Feitos da Suíça motivam sentimento de orgulho

A mensagem do médio suíço Fabian Lustenberger é de que "amanhã vamos olhar para trás e sentir orgulho", depois de a sua equipa ter ficado a um pequeno passo de sagrar-se campeã europeia.

Xherdan Shaqiri foi elemento preponderante para a Suíça ao longo do torneio
Xherdan Shaqiri foi elemento preponderante para a Suíça ao longo do torneio ©Getty Images

Existiram sem dúvida sentimentos contraditórios no balneário suíço no rescaldo da derrota deste sábado frente à Espanha, por 2-0, na final do Campeonato da Europa Sub-21.

A equipa de Pierluigi Tami perdeu o seu registo 100 por cento vitorioso em quatro jogos, e com ele o sonho de sagrar-se campeã europeia Sub-21 pela primeira vez. No entanto, apesar de toda a desilusão da derrota em Aarhus, os jogadores também se podem orgulhar daquilo que alcançaram na Dinamarca. Tal como os médios Fabian Lustenberger disseram a propósito da sua condição de finalistas pela primeira vez: "Amanhã vamos olhar para trás, para aquilo que fizemos, e vamos ficar satisfeitos e orgulhosos".

Admir Mehmedi
Não podemos dizer que jogámos bem. Não conseguimos estar ao nível de exibições anteriores. É uma pena. Numa final há sempre um vencedor e um vencido. Hoje ganhou a Espanha, e temos que aceitar isso. No entanto não estivemos assim tão mal, e se virem as estatísticas de posse de bola e remates à baliza, estivemos nivelados, mesmo que não tenhamos conseguido impor o nosso jogo. Mas quanto mais não seja pela segunda parte, a Espanha mereceu vencer. É uma grande desilusão para todos os jogadores, mas a vida continua. Tirando a final, realizámos um grande torneio. Chegámos à, mas infelizmente perdemos. Resta-nos o prémio de consolação dos Jogos Olímpicos.

Mario Gavranović
A Espanha trocou a bola muito bem. Alinhámos com dois avançados na segunda parte e pressionámos. Tentámos chegar ao empate e tivemos oportunidades para isso, mas eles são dignos vencedores. Devemos felicitá-los, mas nós também merecemos elogios. Não penso que tenhamos ficado cansados, mas talvez nos tenha faltado concentração no primeiro golo. Precisávamos de marcar, mas faltou-nos um pouco mais de paciência na forma de jogar. A Espanha trocou muito bem a bola – corremos o mais que podíamos, mas não nos concederam muitas oportunidades. Tivemos alguns lances de bola parada, e se temos marcado talvez as coisas tivessem sido diferentes, mas com o segundo golo tudo acabou.

Yann Sommer
Estamos muito desiludidos. Tivemos algumas boas ocasiões que devíamos ter marcado. Perdemos a final mas estou orgulhoso da minha equipa. No global estivemos bem ao longo de todo o torneio. Em relação ao golo do Thiago Alcántara, eu estava adiantado e ele percebeu isso. Bateu a bola e quando tentei reagir já era tarde. Mas estamos satisfeitos com o desempenho no torneio. Não somos campeões europeus, por isso parabéns à Espanha.

Fabian Lustenberger
Eles foram melhores, praticaram melhor futebol. Apesar de não terem criado as melhores ocasiões de golo, ainda assim mereceram vencer. Como é óbvio, neste momento a desilusão é grande. Mas amanhã vamos olhar para aquilo que fizemos e ficar satisfeitos e orgulhosos.

Xherdan Shaqiri
Na primeira parte respeitámos em demasia a Espanha. Não estivemos à vontade e eles foram capazes de explanar um bom futebol. Na segunda parte jogámos um pouco melhor, mas no fim a Espanha mereceu vencer. Possuímos bons jogadores, por isso não é só quando eu não jogo bem que as coisas não correm bem para a equipa. A equipa é o mais importante.