O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Poulsen elogia adeptos

O médio Christian Poulsen atribui mérito aos adeptos na vitória do Sevilha em Glasgow, frente ao Espanhol. "Foi como termos os adeptos da casa pelo nosso lado".

Os jogadores do Sevilla FC foram unânimes nos elogios aos seus adeptos, depois de terem convivido bem com a presssão da decisão por grandes penalidades. Os andaluzes tornam-se apenas na segunda equipa na história da Taça UEFA a conquistar o troféu em duas épocas consecutivas, batendo os compatriotas do RCD Espanyol na noite de quarta-feira, em Glasgow.

Ao ritmo dos adeptos
Pintado de vermelho, branco e azul, as cores de Sevilha e Espanhol, respectivamente, o Hampden Park foi palco de um duelo intenso. À medida que o encontro evoluiu, a tensão subiu em flecha, acompanhada pelo índice de decibéis. "Foi como termos os adeptos da casa pelo nosso lado", descreveu o extasiado Christian Poulsen, num sentimento partilhado pelo seu companheiro de equipa Antonio Puerta: "Os adeptos devem ter ficado loucos. Estivemos tanto tempo sem um troféu europeu e, de repente, conquistámos dois em outros tantos anos. É incrível".

O trabalho compensa
Poulsen e Puerta terminaram ambos a partida a jogar as posições diferentes das que tinham ocupado no início do encontro, como consequência da estratégia do treinador do Sevilha, Juande Ramos, para controlar a reacção de um ressuscitado Espanhol. Poulsen passou a ocupar o posto de defesa-central na segunda parte, enquanto Puerta derivou da asa direita para o centro. O jovem médio, de 22 anos, considera que o sucesso andaluz resulta do esforço e dedicação colocados ao serviço da equipa. "Os jogadores ficam felizes com todos os troféus que conquistam, já que nestas alturas percebemos quanto trabalhámos para os vencer", explica. "Recordamos tudo o que está para trás, todas as viagens realizadas e sentimos que valeu a pensa. Erguer o troféu é apenas a ponta do iceberg".

Tenacidade do Espanhol
O defesa-direito Daniel Alves elogiou a postura do Espanhol, que nunca baixou os braços e conseguiu recuperar de duas desvantagens, primeiro conduzindo a decisão para o prolongamento e, depois, para as grandes penalidades, quando Jônatas igualou (2-2) a cinco minutos do fim, não obstante a sua equipa estar reduzida a dez jogadores. "Eles nunca atiraram a toalha ao chão", observou. "Tratava-se de uma final, pelo que as equipas continuam a lutar até ao derradeiro instante. Foi complicado, mas o facto de termos sido obrigados a lutar tanto torna a vitória ainda mais saborosa".

Alegria de Poulsen
Daniel Alves integrava o conjunto que arrecadou a competição na temporada transacta e o que revalidou a conquista 12 meses depois. No entanto, Poulsen é um dos jogadores que chegaram ao clube esta época, proveniente do FC Schalke 04, e não escondeu a satisfação por, desta vez, estar do lado dos vencedores. "Perdi com o Sevilha nas meias-finais da época passada, ao serviço do Schalke, mas desta vez conquistei a competição com eles e a sensação é fantástica", confessou o dinamarquês.

"Impulso"
Após as celebrações na Europa, as atenções voltam-se para as provas internas, onde os andaluzes continuam envolvidos na luta pelo título e têm presença assegurada na final da Taça de Espanha. Daniel Alves acredita que o triunfo na Taça UEFA reforça a confiança para a frente interna. "Esta vitória é um tremendo impulso e lutaremos até ao fim para vencer outro troféu", garantiu, antes de voltar a direccionar o pensamento para a grande vitória de Glasgow: "Quero felicitar os jogadores e todas as pessoas ligadas ao Sevilha que, de alguma forma, nos apoiaram. Os adeptos também foram vencedores".