O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Sevilha catapulta Espanha

A vitória do Sevilha, em Hampden Park, no desempate por grandes penalidades, frente ao Espanhol, deu a Espanha o quinto triunfo na prova e o terceiro nas últimas quatro épocas.

A vitória do Sevilla FC em Hampden Park, no desempate por pontapés da marca de grande penalidade, frente ao RCD Espanyol, na final da Taça UEFA, deu a Espanha o quinto triunfo na prova e o terceiro nas últimas quatro épocas.

Magistral Madrid
As primeiras cinco finais da Taça UEFA não tiveram qualquer representante espanhol. Em 1977, o Athletic Club Bilbao tornou-se na primeira equipa de Espanha a participar na decisão a duas mãos, mas perdeu para a Juventus no desempate por golos marcados fora de casa, após um empate total de 2-2. Foram necessários mais oito anos para que o troféu fosse finalmente conquistado por uma formação espanhola, com o Real Madrid CF a terminar com um jejum de 19 anos sem qualquer troféu europeu, com um triunfo por 3-0 no terreno dos húngaros do Videoton FCF a estar na origem de uma vitória total por 3-1. O Real Madrid manteria o troféu no Estádio Santiago Bernabéu, pois, na temporada seguinte e após nova excelente partida na primeira mão, venceu por 5-1 em casa frente ao 1. FC Köln, tornando a derrota por 2-0 em Colónia irrelevante.

Reveses na final
Dois anos depois, foi a vez do Espanhol. Parecia que o troféu iria para Espanha pela terceira vez, após um triunfo em Barcelona, por 3-0, na primeira mão da final frente ao Bayer 04 Leverkusen. Contudo, a formação germânica anulou a desvantagem em Leverkusen, vencendo por igual resultado, com todos os golos a serem marcados na segunda parte. A decisão transitou para o prolongamento e daí para as grandes penalidades, onde os germânicos venceriam por 3-2. Este desaire constituiria o ponto de partida de um período negro para os representantes espanhóis na prova, que só atingiriam uma final 13 anos depois, em 2001, através do Deportivo Alavés, que defrontaria o Liverpool FC. Mas, apesar de uma exibição de raça, que viu a formação de Vitória recuperar de desvantagens em duas ocasiões, seriam os “reds” a triunfar, por 5-4, mercê de um “golo dourado” de Delfí Gelí na própria baliza, quando estavam decorridos 116 minutos.

Sucessos recentes
Em 2004, a história foi diferente, pois o Valencia CF tornou-se na segunda equipa espanhola a conquistar o troféu, dando o terceiro triunfo total ao país, mercê de uma vitória, por 2-0, frente ao Olympique de Marseille. Terminado um hiato de 18 anos sem uma equipa espanhola no pódio, eis que se seguiu, duas épocas depois, o quarto sucesso de um conjunto de Espanha, com o Sevilha a esmagar o Middlesbrough FC, por 4-0, na final da época passada, em Eindhoven. Agora, o Sevilha repetiu o feito, sendo o terceiro clube da Primera División a vencer a prova e, com três semifinalistas na presente temporada, Espanha parece pronta a desfrutar semelhante domínio no futuro. Itália continua a ser o país dominante da prova, com nove sucessos, mais três que Alemanha e Inglaterra, ao passo que a Espanha ocupa a quarta posição nesse ranking particular, mas estará bem mais confiante quanto a futuros sucessos.