UEFA EURO 2020: conheça as equipas apuradas

Escócia, Eslováquia, Hungria e Macedónia do Norte foram os vencedores do “play-off” e garantiram as últimas vagas na fase final.

AFP via Getty Images

As 20 selecções que se qualificaram através da fase de grupos têm agora a companhia dos quatro vencedores do “play-off”.

  • Grupo A: Turquia, Itália, País de Gales, Suíça
  • Grupo B: Dinamarca, Finlândia, Bélgica, Rússia
  • Grupo C: Países Baixos, Ucrânia, Áustria, Macedónia do Norte 
  • Grupo D: Inglaterra, Croácia, Escócia, República Checa
  • Grupo E: Espanha, Suécia, Polónia, Eslováquia
  • Grupo F: Hungria, Portugal, França, Alemanha
Macedónia do Norte, Escócia, Eslováquia e Hungria triunfam no "play-off"


Grupo A

TURQUIA

Registo no Grupo H: J10 V7 E2 D1 GM18 GS3
Melhor marcador da fase de apuramento: Cenk Tosun (5)
Melhor desempenho no UEFA EURO: meias-finais (2008)
UEFA EURO 2016: fase de grupos

Resumo: Turquia 2-0 França
Resumo: Turquia 2-0 França

Seleccionador: Şenol Güneş
Antigo guarda-redes da Turquia, Güneş conquistou seis títulos pelo Trabzonspor e orientou a selecção do seu país até ao terceiro lugar na sua mais recente presença no Campeonato do Mundo, em 2002. Ganhou dois campeonatos pelo Beşiktaş antes de regressar ao cargo na Turquia, em 2019.

Jogador-chave: Cenk Tosun
Güneş sabe como tirar o melhor proveito da principal referência ofensiva da Turquia, uma vez que trabalhou com o atacante durante uma passagem bem-sucedida pelo Beşiktaş. Não é muito rápido ou de elevada estatura, mas é um trabalhador esforçado e um finalizador nato.

Jogador a seguir: Burak Yilaz
Apesar de ser o jogador mais experiente da selecção, Burak Yilmaz é, aos 35 anos de idade, a primeira escolha de Güneş para a frente de ataque. O segundo melhor marcador de sempre da Turquia apresenta uma média de um golo a cada dois jogos ao longo da sua carreira, continuando a revelar a sua veia goleadora ao serviço do LOSC Lille.

Sabia que?
A Turquia apurou-se para cinco das últimas sete edições do EURO e disputou a fase final pela primeira vez em 1996.

ITÁLIA

Registo no Grupo J: J10 V10 D0 L0 GM37 GS4
Melhor marcador no apuramento: Andrea Belotti (5)
Melhor desempenho no UEFA EURO: vencedora (1968)
UEFA EURO 2016: quartos-de-final, perdeu frente à Alemanha no desempate por penalties

Resumo: Itália 9-1 Arménia
Resumo: Itália 9-1 Arménia

Seleccionador: Roberto Mancini
Mancini foi um dos melhores avançados da sua geração, embora nunca tenha tido muita sorte com a camisola “azzurri” e está desejoso de deixar a sua marca como seleccionador, isto depois de já ter conquistado troféus ao nível de clubes em Itália, na Inglaterra e na Turquia.

Jogador-chave: Marco Verratti
Tal como o seu treinador, o médio ainda não conseguiu transportar para a selecção italiana tudo o que tem alcançado a nível de clubes. O futebol baseado na posse de bola apresentado por Mancini, porém, assenta que nem uma luva ao jogador do Paris Saint-Germain.

Jogador a seguir: Gianluigi Donnarumma
Aos 21 anos de idade, o guarda-redes Donnarumma é já um veterano, uma vez que já joga futebol ao mais alto nível há várias temporadas. No entanto, a responsabilidade de substituir Gianluigi Buffon não podia ser maior.

Sabia que?
O triunfo da Itália sobre o Liechtenstein, em Março de 2019, foi a primeira vez em 57 anos que a “squadra azzurra” venceu por 6-0; bateu a Turquia pela mesma margem em 1962.

