O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Vampeta de olhos no troféu

O melhor marcador da Taça UEFA de Futsal disse ao UEFA.com que chegar à fase final é uma honra para o Luparense, mas que a equipa italiana vai até Lisboa para "ganhar a toda a gente".

Vampeta (à esquerda) marcou dez golos na presente da Taça UEFA de Futsal
Vampeta (à esquerda) marcou dez golos na presente da Taça UEFA de Futsal ©Brigitta Soós/Futsal Hungary

O capitão do Luparense C/5, Vampeta, está ansioso pela fase final da Taça UEFA de Futsal, mas disse ao UEFA.com: "Há orgulho em termos logrado este objectivo, mas queremos vencer. Vamos até Lisboa para ganhar a toda a gente, para conquistarmos a taça".

Após três títulos italianos consecutivos, o Luparense começou a sua afirmação na Europa em Novembro, com um emocionante triunfo, por 5-4, frente ao campeão espanhol, El Pozo Murcia FS e, na sexta-feira, defrontará o anfitrião da competição, o Benfica, nas meias-finais marcadas para o Pavilhão Atlântico. Vampeta, melhor marcador da presente temporada, com dez golos, incluindo o recorde de oito num só jogo (goleada por 10-0 sobre o MVFC Berettyóújfalu), mal pode esperar.

"Jogar nesta fase final é uma honra para nós e para todo o futsal italiano. A caminhada até aqui foi longa, os meus companheiros e eu ultrapassámos obstáculos exigentes. Agora, temos de provar que merecemos aqui estar, tendo os olhos postos no objectivo mais alto", indicou Vampeta.

Já por duas vezes o Luparense ficou pelo caminho na ronda de elite. Há duas épocas, terminou invicto, mas foi afastado após um empate com o Benfica. "Estávamos a ganhar 2-0, mas eles são uma boa equipa e experiente e conseguiram um empate 2-2. Desta vez, será completamente diferente", asseverou o capitão do Luparense.

Vampeta, o jogador mais experiente do Luparense, com 25 anos, reconhece que "é esperado" que o Benfica ganhe, aproveitando o factor-casa, mas indica que a sua maior vantagem é contar nas suas fileiras com o talento de Ricardinho, recuperado de uma lesão que o impediu de participar no Campeonato da Europa de Futsal, que teve lugar em Janeiro. "Ele é o seu melhor jogador, tem técnica e classe. Ricardinho não pode ganhar jogos sozinho. Precisa da ajuda do resto da equipa".

Fora do rinque, o Luparense também sofreu alterações na presente temporada. Jesús Velasco, o mais bem-sucedido treinador do futsal italiano, deixou o clube no Verão, tendo sido rendido por Federico Montaldo Vidal, que dirigiu a equipa até depois da ronda de elite, antes de, em Janeiro, ter sido demitido e dado lugar a outro espanhol, Sito Rivera. "É claro que mudámos a forma como jogamos. No passado, fomos mais agressivos, enquanto agora somos mais tácticos. Vidal esteve bem no Luparense e deu o seu contributo para o apuramento para a fase final, mas agora é Rivera o treinador e temos de seguir as suas indicações", assegura Vampeta.

Após a saída no Verão de Jesús Velasco, o presidente do Luparense, Stefano Zarattini, contratou Federico Montaldo Vidal, que apurou a equipa para a "final four". Contudo, foi demitido em Janeiro e substituído pelo compatriota Rivera.

"É claro que mudámos a forma de jogar. No passado éramos mais agressivos, enquanto agora os nossos jogos são mais tácticos. Vidal fez um bom trabalho no Luparense e teve o seu contributo para que atingíssemos este objectivo, mas agora está cá Rivera e temos de seguir os seus planos", reforçou Vampeta.

Seleccionados para si