O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Van der Sar pronto para os passos finais

Edwin van der Sar espera brilhar frente a um adversário seu contemporâneo, Raúl González, e continuar na senda de um final de sonho para a sua ilustre carreira.

Edwin van der Sar no treino do Manchester United em Gelsenkirchen
Edwin van der Sar no treino do Manchester United em Gelsenkirchen ©Getty Images

Alex Ferguson respondeu, em tom de brincadeira, "não sei de nada", quando questionado por um jornalista local sobre o veiculado interesse na contratação do guarda-redes do FC Schalke 04, Manuel Neuer, mas por trás de alguns sorrisos reside uma questão bem séria: como irá o treinador escocês encontrar um substituto para Edwin van der Sar este Verão?

A campanha europeia do Manchester United FC na presente temporada tem tido por base a solidez defensiva, não tendo os actuais líderes da Liga inglesa sofrido ainda qualquer golo em jogos fora e com Van der Sar, mais seguro do que nunca aos 40 anos, a ser peça fulcral para tal registo.

O guardião holandês, que irá abandonar os relvados no final da temporada, voltou a mostrar que a idade pouco importa, no passado sábado, na vitória por 1-0 do United sobre o Everton FC, ao efectuar uma excelente defesa com a ponta dos dedos que evitou que os visitantes ganhassem vantagem por intermédio de Jack Rodwell, com o resultado ainda em 0-0. Essa defesa ajudou a turma de Manchester a somar nova vitória, que a deixa bem encaminhada rumo ao título, que significará uma despedida perfeita para Van der Sar, com a conquista do quarto Ligas inglesas, a somar às quatro Ligas holandesas que venceu com a camisola do AFC Ajax.

Mas as coisas poderão ser ainda melhores, e o veterano guardião poderá mesmo, nesta que será a sua última presença na UEFA Champions League, imitar o que fez na temporada de estreia, em 1994/95, quando ergueu o troféu, então ao serviço do Ajax. Trata-se de um desafio aliciante para Van der Sar, à partida para a sua sétima presença em meias-finais da UEFA Champions League, e este fez questão de se mostrar com os pés bem assentes na terra, tão comum aos holandeses, ao reflectir sobre o final desta sua tão ilustre carreira desportiva.

Recusando a ideia de que se poderá sentir tentado a repensar a sua despedida dos relvados, afirmou: "Não sei, para já estou a desfrutar estes últimos jogos. É sempre agradável jogar por uma equipa que ganha, e é isso que temos feito ultimamente. Se tudo correr bem, vamos continuar assim nos jogos que restam até ao final da temporada. Tive uma carreira bem razoável até ao momento, e gostava de a ver terminar de forma positiva."

Chamar "razoável" à carreira de Van der Sar, herói maior do United no triunfo na final de 2008, após grandes penalidades, é o mesmo que dizer que Raúl González é apenas um avançado mediano. A verdade é que o embate entre estes dois veteranos de ouro - dois dos melhores jogadores da história da era moderna da UEFA Champions League - poderá ser um duelo particular bem interessante na partida desta terça-feira.

Raúl González apontou já 71 golos na UEFA Champions League, mas nunca conseguiu marcar a Van der Sar na prova. Os dois estiveram frente-a-frente no Outono de 1995, quando o guardião do Ajax manteve as suas redes intactas nos dois triunfos da sua equipa na fase de grupos sobre um Real Madrid CF onde pontificava Raúl, então ainda com apenas 18 anos.

Dezasseis anos depois, Raúl e Van der Sar voltarão a defrontar-se e o holandês fez questão de elogiar o espanhol, ao alertar os defesas do United para estarem particularmente atento às movimentações do avançado de 33 anos, que com cinco golos já marcados na prova contribuiu significativamente para a caminhada do Schalke rumo à sua primeira presença em meias-finais.

"Considero, naturalmente, que Raúl é um jogador fantástico," referiu Van der Sar, que soma um total de 53 jogos sem sofrer golos na UEFA Champions League. "Disputou muitos jogos ao mais alto nível pelo Real Madrid, pelo qual marcou imensos golos, e é o melhor marcador de sempre da Champions League. É um daqueles jogadores dos quais não se pode desviar o olhar por um mero segundo, pois é bastante perigoso e precisa apenas de uma pequena oportunidade para fazer um golo. A nossa defesa terá de estar extremamente atenta quando jogar contra ele."

Conteúdos relacionados