O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Países Baixos 1-2 Inglaterra: Kane inicia reviravolta e Watkins garante final

A Inglaterra bateu os Países Baixos e está na final do EURO pela segunda vez seguida, graças à entrada vitoriosa de Watkins.

Ollie Watkins celebra o seu golo tardio que valeu a vitória
Ollie Watkins celebra o seu golo tardio que valeu a vitória Getty Images

A Inglaterra vai defrontar a Espanha na final do UEFA EURO 2024, no domingo, após o suplente Ollie Watkins ter marcado à beira do fim em Dortmund para dar a vitória frente aos Países Baixos.

Momentos-chave

7' Remate potente de Simons bate Pickford
18' Kane coloca penálti no canto inferior
23' Dumfries corta remate de Foden em cima da linha
30' Dumfries cabeceia à barra
32' Remate em arco de Foden ao poste
65' Pickford desvia remate de Van Dijk
90+1' Suplente Watkins factura com remate cruzado

Jogo em poucas palavras: Resposta forte premiada no fim

Ollie Watkins (à direita) vê o seu remate entrar na baliza
Ollie Watkins (à direita) vê o seu remate entrar na balizaAFP via Getty Images

Como já é habitual na Alemanha, o jogo foi precedido de pirotecnia, mas esse espectáculo rapidamente foi eclipsado pelo que se passou no relvado. Logo aos sete minutos, Xavi Simons protagonizou o primeiro momento electrizante do jogo, roubando a bola a Declan Rice, avançando e desferindo um forte remate à entrada da área que não deu hipóteses a Jordan Pickford.

Pelo terceiro jogo seguido a Inglaterra estava em desvantagem. Mas não durou muito tempo, já que 11 minutos volvidos e Harry Kane empatou, cobrando um penálti de forma irrepreensível com um remate rasteiro junto à base do poste.

Tal como aconteceu, reacções

Autor da falta que deu o castigo máximo, Denzel Dumfries de certa forma redimiu-se qaundo travou em cima da linha-de-golo o remate com selo de golo de Phil Foden após bela jogada individual. A redenção do defesa podia ter sido completa momentos depois, só que o seu cabeceamento acertou no poste. Foden também queria brilhar e esteve à beira de um grande golo, mas o seu remate em arco acertou no poste. Mas se a primeira parte foi incrível, a segunda deu lugar a um jogo mais calculista de parte a parte.

As ocasiões flagrantes escassearam, mas não a intensidade. Os Países Baixos ganharam ascendente mas a Inglaterra não se deixou dominar, com Pickford a negar o golo a Virgil Van Dijk. E quando o prolongamento se aproximava, duas das apostas de Gareth Southgate fizeram a diferença, com Cole Palmer a assistir Watkins, que recebeu de costas para a baliza, virou-se e rematou rasteiro e cruzado por entre as pernas de Stefan de Vrij rumo ao segundo poste, colocando a formação inglesa no caminho para Berlim.

Melhor em Campo Vivo: Ollie Watkins (Inglaterra)

Melhor em Campo: Ollie Watkins

"Pelo seu impacto em poucos minutos e excelente trabalho no golo decisivo".
Painel de Observadores Técnicos da UEFA

Reacções

Ollie Watkins, avançado da Inglaterra: "Esperava por este momento há semanas. Tive a oportunidade e agarrei-a com as duas mãos. Disse ao Cole [Palmer]: 'Vamos entrar e tu vais assistir para eu marcar'. Assim que ele recebeu a bola, soube que ia colocá-la em mim, e depois de vê-la entrar na baliza foi uma sensação indescritível".

Gareth Southgate, seleccionador de Inglaterra: "Sentimos, em termos de energia, que estávamos a começar a perder um pouco de pressão e além disso o Harry [Kane] tinha levado um toque. O Ollie [Watkins] também consegue pressionar bem e atacar a profundidade nas costas da defesa. Por isso, senti que era um bom momento para arriscar e felizmente deu certo. Estou muito feliz por o Ollie ter conseguido ter o seu momento para brilhar. Orientar a Inglaterra na sua primeira primeira final no estrangeiro deixa-me muito orgulhoso".

Ronald Koeman, seleccionador dos Países Baixos: "Estou desiludido. O jogo começou muito bem para nós e marcámos. Depois disso tivemos problemas no meio-campo, permitindo aproximações à área de jogadores perigosos como Bellingham e Foden. Fizemos alterações e recuperámos o controlo e nos últimos 20 minutos sentimos que íamos seguir em frente, mas depois surgiu o golo, um golo que nos deixou sem reacção e sem tempo para reagir".

Harry Kane marca de penálti
Harry Kane marca de penáltiUEFA via Getty Images

Estatísticas

  • A Inglaterra apurou-se para a sua segunda final do EURO, apenas três anos depois da primeira, quando perdeu no desempate por grandes penalidades com a Itália.
  • A Inglaterra é a terceira equipa a disputar finais de forma consecutiva, seguindo as pisadas de União Soviética (1960/1964), Alemanha (1972/1976, 1976/1980, 1992/1996) e Espanha (2008/2012). Nas cinco ocasiões anteriores ganharam pelo menos uma vez.
  • Kane soma agora seis golos na fase a eliminar do EURO, um recorde, tendo ultrapassado Antoine Griezmann.
  • Kane é apenas o terceiro jogador a marcar em meias-finais de forma consecutiva, após os soviéticos Viktor Ponedelnik e Valentin Ivanov, em 1960 e 1964.
  • A Inglaterra perdeu apenas um dos últimos 20 jogos oficiais (V12 E7).
  • Simons, com 22 anos e 125 dias, é o segundo neerlandês mais jovem a marcar num EURO, após Patrick Kluivert (19 anos 353 dias).
  • Os Países Baixos venceram apenas uma vez nas últimas seis presenças nas meias-finais do EURO.

Equipas

O onze inicial da Inglaterra
O onze inicial da InglaterraGetty Images

Países Baixos: Verbruggen; Dumfries (Zirkzee 90+3), De Vrij, Van Dijk, Aké; Schouten, Simons (Brobbey 90+3), Reijnders; Malen (Weghorst 46), Depay (Veerman 35), Gakpo

Inglaterra: Pickford; Walker, Stones, Guéhi; Saka (Konsa 90+3), Mainoo (Gallagher 90+3), Rice, Trippier (Shaw 46); Foden (Palmer 80), Kane (Watkins 81), Bellingham

A seguir

A Inglaterra vai defrontar a Espanha na final em Berlim, no domingo, às 20h00.

Seleccionados para si