Wijnaldum feliz com a bola nos pés

Uma das figuras do torneio até ao momento, o extremo holandês Georginio Wijnaldum fala ao UEFA.com do início da sua carreira, da passagem pela selecção principal e do sorriso que tem no rosto.

Georginio Wijnaldum durante a entrevista que concedeu ao UEFA.com
Georginio Wijnaldum durante a entrevista que concedeu ao UEFA.com ©Sportsfile

O braço direito de Georginio Wijnaldum diz tudo. Adornado com tatuagens com o nome dos vários membros da sua família, é a imagem de um anjo com uma bola na mão que melhor resume este enorme talento de 22 anos. "Sinto-me um felizardo por poder jogar futebol, pois nem toda a gente tem esta oportunidade." Já internacional pela selecção principal da Holanda, o jogador do PSV Eindhoven, um dos melhores marcadores do Campeonato da Europa de Sub-21, faz questão de não esquecer as suas raízes.

UEFA.com: A Holanda tem impressionado com o seu futebol neste torneio. Cor Pot dá-vos a liberdade que necessitam para demonstrarem o vosso valor?

Georginio Wijnaldum: Enquanto equipa, procuramos sempre marcar mais golos e tivemos a felicidade de fazer bastantes nestes dois primeiros jogos. Espero que assim continue. As coisas estão a correr bem, mas é sempre possível fazer melhor. Desde muito jovens que nos habituamos a jogar neste sistema de 4-3-3 nas selecções holandesas, por isso é extremamente fácil para nós actuar desta forma.

UEFA.com: Qual o seu papel na equipa? Fica muitas vezes colado à linha, mas por vezes também surge no apoio ao ponta-de-lança.

Wijnaldum: Sim, aqui tenho actuado como extremo-direito, mas tenho liberdade para vir ao meio e receber a bola. Foi assim que apontei os meus dois golos...recebi a bola e flecti para o centro. Pot quer que nós tentemos o remate sempre que possível.

UEFA.com: Como foi actuar pela selecção principal?

Wijnaldum: Fantástico. É extraordinário estar ao lado de [Robin] van Persie, [Arjen] Robben, [Wesley] Sneijder, [Rafael] van der Vaart e poder aprender com eles. São jogadores com uma enorme experiência, que sabem perfeitamente o que é preciso para ser um grande jogador.

UEFA.com: Olhando agora um pouco para o início da sua carreira...ainda tem o seu primeiro clube, o Sparta Rotterdam, no coração?

Wijnaldum: Claro que sim. Ajudaram-me muito lá, não só no futebol como na escola. E, depois, também o Feyenoord fez muito por mim.

UEFA.com: Sei que, depois, quando trocou o Feyenoord pelo PSV, doou algum dinheiro ao clube. É verdade?

Georginio Wijnaldum no hotel da equipa
Georginio Wijnaldum no hotel da equipa©Sportsfile

Wijnaldum: Eles foram fantásticos comigo e tomaram conta de mim. Por exemplo, a minha mãe vivia em Amesterdão na altura e eu queria tê-la mais perto de mim, em Roterdão. O clube cedeu-lhe uma casa para ela poder vir morar para Roterdão. Por isso, estarei eternamente grato ao Feyenoord.

UEFA.com: Parece que é importante para si jogar futebol sempre com um sorriso na cara...

Wijnaldum: Sim, claro. Adoro futebol e é fundamental para mim ter prazer naquilo que estou a fazer. Quando estou mais feliz é quando estou num campo de futebol, quando tenho uma bola nos pés.

Topo