Sevilha mais feliz bate Benfica

Sevilla FC 0-0 SL Benfica (ap, Sevilha vence 4-2 nos penalties)
Beto defendeu dois penalties antes de Kevin Gameiro condenar o Benfica à segunda derrota seguida na final e confirmar o terceiro triunfo do Sevilha.

Os jogadores do Sevilha festejam após vencer o troféu
Os jogadores do Sevilha festejam após vencer o troféu ©UEFA.com

O SL Benfica perdeu a final da UEFA Europa League frente ao Sevilla FC no desempate por grandes penalidades, por 4-2, no Estádio da Juventus, em Turim.

Finalista vencido no ano passado, o Benfica não conseguiu desfazer o nulo em 120 minutos frente ao Sevilha. Na decisão por grandes penalidades, o guarda-redes português Beto defendeu as tentativas de Óscar Cardozo e Rodrigo, antes de Kevin Gameiro confirmar o terceiro triunfo dos espanhóis na prova - igualou o recorde de após as vitórias em 2006 e 2007, esta última também ganha nos penalties frente aos compatriotas do RCD Espanyol.

Com ambiente fantástico nas bancadas, o primeiro lance de perigo pertenceu ao Benfica, aos 13 minutos. Ezequiel Garay esteve perto do golo, depois de Beto ter afastado para os seus pés um livre do lado direito, mas permitiu a emenda de Nicolas Pareja para canto. Aos 24 minutos, os "encarnados" sofreram uma contrariedade, já que Miralem Sulejmani saiu devido a lesão num ombro. André Almeida entrou e passou a actuar como lateral-direito, enquanto Maxi Pereira subiu na ala.

Os sevilhanos estiveram perto do golo, aos 38 minutos, após lance de insistência. A bola chegou aos pés de Carlos Bacca, mas Luisão importunou a acção do avançado colombiano e afastou o perigo. No minuto seguinte, o capitão dos "encarnados" correspondeu a um canto de Gaitán mas o cabeceamento do central brasileiro saiu por cima. Sobre o intervalo Maxi Pereira desperdiçou a melhor oportunidade para o Benfica, após cruzamento de Siqueira. O uruguaio ficou na cara de Beto mas permitiu a intervenção do guarda-redes luso. No seguimento da jogada Rodrigo disparou em força mas Beto voltou a brilhar.

A abrir o segundo tempo, o conjunto português desperdiçou uma soberana ocasião de golo, por intermédio de Lima, após passe de Maxi Pereira, quando Pareja efectuou o corte decisivo com a bola a encaminhar-se para o fundo das redes. Aos 52, o Sevilha respondeu com muito perigo. Rakitić isolou Reyes e o disparo do espanhol saiu muito perto do poste direito da baliza de Oblak.

Numa segunda parte electrizante, de parada e resposta, o Sevilha voltou a criar perigo aos 61 minutos. Reyes disparou de primeira, após cruzamento do lado direito, mas Oblak estava atento e defendeu a dois tempos, numa fase de domínio espanhol. Em contra-ataque, aos 71, Lima esteve novamente perto do golo mas atrapalhou-se na hora do remate, após cruzamento de Maxi e o lance acabou por perder-se.

Aos 79 foi a vez de Rodrigo enjeitar uma boa oportunidade, após combinação com Lima, antes do dianteiro brasileiro rematar de longe e Beto efectuar uma defesa fantástica para canto. Depois foi a vez de Garay desperdiçar duas ocasiões, ao cabecear por cima com Beto batido e num remate em moinho que levou a mesma direcção.

Com o empate a persistir até aos 90, o jogo prosseguiu para prolongamento. Beto defendeu para a frente um livre de Lima e ninguém do Benfica conseguiu a emenda mas, do outro lado, Bacca, errou o alvo perante Oblak bem desmarcado por Rakitić. Recém-entrado no Sevilha, Kevin Gameiro atirou à malha lateral da baliza do Benfica e o desempate ficou mesmo para as grandes penalidades, fase em que Beto brilhou.