O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Quarteto reflecte no adeus à prova

Terminada a fase de grupos, Azerbaijão, República Checa, Eslovénia e Turquia regressam a casa e o UEFA.com foi ouvir o balanço que as quatro selecções fazem da presença no Futsal EURO 2012.

O checo Lukáš Rešetár não escondeu o seu desapontamento
O checo Lukáš Rešetár não escondeu o seu desapontamento ©Sportsfile

Os quartos-de-final do UEFA Futsal EURO 2012 arrancam na segunda-feira, mas quatro selecções ficaram já pelo caminho na fase de grupos.

Azerbaijão, Eslovénia e Turquia, com duas derrotas em dois jogos, tinham-se já quedado pelos terceiros lugares dos respectivos agrupamentos, e a República Checa seguiu-lhes o exemplo no sábado, ao sofrer igualmente o segundo desaire em duas partidas. Estes quatro países entraram em prova com diferentes expectativas: se a Eslovénia nunca somou qualquer vitória em jogos de fases finais e a Turquia fez a estreou-se em grandes competições, Azerbaijão e República Checa tinham sido semifinalistas em 2010. Mas, para todos, é agora tempo de olhar em frente.

No que diz respeito ao Azerbaijão, uma derrota por 4-1 no primeiro jogo, frente a Portugal, foi decepcionante e o desaire por 9-8 diante da Sérvia, num encontro de cortar a respiração, quebrou o coração de uma selecção que há dois anos, na Hungria, encantou os amantes do futsal com o seu estilo atractivo de jogo. "Em 2010 jogávamos todos no mesmo clube e isso fez enorme diferença dentro de campo, pois todos nos conhecíamos muito bem e estávamos extremamente bem interligados", explicou Thiago ao UEFA.com.

"Sentimos também a falta do influente Biro Jade [lesionado], o que foi bastante evidente esta noite. Não acredito que tivéssemos sofrido tantos golos se ele estivesse na equipa. Talvez não tenhamos sido suficientemente humildes depois de marcarmos dois golos madrugadores. Devíamos ter continuado a jogar da mesma forma que tínhamos actuado até então: ficar à espera do erro do nosso adversário e marcar em contra-ataque. Foi um adeus muito triste à competição."

Do lado da República Checa, que derrotou o Azerbaijão na luta pelo terceiro posto há dois anos, viu-se também eliminada fruto de derrotas por 3-1 frente à Roménia e 5-4 diante da anfitriã Croácia. Para o seleccionador Tomáš Neumann, o calcanhar de Aquiles dos seus pupilos foi óbvio. "Não marcámos golos suficientes − foi esse o nosso problema", reconheceu. "Criámos muitas oportunidades em ambos os jogos, mas apenas conseguimos marcar quando apostámos no guarda-redes avançado. Na fase de qualificação jogámos muito bem, mas agora não sei por que não conseguimos concretizar as ocasiões de golo que fomos criando."

A Eslovénia deu que falar ao dar muita luta à Espanha, que teve de suar para somar uma vitória por 4-2, mas viu-se depois novamente derrotada por respeitáveis 6-3, com dois golos ao cair do pano, diante de uma Ucrânia muito forte no contra-ataque. Centenas de adeptos eslovenos fizeram a curta viagem desde o seu país até Zagreb para apoiar a selecção e, tal como Azerbaijão e República Checa, a Eslovénia espera agora pelo resultado do sorteio de domingo do "play-off" de apuramento para o Campeonato do Mundo de Futsal, numa eliminatória a duas mãos que ditará a presença ou não na Tailândia, em Dezembro deste ano.

O seleccionador Andrej Dobovičnik afirmou: "Espero que consigamos marcar presença nestas fases finais mais regularmente a partir desta na Croácia. Foi um grande incentivo para os meus jogadores que, como se sabe, não são profissionais. O problema com o futsal na Eslovénia é que não temos muito tempo para nos prepararmos, porque os jogadores tem o seu trabalho do dia-a-dia."

A Turquia não estará no "play-off" de apuramento para o Mundial, mas o desempenho não foi mau para um país que começou a campanha de qualificação para este UEFA Futsal EURO 2012 na fase preliminar e que na Croácia, na fase final, perdeu frente às antigas campeãs Itália e Rússia. "Desde a Turquia, onde jogávamos a fase preliminar, até à Croácia, vejo que alcançámos o mesmo nível de muitas outras selecções europeias", destacou o seleccionador turco, Ömer Kaner.

"Da próxima vez vamos fazer muito melhor, claro, mas dentro de alguns anos, quando voltarmos a esta fase de um Europeu, vamos dar o nosso melhor e vão ouvir falar ainda mais do futsal turco."