PAÍS DE GALES

Registo no Grupo E: J8 V4 E2 D2 GM10 GS6
Melhor marcador no apuramento: Gareth Bale (2), Kieffer Moore (2), Aaron Ramsey (2)
Melhor desempenho no UEFA EURO: meias-finais (2016)
UEFA EURO 2016: meias-finais

Resumo: País de Gales 2-0 Hungria
Resumo: País de Gales 2-0 Hungria

Seleccionador: Ryan Giggs
Passou toda a carreira de jogador no Manchester United, clube no qual fez o número recorde de 963 jogos. Venceu 13 vezes a Premier League inglesa e ergueu o troféu da UEFA Champions League em 1999 e 2008. Internacional pelo País de Gales em 64 ocasiões, entre 1991 e 2007, marcou também 12 golos. Foi nomeado seleccionador em Janeiro de 2018.

Jogador-chave: Gareth Bale
Apesar de fazer 31 anos no Verão, Bale continua a ser o talismã da equipa e é o recordista de golos pelo País de Gales. Bastante influente dentro e fora do campo, e agora de regresso ao Tottenham, apontou golos importantes pelo seu país durante uma carreira internacional que começou em 2006.

Jogador a seguir: Ethan Ampadu
Com apenas 20 anos, a capacidade de Ampadu em jogar tanto na defesa como no meio-campo permitiu que ele se afirmasse na selecção do País de Gales. Pode desempenhar um papel importante no centro do terreno e é uma presença sólida na defesa. Muito bom a nível táctico e confortável na posse da bola.

Sabia que?
Fundada em 1876, a Federação Galesa de Futebol é a terceira federação mais antiga do futebol mundial, atrás de Inglaterra (1863) e Escócia (1873).

SUÍÇA

Registo no Grupo D: J8 V5 E2 D1 GM19 GS6
Melhor marcador no apuramento: Cédric Itten (3)
Melhor desempenho no UEFA EURO: oitavos-de-final (2016)
UEFA EURO 2016: oitavos-de-final, perdeu por 5-4 nos penalties contra a Polónia após um empate 1-1

Resumo: Suíça 2-0 República da Irlanda
Resumo: Suíça 2-0 República da Irlanda

Seleccionador: Vladimir Petković
Nascido em Sarajevo, Petković está na Suíça desde 1997 e assumiu o comando da selecção em 2014. Os helvéticos não falharam a presença num grande torneio desde então.

Jogador-chave: Granit Xhaka
Bom nas recuperações de bola e com excelente visão de jogo, Xhaka é o jogador que mantém unida a equipa da Suíça. Os suíços estavam a vencer a Dinamarca por 3-0 quando foi substituído e a partida acabou por terminar com um empate 3-3.

Jogador a seguir: Breel Embolo
Procura um novo desafio na sua carreira ao serviço do Mönchengladbach, isto após ter recuperado de uma série de lesões. Poderoso fisicamente, versátil e veloz, o jovem avançado de 23 anos é um verdadeiro talento.

Sabia que?
A Suíça conseguiu ultrapassar sempre a fase de grupos sob o comando técnico de Petković, mas nunca venceu qualquer jogo numa fase a eliminar: nos Mundiais de 2014 e de 2018, no EURO 2016 e na UEFA Nations League.

Grupo B

DINAMARCA

Registo no Grupo D: J8 V4 E4 D0 GM23 GS6
Melhor marcador no apuramento: Christian Eriksen (5)
Melhor desempenho no UEFA EURO: vencedora (1992)
UEFA EURO 2016: não se apurou

Resumo: Dinamarca 1-0 Suíça
Resumo: Dinamarca 1-0 Suíça

Seleccionador: Kasper Hjulmand
Escolhido como sucessor de Åge Hareide após este torneio, o antigo técnico do Nordsjælland acabou mesmo por entrar ao serviço em Julho de 2020, mas agora com a oportunidade de começar o seu reinado com a presença numa grande competição.

Jogador-chave: Christian Eriksen
Já com 100 internacionalizações no currículo, o jogador de 28 anos está entre os melhores médios-ofensivos mundiais e, com a sua técnica apurada, é ele quem lidera a Dinamarca.

Jogador a seguir: Jacob Bruun Larsen
Avançado rápido que tenta seguir as pisadas de Marco Reus, Larsen trocou o Dortmund pelo Hoffenheim em Janeiro de 2020, após um ano no qual se estreou pela selecção principal da Dinamarca .

Sabia que?
A Dinamarca não se conseguiu apurar para o EURO '92, mas foi chamada à última da hora para substituir a excluída Jugoslávia.

