O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Meléndez satisfeito com o domínio de Espanha

Ginés Meléndez afirmou que a Espanha "esteve fantástica do início ao fim" no triunfo sobre a República da Irlanda, cujo seleccionador, Paul Doolin, ficou rendido à classe espanhola.

Os dois técnicos consideram que Espanha foi muito superior à República da Irlanda
Os dois técnicos consideram que Espanha foi muito superior à República da Irlanda ©Sportsfile

Ginés Meléndez não escondeu a satisfação depois de ver a Espanha dominar a República da Irlanda nas meias-finais do Campeonato da Europa de Sub-19, e garantir um lugar na final com a República Checa. Meléndez, que conduziu o seu país ao triunfo nas últimas três edições da prova, destacou a exibição arrasadora, enquanto o seleccionador irlandês, Paul Doolin, não escondeu a admiração pela selecção que colocou um ponto final na notável caminhada da sua equipa.

Ginés Meléndez, seleccionador de Espanha
Dominámos o jogo do início ao fim. A Irlanda fez aquilo que pôde, melhorou em todos os aspectos. Os meus jogadores fizeram uma exibição fantástica. A Irlanda lutou muito e nunca baixou os braços.

A Irlanda evoluiu muito, é uma equipa bem organizada, que trabalha muito e eliminou a Itália, o que é uma grande proeza. No final do encontro aconteceu algo muito especial. O seleccionador e o director-desportivo da Irlanda vieram ao nosso balneário e felicitaram individualmente todos os nossos jogadores. Nunca tinha visto algo semelhante numa grande competição.

Os checos são um adversário complicado, já os defrontei em várias ocasiões e são uma equipa sempre difícil de bater. Vão voltar a dar luta, mas estamos preparados e vamos estar à altura da ocasião, pois sabemos o que está em jogo.

Paul Doolin, seleccionador da República da Irlanda
Sabíamos que a Espanha tem uma excelente equipa, pois marcaram quatro golos à Bélgica e à Sérvia. Estávamos a jogar bem quando eles fizeram o primeiro golo, mas foi um belo remate, tal como o segundo tento, e isso mudou o encontro.

Quando se compara as duas equipas, podemos constatar que fizemos um excelente jogo. Queríamos dar mais réplica à Espanha, mas eles têm uma equipa fantástica, são a nação mais forte do Mundo da actualidade. São fabulosos física e tecnicamente, desejamos-lhes a melhor sorte. Não é nenhuma vergonha, eles já afastaram grandes potências, pelo que só nos restou dar-lhes os parabéns. A Espanha esteve fantástica, estamos decepcionados, mas não podemos fazer nada.

Para nós foi fantástico chegar às meias-finais. É a primeira vez que a maior parte destes jogadores disputam uma fase final, e também é a minha estreia, pelo que todos aprendemos com esta experiência. Este é o primeiro resultado negativo em 13 jogos, o que não é nada mau. Foi uma grande curva de aprendizagem para nós e esperamos que alguns destes jogadores possam estar de volta no próximo ano. Se me tivessem proposto chegar até às meias-finais, em Outubro, quando assumi o comando da equipa, teria aceite de imediato, mas se me dissessem que seria goleado por 5-0, provavelmente diria que não.