Chelsea exulta por fazer história na Youth League

Adi Viveash, treinador do Chelsea, disse ao UEFA.com que ser "duas vezes campeão europeu é um feito enorme"; Fikayo Tomori e Charlie Colkett também comentaram o sucesso.

O treinador do Chelsea, Adi Viveash ergue pela segunda vez o troféu Lennart Johansson
O treinador do Chelsea, Adi Viveash ergue pela segunda vez o troféu Lennart Johansson ©Getty Images

Adi Viveash, treinador do Chelsea
Foi uma final animada entre duas equipas muito boas que conseguimos vencer no final. Os últimos 25 minutos foram muito desgastantes, estivemos obviamente sob uma enorme pressão, mas os rapazes fizeram o que haviam feito ao longo da competição. Defenderam de forma fantástica e o seu espírito de equipa brilhou – é por isso que foram uns justos campeões.

Vencer a prova uma vez é um grande feito, mas ser capaz de o revalidar é algo muito difícil de o fazer. Fizemos história na prova e ser duplo campeão europeu nesta idade é um feito tremendo para a academia e para o clube.

Tomori desfruta da glória do Chelsea
Tomori desfruta da glória do Chelsea

Fikayo Tomori, goleador do Chelsea
É uma sensação excelente revalidar o título com uma equipa diferente e mais jovem. Regressámos com grande motivação a Nyon e ficámos contentes por ter cumprido a missão. Trabalhámos as bolas paradas nos treinos e sabíamos onde estar dentro da área, mas felizmente a bola caiu junto de mim após um grande cabeceamento do Jake [Clarke-Salter], reagi e atirei para o fundo das redes.

Ter cometido a grande penalidade foi decepcionante para mim, mas felizmente o Brad  defendeu e continuámos em vantagem. A Youth League era a única prova em que ainda não havia feito golos para o Chelsea pelo que estou contente por ter marcado, e logo numa final.

Resumo: Chelsea 2-1 Paris
Resumo: Chelsea 2-1 Paris

Charlie Colkett, capitão do Chelsea e duplo vencedor da UEFA Youth League 
Estou completamente encantado por ter feito história ao vencer dois títulos consecutivos. Sabíamos que iríamos ter que lutar muito na segunda parte – eles são um animal poderoso – mas tínhamos de continuar juntos, manter a nossa fé e construir o resultado, o que fizemos de forma excelente.

O Paris foi ganhando força e confiança, mas depressa reagimos com outro golo para manter o controlo. Estar no banco [pela primeira vez, contra o Swansea, em 9 de Abril], tal como o feito hoje alcançado, foi um dos destaques da minha época.

Viveash: Espírito de equipa foi a chave para o sucesso
Viveash: Espírito de equipa foi a chave para o sucesso