FINLÂNDIA

Registo do grupo J: J10 V6 E0 D4 GM16 GS10
Melhor marcador na qualificação: Teemu Pukki (10)
Melhor desempenho no UEFA EURO: -
UEFA EURO 2016: não se qualificou

Resumo: Finlândia 3-0 Liechtenstein
Resumo: Finlândia 3-0 Liechtenstein

Seleccionador: Markku Kanerva
Cinco vezes campeão finlandês pelo HJK, Kanerva passou 12 anos na selecção Sub-21 e como adjunto da equipa principal antes de assumir o cargo em 2016.

Jogador-chave: Teemu Pukki
Há muito visto como jogador de enorme faro pelo golo, Pukki subiu a um novo patamar desde que ingressou no Norwich em 2018. Os seus golos contribuíram de forma relevante para o recente sucesso da Finlândia.

Jogador a seguir: Fredrik Jensen
Extremo do Augsburgo de 23 anos, tem dado nas vistas com as cores da selecção, revelando enorme capacidade goleadora.

Sabia que?
Antes do apuramento da Finlândia em 2020, 33 das 55 federações-membro da UEFA já tinham participado na fase final do EURO.

BÉLGICA

Registo no Grupo I: J10 V10 E0 D0 GM40 GS3
Melhor marcador no apuramento: Romelu Lukaku (7)
Melhor desempenho no UEFA EURO: finalista vencido (1980)
UEFA EURO 2016: quartos-de-final: perdeu por 3-1 ante o País de Gales

Resumo: Bélgica 9-0 San Marino
Resumo: Bélgica 9-0 San Marino

Seleccionador: Roberto Martínez
Antigo médio espanhol, Martínez afirmou-se como treinador no futebol inglês e lidera os destinos da Bélgica desde 2016.

Jogador-chave: Kevin De Bruyne
O médio da época da UEFA Champions League 2019/10 somou quatro golos e sete assistências em apenas seis jogos da fase de apuramento para o EURO. Para além disso, também fez o último passe para 20 tentos na Premier League com a camisola do Manchester City em 2019/20, igualando o recorde de Thierry Henry no campeonato inglês.

Jogador a seguir: Youri Tielemans
O versátil médio do Leicester é um dos elementos mais jovens (23 anos) entre um conjunto de jogadores já com créditos firmados; tem um temível remate de longa distância, para além de uma excelente qualidade de passe.

Sabia que?
Os “diabos vermelhos” são a melhor selecção mundial, de acordo com o “ranking” actual da FIFA.

RÚSSIA

Registo no Grupo I: J10 V8 E0 D2 GM33 GS8
Melhor marcador no apuramento: Artem Dzyuba (9)
Melhor desempenho no UEFA EURO:
vencedora (1960, como URSS), meias-finais (2008)
UEFA EURO 2016:
fase de grupos

Resumo: Rússia 4-0 Escócia
Resumo: Rússia 4-0 Escócia

Seleccionador: Stanislav Cherchesov
O antigo guarda-redes internacional russo do Spartak Moscovo assumiu o cargo de seleccionador no Verão de 2016 e, após dois anos de altos e baixos, levou a Rússia aos quartos-de-final do Mundial de 2018.

Jogador-chave: Artem Dzyuba
O alto ponta-de-lança do Zenit é o capitão de equipa da Rússia e o seu actual melhor marcador, com 24 golos.

Jogador a seguir: Dmitri Barinov
O médio de 24 anos estreou-se pela Rússia no último Verão e está a viver o melhor ano da sua carreira. Marcou o golo que permitiu ao Lokomotiv Moscovo bater o Leverkusen na UEFA Champions League e tem brilhado igualmente a nível interno.

Sabia que? 
A Rússia já vai em cinco jogos seguidos sem conseguir vencer numa fase final de um EURO; o seu último triunfo coincidiu com uma goleada, por 4-1, frente à República Checa no UEFA EURO 2012.

Grupo C

PAÍSES BAIXOS

Registo no Grupo C: J8 V6 E1 D1 GM24 GS7
Melhor marcador no apuramento: Georginio Wijnaldum (8)
Melhor desempenho no UEFA EURO
: vencedora (1988)
UEFA EURO 2016: não se apurou

Resumo: Alemanha 2-4 Países Baixos
Resumo: Alemanha 2-4 Países Baixos

Seleccionador: Frank de Boer
De Boer substituiu o antigo colega de equipa Ronald Koeman após este rumar ao Barcelona, em Setembro de 2020, depois de passagens por Ajax, Inter, Crystal Palace e Atlanta United.

