Escolhas da fase de grupos

André Villas-Boas e as eliminações do Atlético, detentor do troféu, e da Juventus são alguns dos destaques do UEFA.com na fase de grupos da UEFA Europa League.

Edinson Cavani e o Nápoles estiveram em destaque na fase de grupos
Edinson Cavani e o Nápoles estiveram em destaque na fase de grupos ©Getty Images

O balanço não é fácil, pois a UEFA Europa League teve 144 jogos e 390 golos, mas o UEFA.com destaca alguns dos factos mais importante da fase de grupos da edição de 2010/11.

Campeão eliminado
O troféu deste ano vai receber o nome de um novo vencedor, pois o Club Atlético de Madrid, detentor do troféu, não conseguiu ultrapassar a primeira barreira e ficou no terceiro lugar do Grupo B. A equipa de Simão Sabrosa e Tiago nunca conseguiu recuperar da derrota com o Aris Thessaloniki FC na primeira jornada e o destino dos espanhóis ficou traçado com a derrota na recepção aos gregos, na quinta jornada, quando Nikos Lazaridis marcou o golo do triunfo histórico dos visitantes, por 3-2, nos minutos finais. Este desaire obrigava o Atlético a bater na última jornada o Bayer 04 Leverkusen, vencedor do agrupamento, e a esperar que o Aris, sem perder em casa há 25 jogos nas competições europeias, tivesse um deslize na recepção ao Rosenborg BK, mas nada isto aconteceu.

Velhas glórias
Outros vencedores recentes tiveram mais sucesso. O FC Zenit St Petersburg, vencedor da Taça UEFA em 2008, foi a única equipa a ganhar todos os jogos, enquanto o rival do PFC CSKA Moskva só não repetiu a proeza porque facilitou na recepção ao AC Sparta Praha, na sexta jornada. A formação de Moscovo é uma das equipas que não sofreu derrotas na prova, a par de Zenit, FC Porto, Paris Saint-Germain FC, Liverpool FC, PSV Eindhoven, Leverkusen e a Juventus, eliminada depois de se tornar na segunda equipa da história a empatar todos os jogos na fase de grupos de uma prova da UEFA.

Recuperações notáveis

Os empates foram pouco frequentes, mas não faltaram desfechos emocionantes, especialmente quando a equipa do SSC Napoli estava em campo. Os italianos conseguiram empatar em casa do FC Utrecht depois de terem estado a perder por 3-1, mas a melhor recuperação aconteceu frente ao FC Steaua Bucureşti. Na segunda jornada, a equipa treinada por Marius Lăcătuş só precisou de 16 minutos para amealhar uma vantagem de 3-0, mas os romenos ficaram reduzidos a dez elementos e o Nápoles aproveitou para recuperar, com Edinson Cavani a fazer o 3-3 aos 98 minutos. O uruguaio repetiu a proeza no período de compensação da sexta jornada, na qual a equipa da Sicília destronou o Steaua de uma vaga nos 16 avos-de-final.

Prenda doce
O Nápoles não tem o exclusivo dos empates a três golos. O FC Lausanne-Sport, da segunda divisão da Suíça, empatou 3-3 em casa do Sparta, enquanto um “hat-trick" de Artjoms Rudņevs permitiu ao KKS Lech Poznań empatar no reduto da Juventus num jogo que teve seis golos. O jogador de 22 anos reforçou a sua cotação ao voltar a marcar no empate entre os dois emblemas na quinta jornada. O Lech deixou pelo caminho a Juve, mas Semir Štilić, autor do canto que deu origem ao tento de Rudņevs em Poznan, não estava satisfeito: "O Artjoms não me agradeceu o cruzamento, mas fico à espera de uma prenda. Um bolo não era má ideia."

O novo Mourinho

Há oito anos, um jovem treinador português causou sensação no futebol europeu ao levar o FC Porto à conquista da Taça UEFA, após triunfar por 3-2 na final frente ao Celtic FC, numa época em que o clube português venceu três competições. José Mourinho não parou de vencer desde então. André Villas-Boas trabalhou com Mourinho e recusa comparações mas, aos 33 anos, está a ter um início de carreira fulgurante no Estádio do Dragão. O treinador assumiu o comando da equipa em Junho e conduziu o FC Porto à liderança do campeonato e aos 16 avos-de-final da UEFA Europa League sem derrotas. Para este trajecto, aliás invicto em todas as provas, contribuiu Radamel Falcao, melhor marcador da prova com sete golos.

Mudanças de Outono
Continuando a falar de treinadores, sete clubes decidiram trocar de técnico durante a fase de grupos e quatro continuam em prova. Sevilla FC, VfB Stuttgart, FC Dynamo Kyiv e PAOK FC (de Vieirinha) conseguiram ultrapassar os problemas de Outono e as dificuldades nos respectivos campeonatos ao garantirem a continuidade nas provas na UEFA em 2011. Dos três que ficaram pelo caminho, merece destaque a infelicidade de Lăcătuş, no Steaua, e a eliminação do AEK Athens FC, devido ao confronto directo. Milen Radukanov foi o quinto treinador a liderar o PFC CSKA Sofia esta época e no primeiro jogo conseguiu levar a equipa búlgara, que ainda não tinha pontuado, a bater o SK Rapid Wien por 2-1.

Capitão Maravilha
Steven Gerrard não precisa de apresentações, pois já disputou mais de 100 jogos nas competições europeias de clubes, mas o que mais impressiona no médio inglês é a capacidade de motivar recuperações sensacionais do Liverpool FC em alturas em que a equipa parece moribunda. O clube onde actua Raul Meireles parecia condenado ao fracasso, quando perdia com o Nápoles ao intervalo do encontro em Anfield, mas o capitão entrou em campo para efectuar o seu único jogo no Grupo K e, no final do encontro, saiu de campo com a bola debaixo do braço após marcar um "hat-trick” e garantir a qualificação dos "reds". Podem contar com novas proezas de Gerrard em 2011.