O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Koke orgulhoso do Aris

O capitão do Aris, Sergio Koke, não escondeu o orgulho pela equipa grega ter batido o Atlético por 3-2 e estar em boa posição para seguir em frente, enquanto o detentor do troféu corre o risco de ser eliminado.

Sergio Koke marcou dois golos pelo Aris
Sergio Koke marcou dois golos pelo Aris ©Getty Images

O avançado Sergio Koke, do Aris Thessaloniki FC, considera que "só uma catástrofe" pode impedir o conjunto da Grécia de passar aos 16 avos-de-final da UEFA Europa League a expensas do detentor do troféu, o Club Atlético de Madrid, que, na quarta-feira, não conseguiu evitar o segundo desaire ante o clube de Salónica treinado por Hector Cúper.

Os gregos já tinham batido a equipa de Simão Sabrosa e Tiago, por 1-0, na jornada inaugural e desta vez foram ao Vicente Calderón triunfar por 3-2, beneficiando de um bis de Koke e do golo de Nikos Lazaridis a estabelecer o resultado final nos últimos minutos.

Este resultado deixou as duas equipas com os mesmos pontos, mas o Aris tem vantagem no confronto directo, pelo que pode abordar a última jornada com relativa tranquilidade, pois defronta o já eliminado Rosenborg BK e apenas precisa de igualar o resultado do Atlético, que na derradeira ronda mede forças com o Bayer 04 Leverkusen, primeiro classificado do Grupo B.

"Estou muito orgulhoso da nossa exibição", explicou Koke ao UEFA.com no final do encontro. "Estou muito feliz pela nossa vitória e, claro, pelos golos que marquei. A minha família e os meus amigos estavam a ver o jogo, o que tornou tudo ainda mais especial."

O atacante, de 27 anos, começou a carreira no Málaga CF, cidade de onde é natural, tendo depois passado pelo Olympique de Marselha e pelo Sporting, antes de assinar pelo Aris em 2006. "É sempre bom regressar a Espanha para jogar", reconheceu Koke. "Mas depois de falar com a minha família, só vou pensar na recepção ao Rosenborg, a 16 de Dezembro."

Enquanto isso, o desiludido capitão do Atlético, Antonio López, reconheceu que "antes do pontapé-de-saída ninguém pensava na hipótese de perder este jogo. Estamos todos muito tristes, mas o futebol é assim. Nunca conseguimos controlar o encontro, nem quando estivemos em vantagem e não conseguimos reagir quando eles fizeram o terceiro golo. Tudo o que nos resta agora é ganhar na Alemanha e fazer figas para que o Aris não vença na última jornada. Vamos ver o que acontece."