O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Escócia corre por fora num Grupo B de "puros-sangue"

Rotulados como "equipa surpresa", os escoceses são respeitados num Grupo B do qual constam também os antigos vencedores Alemanha, Portugal e Suíça. Emílio Peixe pede "paixão".

Scot Gemmill, Christian Wück, Bertrand Choffat e Emílio Peixe com o troféu
Scot Gemmill, Christian Wück, Bertrand Choffat e Emílio Peixe com o troféu ©Domenic Aquilina

A Escócia, que disputa o Campeonato da Europa de Sub-17 apenas pela segunda vez, foi destacada como potencial surpresa no Grupo B.

A anterior experiência da Escócia nesta competição foi em 2008, quando perdeu os três jogos da fase de grupos. Scot Gemmill espera que a actual experiência seja mais feliz para uma equipa que, a caminho de Malta, ganhou cinco dos seis jogos de qualificação.

"A chave está em alcançar o equilíbrio entre não estarmos demasiado confiantes e estarmos crentes", disse o antigo médio internacional. "Os jogadores sabem que vamos ter rivais duros. Mas quer joguemos três, quatro ou cinco jogos em Malta, o desenvolvimento dos jogadores e da equipa é a razão pela qual aqui estamos. Se se comportarem como futebolistas, vou tratá-los como futebolistas."

O seleccionador da Alemanha, Christian Wück, rotulou a equipa orientada por Gemmill como "potencial surpresa, com uma ambição interminável", mas tem primeiro de centrar atenções na Suíça, com a qual a sua equipa vai medir forças na vizinha ilha de Gozo, sexta-feira de manhã. Para Wück, esta fase do torneio é essencial. "Penso que é um grupo muito equilibrado, no qual todas as equipas podem vencer os adversários", disse. "É um momento de coroação para os jogadores nesta fase das suas carreiras."

Entretanto, o técnico-adjunto Bertrand Choffat sabe que a Suíça não pode ser subestimada, tendo eliminado já a Espanha, duas vezes vencedora do troféu, e a Rússia, que detém o título, na ronda de elite. "É um grupo muito difícil e nós estamos a correr por fora, mas não é por acaso que se elimina a Espanha", disse. "Estamos aqui para desempenhar o nosso papel, mas sem nos colocarmos demasiada pressão. A Escócia também não pode ser subestimada."

Emílio Peixe, seleccionador de Portugal, espera uma equipa atenta a isso mesmo. Vencedores em 2003, os portugueses querem aproveitar ao máximo o tempo passado em Malta. "Vamos tentar usufruir do facto de estarmos aqui, fazer o nosso melhor e esperar que a nossa equipa e os jogadores possam causar boa impressão", disse Peixe. "Queremos jogar com paixão e alegria, ser bem organizados e manter o equilíbrio ao longo dos diversos períodos do jogo. O principal objectivo é mostrar o quão positivo, excitante e bem organizado pode ser o nosso futebol de formação."

Calendário completo dos jogos e transmissões televisivas disponível aqui.