Jogador-chave: Memphis Depay
A selecção “laranja” tem inúmeras opções ao seu dispor, mas grande parte da responsabilidade ofensiva recai sobre o poderoso avançado do Lyon, incansável ao longo dos 90 minutos e possuidor de um temível pé direito.

Jogador a seguir: Frenkie de Jong
De Jong tornou-se o líder do meio-campo da selecção "laranja", graças à sua excepcional capacidade para reter a posse de bola, criar espaços e construir jogo.

Sabia que?
Os holandeses falharam a presença no UEFA EURO 2016 e no Mundial de 2018, naquele que foi o período de maior ausência de uma fase final desde meados da década de 1980, mas regressaram a tempo para conquistar o EURO'88.

UCRÂNIA 

Registo no Grupo A: J8 V6 E2 D0 GM17 GS4
Melhor marcador no apuramento: Roman Yaremchuk (4)
Melhor desempenho no UEFA EURO: fase de grupos (2012, 2016)
UEFA EURO 2016: fase de grupos

Resumo: Ucrânia 2-1 Portugal
Resumo: Ucrânia 2-1 Portugal

Seleccionador: Andriy Shevchenko
Avançado de eleição, Shevchenko venceu a UEFA Champions League em 2003 e a Bola de Ouro em 2004 durante a sua passagem pelo Milan; continua em quinto lugar no ranking de melhores marcadores de todas as competições de clubes da UEFA, com 67 golos.

Jogador-chave: Andriy Yarmolenko
Actual melhor marcador da Ucrânia com 36 golos (apenas Shevchenko, com 48, tem mais), Yarmolenko continua a ser uma das referências criativas do West Ham, apesar de não ser muito utilizado na equipa principal.

Jogador a seguir: Viktor Tsygankov
O jogador de 21 anos tem muita concorrência, pois Yarmolenko e Marlos podem jogar na sua posição de eleição, na ala direita, mas continua a ganhar o seu espaço.

Sabia que?
Esta é a primeira vez que a Ucrânia se qualifica directamente para o EURO; os ucranianos foram co-anfitriões em 2012 e venceram a Eslovénia no “play-off” para carimbarem a presença na fase final em 2016.

ÁUSTRIA

Registo no Grupo G: J10 V6 E1 D3 GM19 GS9
Melhor marcador no apuramento: Marko Arnautović (6)
Melhor desempenho no UEFA EURO: fase de grupos (2008, 2016)
UEFA EURO 2016: fase de grupos

Resumo: Áustria 2-1 Macedónia do Norte
Resumo: Áustria 2-1 Macedónia do Norte

Seleccionador: Franco Foda
Duas vezes internacional pela República Federal da Alemanha, Foda passou grande parte da sua carreira de treinador no Sturm Graz, clube no qual conquistou o campeonato e a taça. Ocupa o cargo de seleccionador da Áustria desde o início de 2018.

Jogador-chave: Marko Arnautović
A Áustria sentiu problemas de finalização nos últimos anos, mas tem em Arnautović, agora a jogar na China, um avançado que normalmente não falha em frente à baliza.

Jogador a seguir: Christoph Baumgartner
Com excelente visão de jogo, precisão de passe e eficácia diante da baliza, o jovem do Hoffenheim rapidamente se estabeleceu como peça preponderante para a equipa comandada por Foda.

Sabia que?
Já se passaram quase três décadas desde a última vitória da Áustria numa fase final, quando bateu os Estados Unidos da América, por 2-1, no Mundial de 1990.

MACEDÓNIA DO NORTE

Registo no Grupo G: J10 V4 E2 D4 GM12 GS13
"Play-off": Kosovo (c) 2-1, Georgia (f) 1-0
Melhor marcador no apuramento: Eljif Elmas (4)
Melhor desempenho no UEFA EURO: N/D
UEFA EURO 2016: não participou

Seleccionador: Igor Angelovski
Nomeado em Outubro de 2015 após dois anos ao serviço do Rabotnički, com quem conquistou uma "dobradinha" nacional e duas Taças da Macedónia do Norte.

Jogador-chave: Goran Pandev
Apesar dos 37 anos, o versátil avançado mantém as qualidades intactas, destacando-se pela criatividade, visão de jogo e capacidade de passe. Foi o autor do golo que apurou a equipa, da qual é capitão, melhor marcador e jogador com mais internacionalizações de sempre.

