O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Benfica inconformado bate Pescara nos penalties

Benfica 2-2 Pescara (Benfica vence por 2-0 nos penalties)
Tal como nas meias-finais, o Benfica esteve em desvantagem mas recuperou, só que desta vez prevaleceu nos penalties, com Bruno Coelho em destaque.

Veja os golos da partidas do 3º/4º lugares.
Third-place play-off highlights
  • Benfica termina no terceiro lugar da Taça UEFA Futsal pela terceira vez
  • Estreante Pescara marca no fim e no início de cada parte mas permite resposta lusa
  • Bruno Coelho empata como guarda-redes avançado e depois converte a grande penalidade decisiva
  • Resumos no UEFA.com a partir das 23h00 (hora de Portugal Continental)

No jogo de atribuição do terceiro e quarto lugar da Taça UEFA Futsal, o Benfica esteve em desvantagem frente ao Pescara (2-0), mas tal como na sexta-feira, voltou a conseguir o empate e levou o jogo para penalties, onde desta vez a sorte esteve do seu lado.

Já com Bruno Coelho disponível, após cumprir castigo, o Benfica começou mais forte, à semelhança do jogo anterior. Alessandro Patias, em dois livres, obrigou Antonio Capuozzo a defesas com o pé para negar o golo. No extremo oposto do campo, o Pescara criava relativo perigo devido a falhas defensivas dos "encarnados", ainda que não conseguisse o remate.

No entanto, o Benfica foi perdendo ímpeto e o Pescara passou a ter ascendente. Durante esse período, destaque para Juanjo, que com um punhado de boas defesas evitou o golo do conjunto italiano, nomeadamente a remates de Cristian Borruto, Mauro Canal e Rogerio da Silva. O Benfica conseguiu sacudir a pressão nos últimos cinco minutos, com dois remates de Ré, só que nos derradeiros segundos da primeira parte, uma falha de marcação permitiu a Canal facturar à boca da baliza.

E se a primeira parte terminou mal, a segunda não começou bem, com Da Silva a segurar à entrada da área e a servir Borruto, que contornou Juanjo e atirou para o 2-0. Chaguinha, numa jogada de insistência, visou a baliza italiana mas Capuozzo, com o pé, evitou o pior. Um lance de ataque do Benfica podia ter resultado no golo do Pescara, quando Fernando Wilhem falhou o remate e deixou Adolfo Salas com o campo quase todo para correr, só que à saída de Juanjo rematou ao lado.

O conjunto luso não conseguia reagir e voltou a ser o seu guarda-redes a destacar-se, com uma defesa instintiva a remate de Canal, que tentaram reduzir por intermédio de Wilhem, em duas ocasiões, mas em ambas a bola foi à figura de Capuozzo.

Ao aliviar a pressão ofensiva, o Pescara permitiu a resposta ao Benfica, que depois de ameaçar acabou por reduzir a diferença, através de um remate forte e colocado de Ré, aos 33 minutos. Já com Bruno Coelho como guarda-redes avançado, foi o próprio capitão "encarnado" a empatar, com um desvio certeiro ao segundo poste. No desempate por grandes penalidades, um remate por cima de Douglas Nicolodi e uma defesa de Juanjo frente a Marco Ercolessi, combinados com tiros certeiros de Patias e Bruno Coelho, deram ao Benfica o terceiro lugar no pódio.

©Sportsfile

Reacções:
Juanjo, guarda-redes do Benfica
Mesmo apesar de termos estado a perder por 2-0 e sem ter um jogo mais fluído, conseguimos recuperar e manter a calma no desempate. Quando um jogo chega a penalties, os guarda-redes têm, em teoria, pouco a perder. E apesar de não nos ter corrido de feição nas meias-finais, desta vez a sorte esteve do nosso lado.

Não jogámos assim tão bem na primeira parte e tive de fazer algumas defesas importantes para evitar golos, mas sofrer um à beira do intervalo foi um duro revés, e ficou ainda pior quando concedemos o segundo logo a abrir o segundo tempo. Mas não perdemos a calma e acabámos por chegar ao empate.

[No penalty decisivo, cobrado por Marco Ercolessi] Fiz uso da minha intuição ao escolher um lado, e depois tentei colocar o máximo do corpo possível para o cobrir, e acabou por funcionar. Trabalhámos muito para chegar à fase final desta prova, e o terceiro lugar acaba por ser uma recompensa para todos, jogadores, clube e, especialmente, adeptos. Vieram apoiar-nos nas meias-finais, onde senti que não tivemos sorte frente ao Ugra, e hoje conseguimos retribuir da melhor forma o apoio que nos deram.