Portugal quer continuar a sonhar

Autora do golo que permitiu a Portugal chegar pela primeira vez à fase final do Europeu Feminino de Sub-19, Mónica Mendes garante que a selecção lusa não se contenta com as meias-finais.

Mélissa Gomes e Mónica Mendes têm estado em destaque por Portugal
Mélissa Gomes e Mónica Mendes têm estado em destaque por Portugal ©Sportsfile

A proximidade entre Portugal e Espanha, em termos geográficos e futebolísticos, leva a que palavras como desforra e rivalidade venham naturalmente ao de cima nas conversas que antecedem o embate entre os dois países nas meias-finais do Campeonato da Europa Feminino de Sub-19. Mas, como garante Mónica Mendes, tudo o que as pupilas de José Paisana desejam é comprovar o seu valor, algo que a jovem defesa tem vindo a fazer há já algum tempo.

Presente em todos os jogos da equipa das "quinas" na fase de qualificação, Mónica Mendes revelou-se sobretudo decisiva no último dos 540 minutos em que foi utilizada. Com Portugal empatado 1-1 frente à Bélgica, apontou, de cabeça, o golo do triunfo que permitiu a Portugal ultrapassar a Noruega e garantir um lugar na fase final da competição. E, na Turquia, a defesa-central radicada nos Estados Unidos tem continuado a revelar-se determinante ao ajudar a selecção lusitana a rumar às meias-finais.

"Estar na fase final de um Campeonato da Europa é um sonho para qualquer futebolista. Estamos extremamente orgulhosas por estarmos aqui a representar o nosso país e por mostrarmos a todos o talento existente em Portugal", destacou ao UEFA.com, antes de se debruçar sobre o embate de quarta-feira, frente à poderosa Espanha. "Queremos simplesmente mostrar aquilo que somos capazes de fazer, por isso se vencermos não vai ter qualquer sabor a desforra [tendo em conta o triunfo espanhol sobre Portugal na mesma fase do UEFA EURO 2012], nem nada do género. Seria, simplesmente, mais um grande feito para nós."

A colega Mélissa Gomes, outra presença constante ao longo desta histórica campanha, efectuou uma avaliação semelhante do embate ibérico que se avizinha, mas acrescentou que a Espanha poderá ser melhor adversária do que a Dinamarca, que bateu Portugal por 1-0 no último jogo da fase de grupos. "A Espanha tem algumas excelentes jogadoras e pratica um futebol bonito, mas temos de encontrar forma de estar à altura delas", salientou a atacante de 18 anos, nascida em França e filha de emigrantes portugueses. "Vai ser um encontro entre duas selecções com estilos semelhantes; não vai ser como frente À Dinamarca, que conta com jogadoras muito altas e fortes."

Mélissa Gomes e Mónica Mendes começam já a estar habituadas a ter pela frente enormes desafios. A primeira faz parte dos quatros do FCF Juvisy Essonne, vice-campeão de França, enquanto a segunda está a meio de uma curta passagem pelo DC United, antes de regressar à Universidade do Texas, onde estuda Ciências do Desporto, embora isso não a faça sentir-se superior às colegas. "Estar nos Estados Unidos não significa que eu seja melhor ou mais importante do que qualquer outra das raparigas que aqui estão comigo", frisou a internacional lusa, de 19 anos.

"É verdade que segui um caminho diferente, no estrangeiro, mas o que mais me enche de orgulho é representar o meu país em torneios como este. É extremamente gratificante poder mostrar a todos que, apesar de sermos uma nação pequena, podemos alcançar grandes feitos."