Jogador a seguir: Elif Elmas
Tem apenas 21 anos mas é visto como o sucessor de Pandev no papel de líder da selecção. O médio do Nápoles faz da criatividade a sua principal arma e é exímio a servir os colegas do ataque.

Sabia que?
O terceiro lugar foi a sua melhor classificação em 13 fases de qualificação desde a independência do país (apesar de a vaga no "play-off" ter sido garantida através da UEFA Nations League).

Grupo D

INGLATERRA

Registo no Grupo A: J8 V7 E0 D1 GM37 GS6
Melhor marcador no apuramento: Harry Kane (12)
Melhor desempenho no UEFA EURO: terceiro lugar (1968)
UEFA EURO 2016: oitavos-de-final, perdeu 2-1 com a Islândia

Resumo: Inglaterra 5-3 Kosovo
Resumo: Inglaterra 5-3 Kosovo

Seleccionador: Gareth Southgate
Mais lembrado por um penalty falhado nas meias-finais do EURO '96, tem realizado um trabalho notável no comando da selecção.

Jogador-chave: Harry Kane
Capitão da selecção do seu país e avançado de elevadíssima qualidade, Kane continua a ser uma peça-chave dos planos de Southgate, apesar do surgimento de uma série de fantásticos jovens jogadores para o sector atacante.

Jogador a seguir: Jadon Sancho
A Inglaterra não terá um jogador tão maduro aos 19 anos desde Wayne Rooney. Avançado promissor, Sancho tem continua a crescer no Dortmund.

Sabia que?
A selecção dos Três Leões esteve 43 jogos consecutivos de eliminatórias para o Campeonato da Europa e para o Mundial sem perder até à derrota diante da República Checa, em Outubro de 2019.

CROÁCIA

Registo no Grupo E: J8 V5 E2 D1 GM17 GS7
Melhor marcador no apuramento: Bruno Petković (4)
Melhor desempenho no UEFA EURO: quartos-de-final (1996, 2008)
UEFA EURO 2016: oitavos-de-final, perdeu por 1-0 ante Portugal, ap

Resumo: Croácia 3-1 Eslováquia
Resumo: Croácia 3-1 Eslováquia

Seleccionador: Zlatko Dalić
Antigo médio que nunca representou o seu país, Dalić rendeu Ante Čačić em 2017 e conduziu a equipa croata até à final do Mundial de 2018.

Jogador-chave: Luka Modrić
O vencedor da Bola de Ouro em 2018 soma mais de 120 jogos pelo seu país, não apenas capitaneando a selecção, mas também ditando o ritmo no meio-campo com a sua visão de jogo, energia e qualidade de passe.

Jogador a seguir: Josip Brekalo
O exemplo perfeito do jogador moderno: rápido e habilidoso. O extremo do Wolfsburgo tem-se evidenciado sob o comando de Dalić, marcando num amigável ante a Suíça e assinado duas assistências contra a França e a Suécia na UEFA Nations League, tudo isto em Outubro de 2020.

Sabia que?
A Croácia subiu 122 lugares no ranking da FIFA, passando de 125ª para terceira posição entre 1994 e 1999.

ESCÓCIA

Registo no Grupo I: J10 V5 E0 D5 GM16 GS19
"Play-off": Israel (c) 0-0, 5-3 pens; Sérvia (f) 1-1, 5-4 pens
Melhor marcador no apuramento: John McGinn (7)
Melhor desempenho no UEFA EURO: fase de grupos (1992, 1996)
UEFA EURO 2016: não participou

Seleccionador: Steve Clarke
O antigo jogador do Chelsea iniciou a carreira de treinador como adjunto de Ruud Gullit no Newcastle United, em 1998. Assumiu o comando técnico da Escócia em Maio de 2019, após uma passagem bem-sucedida pelo Kilmarnock.

Jogador-chave: John McGinn
Médio escocês à moda antiga, McGinn é um jogador de qualidade que dá mais à equipa do que capacidade de defender e passar. O seu entusiasmo e tenacidade impulsionam a equipa, e o jogador do Aston Villa também é perigoso quando sobe à área contrária.

