O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Portugal demasiado forte

Portugal 3-0 Suíça
Ricardo Esgaio marcou antes e depois de Mateus Fonseca, num tranquilo triunfo de Portugal no Grupo A.

Portugal demasiado forte
Portugal demasiado forte ©UEFA.com

Dois golos de Ricardo Esgaio foram determinantes para que Portugal tivesse um começo vitorioso na sua primeira fase final do Campeonato da Europa de Sub-17 em seis anos.

Por duas vezes Esgaio marcou após excelentes arrancadas do seu companheiro de equipa no Sporting, Bruma, o segundo dos quais pouco depois de Mateus Fonseca ter feito o 2-0, instantes após o reatamento. A Suíça discutia o jogo com algumas dificuldades, e precisará de dar um novo alento às suas esperanças no Grupo A, na sexta-feira, em Vaduz, frente à Espanha, no mesmo dia em que Portugal defronta a França.

A Suíça apresentara-se de início sem o dianteiro Andelko Savic, o médio Darko Jevtic e e o capitão Sead Hajrovic, todos devido a lesão, e ainda sem o suspenso defesa Arlind Ajeti e o melhor marcador Stjepan Vuleta, mas poucos segundos depois do início da partida já Mike Kleiber estava perto de marcar. Contudo, Portugal rapidamente se viu no ataque e um cruzamento perigoso de João Carlos foi desviado para o poste por Betinho, enquanto, na outra área, André Pereira sacudiu por cima da trave um cabeceamento de Aleksandar Zarkovic.

Ambas as equipas estavam balanceadas no ataque e, após a Suíça ter ficado perto do golo, Portugal passou a pressionar e só uma excelente intervenção de Yannick Brecher negou o tento a Bruma. O jogador português, que com 15 anos e 206 dias é o mais jovem na fase final de um Campeonato da Europa de Sub-17 desde 2003, mostrou, aos 25 minutos, porque tem sido comparado a Cristiano Ronaldo, ao ter uma arrancada que só terminou com um passe perfeito para a conclusão fácil de Esgaio.

Outro jogador de 15 anos, Endogan Adili, entrou para os suíços ao intervalo e estes de imediato se acercaram da área portuguesa, com o capitão Mattia Desole a enviar a bola à trave. Mas, pouco depois, Fonseca duplicou a vantagem portuguesa, após uma boa combinação com Betinho. Dois minutos volvidos, a conta subiu para 3-0, com Bruma novamente a descer rapidamente antes de servir Esgaio para uma conclusão de ângulo apertado. O seleccionador português, Rui Bento, pôde até retirar Betinho, Fonseca e Bruma, uma vez garantida a vitória, mesmo apesar de Adili ter testado a atenção de André Pereira já perto do fim.