Fase de grupos com caras novas

Três dos semifinalistas da época passada estão entre as 12 equipas da fase de grupos com novos treinadores na presente campanha e o UEFA.com aborda a sua experiência europeia.

Josep Guardiola é agora o treinador do Bayern após cumprir um ano sabático
Josep Guardiola é agora o treinador do Bayern após cumprir um ano sabático ©AFP/Getty Images

Carlo Ancelotti (Real Madrid CF)
Duas vezes vencedor da competição, enquanto jogador, pelo AC Milan, em 1988/89 e 1989/90, Carlo Ancelotti somou mais dois títulos, como treinador, no clube “rossoneri”, em 2002/03 e 2006/07 Teve a possibilidade de conseguir o terceiro mas a notável recuperação do Liverpool FC, na final de 2005, não o permitiu. Recentemente, Ancelotti, de 54 anos, não foi além dos quartos-de-final na UEFA Champions League ao leme do Chelsea FC e do Paris Saint-Germain FC.

Rafael Benítez (SSC Napoli)
Vencedor da Taça UEFA pelo Valencia CF em 2004, o técnico espanhol de 54 anos tem um lugar especial na história da UEFA Champions League ao liderar o Liverpool na reviravolta mais espectacular numa final da competição. Depois do famoso sucesso nos penalties contra o Milan em 2005, quando os “Reds” ergueram o troféu em Istambul, após estarem a perder 3-0 ao intervalo, Benitez ajudou o Liverpool a chegar a nova final dois anos mais tarde. Desta feita, contudo, foram os “Rossoneri” quem ganhou, por 2-1. No ano seguinte foram semifinalistas derrotados pelo Chelsea, clube que Benitez guiou à glória na UEFA Europa League em 2013.

Laurent Blanc (Paris Saint-Germain FC)
Após Laurent Blanc ser campeão da Ligue 1 pelo FC Girondins de Bordeaux, em 2009 – chegando no ano seguinte aos quartos-de-final da UEFA Champions League – na sua estreia no banco, foi rapidamente encaminhado para seleccionador de França. Aos 47 anos, possui as qualidades para render Ancelotti no clube da capital francesa, com o PSG na expectativa de alcançar o sucesso a nível nacional e internacional depois do investimento vultuoso feito este Verão.

Paulo Fonseca (FC Porto)
Ainda que com apenas 40 anos, recebeu o prestigiado lugar após uma temporada histórica no comando do FC Paços de Ferreira, levando a equipa nortenha a um inédito terceiro lugar na liga portuguesa com acesso ao “play-off” da UEFA Champions League. O treinador português, antigo defesa-central, está determinado em seguir as pisadas dos seus antecessores José Mourinho, André Villas-Boas e Vítor Pereira. Sem experiência nas competições europeias, Fonseca terá um trabalho árduo quando o Porto iniciar a sua participação na fase de grupos.

Josep Guardiola (FC Bayern München)
Vencedor da Taça dos Campeões Europeus pelo FC Barcelona nos seus tempos de futebolista, Josep Guardiola deu os primeiros passos na irmandade dos treinadores no Barcelona B. O homem conhecido por “Pep” foi promovido à primeira equipa em 2008 e, na primeira época, ganhou a UEFA Champions League, a liga espanhola e a Taça do Rei. Seguiu-se, dois anos depois, outro triunfo na UEFA Champions League antes de, em 2012, ter pedido para sair argumentando precisar de recarregar baterias. Aos 42 anos tem por missão melhorar o sucesso total do Bayern na última época – em que conquistou os três troféus sob o comando de Jupp Heynckes – uma tarefa difícil mesmo para um treinador com o currículo de Guardiola.

Gerardo Martino (FC Barcelona)
Sucessor de Tito Vilanova, que abandonou devido a doença, a primeira glória de Gerardo Martino enquanto treinador surgiu com a conquista dos títulos de campeão no Paraguai, pelo Club Libertad e Club Cerro Porteño. Posteriormente, levou a selecção nacional paraguaia ao Campeonato do Mundo 2010 antes de alcançar o sucesso na Argentina pelo Newell Old Boys, em 2013.

Jose Mourinho (Chelsea FC)
O técnico de 50 anos tem uma relação amorosa com a competição desde que guiou o FC Porto ao título na sua primeira tenativa, em 2004. E chegou muito perto no seu período inicial no Chelsea, atingindo por duas vezes as meias-finais mas, para voltar a estar numa final, teve de esperar seis anos e pela transferência para o FC Internazionale Milano antes de voltar a por as mãos no troféu. Foi o seu último acto enquanto treinador do clube milanês, após o que transitou para o Real Madrid, aonde atingiu três meias-finais consecutivas, igualando o registo de Sir Alex Ferguson de quatro em sete presenças. Mourinho regressou ao Chelsea em Junho.

David Moyes (Manchester United FC)
Substituir o inigualável que Sir Alex foi sempre vai ser um grande desafio para o United e a escolha de Moyes - um homem cuja experiência na UEFA Champions League remonta a 2005/06 quando disputou a terceira pré-eliminatória com o Everton FC – fez levantar alguns sobrolhos. Aos 50 anos, Moyes estará em território desconhecido e rodeado por uma expectativa sem precedentes, assim que a fase de grupos se iniciar.

Manuel Pellegrini (Manchester City FC)
O homem apelidado de "O Engenheiro" foi chamado no meio de Junho para corrigir os males do City. Substituindo no cargo Roberto Mancini, a abordagem imparcial de Pellegrini deve ser a ideal para rentabilizar o talento à sua disposição. Pellegrini, de 59 anos, mostrou-se um mestre do improviso no Málaga CF, na última época, caindo apenas nos quartos-de-final na época de estreia na UEFA Champions League.


Outros treinados estreantes:
Ståle Solbakken (FC København)
Jagoba Arrasate (Real Sociedad de Fútbol)
Nenad Bjelica (FK Austria Wien)