Jogador a seguir: Lyndon Dykes
O avançado seguiu o coração quando teve de escolher entre representar Escócia ou Austrália, causando um impacto imediato, com dois golos nos cinco primeiros jogos. O seu jogo aéreo, ritmo, toque de bola e capacidade finalizadora tornam-no um perigo para os defesas adversários.

Sabia que?
A Escócia também defrontou a Inglaterra em Wembley na sua última participação no EURO, em 1996.

REPÚBLICA CHECA

Registo no Grupo A: J8 V5 E0 D3 GM13 GS11
Melhor marcador no apuramento: Patrik Schick (4)
Melhor desempenho no UEFA EURO: vencedor (1976, como Checoslováquia)
UEFA EURO 2016: fase de grupos

Resumo: República Checa 2-1 Inglaterra
Resumo: República Checa 2-1 Inglaterra

Seleccionador: Jaroslav Šilhavý
Detentor do recorde de maior número de jogos na primeira divisão checa (465), o técnico de 59 anos conquistou dois títulos antes de assumir o comando da selecção, em Setembro de 2018.

Jogador-chave: Vladimír Darida
Centrocampista que actua no Hertha, comanda a equipa através do exemplo e inspirou a vitória-surpresa de Outubro sobre a Inglaterra.

Jogador a seguir: Tomáš Souček
A força motriz do meio-campo. Foi o jogador da época 2018/19 na República Checa, na qual o Slávia Praga conquistou o título.

Sabia que?
A República Checa esteve sempre presente no Campeonato da Europa da UEFA como nação independente, tendo atingido sete fases finais consecutivas.

Grupo E

ESPANHA

Registo no Grupo F: J10 V8 E2 D0 GM31 GS5
Melhor marcador da fase de apuramento: Álvaro Morata, Sergio Ramos, Rodrigo (4)
Melhor desempenho no UEFA EURO: vencedor (1964, 2008, 2012)
UEFA EURO 2016: oitavos-de-final, perdeu por 2-0 com a Itália

Resumo: Roménia 1-2 Espanha
Resumo: Roménia 1-2 Espanha

Seleccionador: Luis Enrique
Deixou o cargo em Junho de 2019 mas regressou ao posto em Novembro, após o final da fase de qualificação. Guiou o Barcelona à conquista da UEFA Champions League em 2015.

Jogador-chave: Sergio Ramos
Pedra basilar numa defesa forte, Ramos também lidera a tabela de goleadores da selecção, já que é o marcador de grandes penalidades.

Jogador a seguir: Ansu Fati 
O avançado do Barcelona quebrou um recorde com 95 anos quando se tornou o mais jovem jogador a marcar pela Espanha, fazendo o gosto ao pé na goleada por 4-0 aplicada à Ucrânia na UEFA Nations League, em Setembro, numa altura em que contava 17 anos e 311 dias.

Sabia que? 
Ramos ultrapassou Iker Casillas com mais jogos pela Espanha e soma agora 168.

SUÉCIA

Registo no Grupo F: J10 V6 E3 D1 GM23 GS9
Melhor marcador na qualificação: Robin Quaison (5)
Melhor desempenho no UEFA EURO: meias-finais (1992)
UEFA EURO 2016: fase de grupos

Resumo: Roménia 0-2 Suécia
Resumo: Roménia 0-2 Suécia

Seleccionador: Janne Andersson
O cérebro por detrás do recente renascimento da Suécia, que levou a equipa escandinava ao primeiro Campeonato do Mundo em 12 anos, fez a Suécia terminar no topo do seu grupo na UEFA Nations League ao lado de Rússia e Turquia.

Jogador-chave: Robin Olsen
As qualidades do guarda-redes do Cagliari têm-se revelado fundamentais para o sucesso da Suécia.

Jogador a seguir: Alexander Isak
Foi o mais jovem goleador do AIK, aos 16 anos, e da selecção aos 17. Agora com 21 anos e na Real Sociedad, o atacante está mais maduro do que aparenta a sua idade.

Sabia que?
Em 1992, a Suécia venceu o grupo à frente de Inglaterra, França e da eventual vencedora Dinamarca, antes de ser perder com a Alemanha, por 3-2, nas meias-finais.

