O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Triunfo delicia avançados

Luís Fabiano e Frédéric Kanouté mostravam-se extremamente bem-dispostos depois de a sua equipa ter conseguido revalidar a conquista da Taça UEFA, com uma vitória sobre o Espanhol.

Os avançados do Sevillla FC, Luís Fabiano e Frédéric Kanouté, mostravam-se extremamente bem-dispostos depois de a sua equipa ter conseguido defender com êxito a conquista da Taça UEFA, graças a uma épica vitória sobre o RCD Espanyol.

"Sentimento muito bom"
Ambos os jogadores marcaram na final da época passada, quando o clube andaluz conquistou o seu primeiro título europeu após bater o Middlesbrough FC, e Kanouté parecia ter decidido também a final da edição deste ano, ao colocar o Sevilha a vencer por 2-1 no último remate da primeira parte do prolongamento, com o adversário já reduzido a dez unidades. O Espanhol, contudo, recusou-se a baixar os braços e Jônatas voltou a restabelecer a igualdade aos 115 minutos, mas o Sevilha manteve a calma e acabou por vencer por 3-1 no desempate por grandes penalidades. "Conquistar este troféu duas temporadas seguidas é um sentimento muito bom", garantiu o antigo dianteiro brasileiro do FC Porto, Fabiano, ao uefa.com. "Apenas o Real Madrid CF alcançou este feito no passado, pelo que foi uma vitória muito importante para nós".

"Algo inacreditável"
O golo de Kanouté foi o seu quarto na competição esta temporada e, depois de ter marcado quer na final da época passada contra o Middlesbrough, quer no triunfo sobre o FC Barcelona na SuperTaça Europeia, em Agosto último, o avançado provou que gosta de aparecer nos grandes momentos. "Alcançámos hoje algo de inacreditável", afirmou ao uefa.com. "Poucos clubes conseguiram o que nós alcançámos e estou muito feliz por isso. Esta final foi muito difícil, bem mais complicada do que a da época passada, e todos tivemos de lutar bastante para voltar a conquistar o troféu. Talvez até estejamos mais felizes este ano do que na temporada passada, porque repetir o êxito da última época foi ainda mais difícil. É um sentimento muito especial para todos nós".

Palop, o herói
O Sevilha venceu por 4-0 na final da época passada, disputada em Eindhoven, mas desta feita foi obrigado a lutar até ao fim por um determinadíssimo e incansável Espanhol, que conseguiu empatar a partida por duas ocasiões e foi apenas parado por uma exibição de sonho do guarda-redes Andrés Palop, que, no desempate por pontapés da marca de grande penalidade, defendeu os penalties batidos por Luis García, Jônatas e Marc Torrejón. "Palop foi um jogador determinante para nós esta noite", admitiu Fabiano. "Ao defender o primeiro penalty deixou tudo bem mais fácil para os jogadores da nossa equipa que iam cobrar as grandes penalidades. Tivemos oportunidades para vencer o jogo com maior tranquilidade, mas estava escrito que não iria ser assim. Eles marcaram perto do final e tivemos de ir a penalties. Aí passou-nos muita coisa pela cabeça, mas no final conseguimos voltar a vencer a Taça UEFA".