O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use o Chrome, o Firefox ou o Microsoft Edge.

Shaqiri guia a Suíça pelo "caminho certo"

Líder do Grupo A, a Suíça tem tido vários jogadores em destaque no Europeu de Sub-21, mas ninguém despertou mais a atenção do que o seu organizador de jogo, Xherdan Shaqiri.

Xherdan Shaqiri festeja o golo que marcou pela Suíça frente à Dinamarca
Xherdan Shaqiri festeja o golo que marcou pela Suíça frente à Dinamarca ©Action Images

Há poucas dúvidas sobre quem tem estado, até ao momento, no centro das atenções na selecção da Suíça presente na fase final do Campeonato da Europa de Sub-21 de 2011.

Houve certamente vários executantes merecedores dos maiores encómios nas vitórias sobre a Dinamarca e a Islândia que deixaram a Suíça na liderança do Grupo A, antes da derradeira jornada da fase de grupos, no sábado. No entanto, o principal destaque vai para Xherdan Shaqiri, autor do único golo no triunfo no jogo inaugural frente aos anfitriões da fase final.

O talentoso organizador de jogo do FC Basel 1893 mostrou as suas habilidades com aquele tento – ao ultrapassar a defesa da Dinamarca com uma diagonal antes de finalizar com um remate rasteiro, fora do alcance do guarda-redes. Shaqiri foi distinguido com o Prémio Desportivo Melhor em Campo Carlsberg nessa partida, mas o jovem nascido no Kosovo rejeita a ideia de ser a estrela dos helvéticos.

"Isso talvez seja um pouco prematuro", disse ao UEFA.com no quartel-general da equipa de Pierluigi Tami, em Hobro. "Temos vários bons jogadores, com bastante potencial e também podemos dizer que alguns deles são os melhores jogadores desta fase final. Somos a única selecção que ainda não sofreu qualquer golo e isso mostra que não somos apenas fortes no ataque, mas também na defesa."

Esse esforço defensivo tem realçado, em particular, a capacidade de Yann Sommer entre os postes, enquanto o médio Granit Xhaka – membro da selecção suíça vencedora do Mundial de Sub-17 de 2009 – e o ponta-de-lança Innocent Emeghara, Melhor em Campo frente à Islândia, também são merecedores de elogios. "Há muita gente a subestimar a Suíça", acrescentou Shaqiri. "Mas somos um pequeno país com bons jogadores. Muitos deles jogam no estrangeiro e têm experiência internacional."

Com apenas 19 anos, Shaqiri é o mais experiente de todos. Ganhou dois títulos de campeão suíço ao serviço do Basileia, pelo qual já disputou 61 jogos na Liga helvética e apontou 19 golos. Marcou um tento frente ao Debreceni VSC e ajudou o Basileia a qualificar-se para a UEFA Champions League de 2010/11, além de outro frente à AS Roma na fase de grupos da prova.

Depois, contabiliza 11 internacionalizações e um golo pela selecção principal suíça. Contudo, o seu empenho ao serviço dos Sub-21 não sofre qualquer contestação. "Para mim, sempre foi claro que os Sub-21 vêm antes da selecção principal e que quero ajudar esta equipa. É uma honra para mim jogar pela Suíça em qualquer prova e em qualquer jogo em que o consiga fazer."

Foi certamente uma honra surgir como suplente utilizado pela Suíça no jogo frente às Honduras no Mundial de 2010, a 25 de Junho do ano passado, pelo que Shaqiri deseja estar a jogar 365 dias depois – data da final do Campeonato da Europa de Sub-21. "Estamos no bom caminho", admitiu o médio do Basileia. E ele mais do que ninguém entre os helvéticos.