POLÓNIA

Registo no Grupo G: J10 V8 E1 D1 GM18 GS5
Melhor marcador no apuramento
: Robert Lewandowski (6)
Melhor desempenho no UEFA EURO
: quartos-de-final (2016)
UEFA EURO 2016
: quartos-de-final, perdeu frente a Portugal nos penalties

Resumo: Polónia 2-0 Macedónia do Norte
Resumo: Polónia 2-0 Macedónia do Norte

Seleccionador: Jerzy Brzęczek
Medalha de prata com a Polónia nos Jogos Olímpicos de 1992, durante os seus tempos de jogador, o antigo médio orientou o Katowice e o Wisła Płock antes de assumir o comando técnico da selecção polaca em Julho de 2018.

Jogador-chave: Robert Lewandowski
O ponta-de-lança do Bayern é o jogador com mais internacionalizações e golos pela Polónia e continua a ser um dos mais temíveis goleadores do futebol mundial. Prova disso foi o “hat-trick” que assinou frente à Letónia na 7ª jornada.

Jogador a seguir: Krzysztof Piątek
Actualmente no Hertha, após breves mas vistosas passagens por Génova e Milan, Piątek iniciou a sua passagem pela selecção principal da melhor forma, com um golo a cada dois jogos, sensivelmente.

Sabia que?
O seleccionador Brzęczek é tio do veterano médio polaco Jakub Błaszczykowski.

ESLOVÁQUIA

Registo no Grupo E: J8 V4 E1 D3 GM13 GS11
"Play-off": República da Irlanda (c) 0-0, 4-2 pens; Irlanda do Norte (f) 2-1 ap
Melhor marcador no apuramento: Róbert Boženík, Marek Hamšík, Juraj Kucka (3)
Melhor desempenho no UEFA EURO: oitavos-de-final (2016)
UEFA EURO 2016: oitavos-de-final, perdeu por 3-0 com a Alemanha

Seleccionador: Štefan Tarkovič (interino)
O treinador-adjunto assumiu o cargo pela segunda vez em Outubro, quando Pavel Hapal deixou a equipa após a meia-final do "play-off". Integrou a equipa técnica de Ján Kozák no EURO 2016.

Jogador-chave: Marek Hamšík
Jogador com mais internacionalizações e golos na história da Eslováquia, o veterano capitão, de 33 anos continua a ser o coração da equipa. Actualmente nos chineses do Dalian Shide, Hamšík dita o ritmo de jogo e não lhe falta energia. É difícil imaginar uma Eslováquia de sucesso sem ele.

Jogador a seguir: Tomáš Suslov
"Disse ao meu pai que um dia viria a jogar com Marek Hamšík", disse o extremo Suslov, e o jovem de 18 anos não se enganou. Formado na academia Tatran Prešov, o jogador do Groningen mostra imenso potencial.

Sabia que?
Oito dos jogadores do "onze" inicial da Checoslováquia na final de 1976 eram oriundos da Eslováquia.

Group F

HUNGRIA

Registo no Grupo E: J8 V4 E0 D4 GM8 GS11
"Play-off": Bulgária (F) 3-1; Islândia (c) 2-1
Melhor marcador no apuramento: Willi Orban (3)
Melhor desempenho no UEFA EURO: terceiro lugar (1964)
UEFA EURO 2016: oitavos-de-final, perdeu por 4-0 com a Bélgica

Seleccionador: Marco Rossi
O antigo defesa italiano treinava na Hungria há quatro anos quando foi convidado a assumir a selecção húngara, em Junho de 2018.

Jogador-chave: Willi Orban
Forte no desarme, o defesa-central do Leipzig é prático e que também tem veia goleadora. Os quatro golos marcados desde que se estreou pela Hungria, em Outubro de 2018, fazem dele o segundo melhor marcador da equipa nos últimos dois anos.

Jogador a seguir: Dominik Szoboszlai
O médio-ofensivo do Salzburgo tem visão de jogo e técnica em abundância, sendo o principal elemento criativo da Hungria. O facto de os seus dois primeiros golos pelo país terem acontecido na marcação de livres evidencia o perigo que representa em lances de bola parada. O terceiro que apontou pela selecção não ficou atrás ao nível de espectacularidade, com um decisivo remate de longe frente à Islândia, na final do "play-off".

Sabia que?
A Hungria esteve presente em duas meias-finais nas primeiras quatro edições do torneio, em 1964 e 1972, mas só voltou a participar em 2016.

