Regresso ao Jogo: a UEFA está a preparar-se para o regresso seguro das suas competições de elite.
Saiba mais >
 

Todos os “hat-tricks” na fase final do EURO: Platini, Van Basten e não só

Não há um “hat-trick” na fase final do Campeonato Europeu da UEFA desde 2008; haverá um no UEFA EURO 2020?

Veja todos os "hat-tricks" do EURO
Veja todos os "hat-tricks" do EURO

Nas 15 edições do EURO registaram-se apenas oito “hat-tricks”; Saiba quem foram os autores da proeza.

Dieter Müller: Meias-finais de 1976, Jugoslávia 2-4 República Federal da Alemanha (após prolongamento)
Tempo do “hat-trick”: 37 minutos (82 cabeça, 115 pé direito, 119 pé direito)

Dieter Müller fez a estreia pela Alemanha em 1976
Dieter Müller fez a estreia pela Alemanha em 1976Icon Sport via Getty Images

A selecção do avançado do Colónia estava a perder por 2-1 em Belgrado e à beira da eliminação quando o jogador de 22 anos saiu do banco para fazer sua estreia pela Alemanha, a 11 minutos do final. Três minutos depois, cabeceou após cruzamento de Rainer Bonhof para fazer o 2-2; depois marcou duas vezes no prolongamento para completar um “hat-trick” e guiar a sua equipa até à final.

Klaus Allofs: fase de grupos de 1980, República Federal da Alemanha 3-2 Holanda
Tempo do “hat-trick”: 45 minutos (20 pé direito, 60 pé direito, 65 pé direito)

O jogador do Fortuna Düsseldorf terminou o EURO 1980 como vencedor e como melhor marcador da competição em virtude dos seus três golos em Nápoles, embora Bernd Schuster também tenha merecido crédito pelo papel que desempenhou na criação de dois deles. A vitória deu à Alemanha uma segunda vitória consecutiva na fase de grupos, que viria mesmo a vencer o torneio, depois de terem perdido na final quatro anos antes.

Michel Platini: fase de grupos de 1984, França 5-0 Bélgica
Tempo do “hat-trick”: 85 minutos (4 pé esquerdo, 74 pé direito, 89 cabeça)

Michel Platini marca de penalty frente à Bélgica
Michel Platini marca de penalty frente à BélgicaIcon Sport via Getty Images

Os anfitriões de 1984 começaram bem a prova, com um triunfo por 1-0 contra a Dinamarca, mas em Nantes brilharam ainda mais alto. Um ressalto oportuno no quarto minuto, um penalty e um cabeceamento constituíram o seu primeiro “hat-trick” na história do EURO, embora tenha sido a preponderância do jogador de 28 anos que influenciou particularmente os Bleus.

Michel Platini: fase de grupos de 1984, França 3-2 Jugoslávia
Tempo do “hat-trick”: 18 minutos (59 pé esquerdo, 62 cabeça, 77 pé direito)

Apenas três dias depois, no próximo jogo da França, o capitão voltou a brilhar, tornando-se no primeiro e ainda único jogador a marcar mais do que um “hat-trick” num único EURO. O astro da Juventus anulou uma desvantagem de 1-0 em 18 minutos, com destaque para um livre directo que fez o 3-1 em Saint-Etienne.

Marco van Basten: fase de grupos de 1988, Inglaterra 1-3 Holanda
Tempo do “hat-trick”: 31 minutos (44 pé esquerdo, 71 pé esquerdo, 75 pé direito)

Marco van Basten após marcar à Inglaterra em 1988
Marco van Basten após marcar à Inglaterra em 1988Bongarts/Getty Images

Substituto na derrota da Holanda por 1-0 contra a União Soviética no jogo de abertura, Van Basten justificou a titularidade em Dusseldorf com três golos, todos com a ajuda do seu companheiro de equipa no Milan, Ruud Gullit. Os homens de Rinus Michels chegaram à final, onde Van Basten voltou a brilhar, marcando talvez o melhor golo da história do EURO.

Sérgio Conceição: fase de grupos de 2000, Portugal 3-0 Alemanha
Tempo do “hat-trick”: 36 minutos (35 cabeça, 54 pé esquerdo, 71 pé direito)

Já com um lugar garantido nos quartos-de-final, Portugal não tinha nada a perder em Roterdão, naquele que foi o 150º e último jogo de Lothar Matthäus pela Alemanha, mas Sergio Conceição aproveitou a oportunidade para impressionar com três golos. Substituto nos dois primeiros jogos de Portugal, o jogador de 25 anos assumiu a titularidade com a sua equipa a chegar às meias-finais.

Patrick Kluivert: quartos-de-final de 2000, Holanda 6-1 Jugoslávia
Tempo do “hat-trick”: 30 minutos (24 pé direito, 38 pé direito, 54 pé direito)

Patrick Kluivert após marcar à Jugoslávia
Patrick Kluivert após marcar à JugosláviaPopperfoto via Getty Images

Kluivert mostrou todos os seus instintos goleadores para os co-anfitriões em Roterdão, com assistências de Dennis Bergkamp, Edgar Davids e Boudewijn Zenden. Podia ter completado o seu "hat-trick" ainda mais cedo, aos 51 minutos, mas um autogolo de Dejan Govedarica não o permitiu.

David Villa: fase de grupos de 2008, Espanha 4-1 Rússia
Tempo do “hat-trick”: 55 minutos (20 pé direito, 44 pé direito, 75 pé direito)

Villa exibiu a sua velocidade, persistência e instinto goleador nesta exibição deslumbrante em Innsbruck. Desde um simples encosto - Fernando Torres fez o resto - para abrir o marcador, até um sprint providencial e uma finalização precisa, o então craque do Valência foi o avançado perfeito para uma selecção espanhola recheada de craques.

Conteúdos relacionados

Topo