputada. O jogo que realizámos na fase de grupos foi muito competitivo, apesar de o resultado poder ter sido muito bem um 1-0 para a Espanha. A final deverá ser igualmente muito renhida. Depois do encontro de hoje, precisamos de melhorar a finalização. Normalmente somos muito eficazes, mas nesta partida não o fomos. Muito graças ao grande desempenho de Portugal, que fez um excelente torneio.

José Paisana, seleccionador de Portugal
Queremos dar os parabéns à Espanha pela vitória. Como é óbvio estamos muito tristes. O nosso trabalho, empenho e organização mereciam mais. Demonstrámos a nossa habilidade e qualidade. Estou orgulhoso das minhas jogadoras. Foram fantásticas e fizeram o que lhes pedi ao mínimo detalhe. Estivemos muito próximos de atingir o nosso objectivo.

Tínhamos uma estratégia para o encontro, de modo a pressionar a Espanha, e sabíamos o que queríamos do primeiro ao último minuto. Sentimos que se conseguíssemos manter o jogo como estava, as oportunidades iriam surgir, pois elas iriam ficar cansadas. Como equipa foram fantásticas e a nossa guarda-redes mostrou aqui toda a sua qualidade – ela terá sido, provavelmente, a melhor jogadora em campo.

A equipa é nova e tem muito futuro. Sempre dissemos que queríamos mostrar a nossa qualidade cada vez que entrássemos em campo. Conseguimos isso e chegar à meia-final onde encontrámos uma equipa cheia de qualidade e experiência. Espero que esta presença, a nossa primeira numa fase final, ajude o futebol feminino em Portugal a desenvolver-se.