PORTUGAL

Registo no Grupo B: J8 V5 E2 D1 GM22 GS6
Melhor marcador da fase de apuramento: Cristiano Ronaldo (11)
Melhor desempenho no UEFA EURO: vencedor (2016)
UEFA EURO 2016: vencedor

Resumo: Portugal 6-0 Lituânia
Resumo: Portugal 6-0 Lituânia

Seleccionador: Fernando Santos
Defesa que passou por vários clubes, Fernando Santos treinou os três grandes em Portugal, Benfica, Porto e Sporting, antes de assumir o comando técnico da selecção portuguesa em 2014, após ter orientado a Grécia. Conduziu Portugal à conquista do UEFA EURO 2016 e da edição inaugural da UEFA Nations League.

Jogador-chave: Cristiano Ronaldo
O jogador mais internacional de Portugal e o melhor marcador de sempre terá 36 anos quando participar no EURO 2020, prova na qual um dos seus objectivos é, certamente, sagrar-se pela primeira vez o melhor marcador numa fase final de um EURO ou um Mundial.

Jogador a seguir: João Félix
Jogador dotado de enorme técnica, o jogador do Atlético Madrid é a mais recente estrela de uma selecção lusa na qual abunda o talento. João Félix estreou-se por Portugal com 19 anos, na campanha triunfante na Fase Final da UEFA Nations League, em Junho de 2019.

Sabia que?
A derrota em Outubro na Ucrânia foi a primeira sofrida por Portugal sob o comando de Fernando Santos num jogo do EURO (ou da Nations League) – qualificação ou fase final – desde que o técnico assumiu o cargo em Setembro de 2014. As suas únicas derrotas anteriores tinham sido em Mundiais.

FRANÇA

Registo no Grupo H: J10 V8 E1 D1 GM25 GS6
Melhor marcador da fase de apuramento: Olivier Giroud (6)
Melhor desempenho no UEFA EURO
:
vencedor (1984, 2000)
UEFA EURO 2016: finalista, perdeu 1-0 frente a Portugal (ap)

Resumo: Albânia 0-2 França
Resumo: Albânia 0-2 França

Seleccionador: Didier Deschamps
Deschamps foi o capitão dos Bleus na vitória do Campeonato do Mundo de 1998 e no EURO 2000. Seleccionador de França desde 2012, levou os gauleses à glória no Campeonato do Mundo em 2018 e pode garantir o segundo título internacional da carreira de treinador em 2020.

Jogador-chave: Antoine Griezmann
A influência na equipa do melhor jogador e goleador-mor do UEFA EURO 2016 tem sido maior com o passar do tempo; marcou três golos e fez sete assistências no apuramento para o EURO 2020, tendo já ultrapassado Zinédine Zidane na lista de melhores marcadores da França.

Jogador a seguir: Clément Lenglet
Afirmou-se tranquilamente no Barcelona e estreou-se pelos Bleus em Junho de 2019. Parece ser a primeira escolha para jogar ao lado de Raphaël Varane no centro da defesa.

Sabia que?
A França irá participar na sua 13ª fase final consecutiva de um grande torneio; não falha qualquer torneio desde o EURO'96 e chegou a cinco finais nessa série, tendo vencido três delas.

ALEMANHA

Registo no Grupo C: J8 V7 E0 D1 GM30 GS7
Melhor marcador da fase de apuramento: Serge Gnabry (8)
Melhor desempenho no UEFA EURO
: vencedora (1972, 1980, 1996)
UEFA EURO 2016: meias-finais, perdeu por 2-0 ante a França

Resumo: Alemanha 6-1 Irlanda do Norte
Resumo: Alemanha 6-1 Irlanda do Norte

Seleccionador: Joachim Löw
Recordista de golos no Friburgo, Löw é seleccionador da Alemanha desde 2006 e conduziu a equipa à conquista do Campeonato do Mundo de 2014.

Jogador-chave: Toni Kroos
Kroos é um dos poucos veteranos da selecção campeã mundial em 2014 presente naquela que é agora uma equipa muito jovem; excelente no passe, é ele quem dita o ritmo de jogo alemão nas transições.

Jogador a seguir: Kai Havertz
O fenómeno do Leverkusen, de apenas 22 anos, tem uma fantástica visão de jogo e não treme sob pressão. A tendência que tem para jogar entre as linhas tornam-no num jogador perfeito para a equipa às ordens de Löw.

Sabia que?
A fase final do próximo Verão será a 26ª presença consecutiva da Alemanha num grande torneio, Mundial ou EURO.

Conteúdos relacionados