O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Leo radiante celebra vitória do Kairat

Autor de quatro golos, Leo falou da "alegria imensa" por ter ajudado o Kairat a chegar à final, enquanto treinador e jogadores do Dina mostraram orgulho apesar da derrota.

Veja os golos da meia-final entre o ISK Dina Moskva e o Kairat Almaty, que decorreu em Lisboa.
2015 highlights: Dina 4-7 Kairat

Leo entusiasmado após os seus quatro golos ajudarem o Kairat a alcançar a final de domingo com vitória por 7-4 após prolongamento
Divanei, do Kairat, elogiou adeptos do anfitrião Sporting, clube que já representou
Andrei Yudin, treinador do Dina, sente que apenas faltou experiência ao estreante frente ao vencedor de 2013
Dmitri Prudnikov obriga a prolongamento e diz que a lesão não o impediu de jogar em Lisboa

Leo, jogador do Kairat
Trabalhámos muito durante bastante tempo para disputar a Taça UEFA Futsal, e desde a Ronda de Elite pensamos em chegar novamente à final. Conseguimos uma vez e fomos campeões e agora vamos tentar repetir o feito.

Estou muito feliz. Não estou habituado a marcar golos porque jogo mais atrás, mas é uma alegria imensa ser eleito Melhor em Campo e chegar a mais uma final.

Divanei, jogador do Kairat
Quero agradecer aos adeptos [do Sporting] por apoiarem o Kairat. É a minha segunda final e espero que desta vez possa sagrar-me campeão. É uma grande alegria estar de regresso a Lisboa, agora com uma equipa diferente, mas o carinho que tenho pelo Sporting, e que o clube tem por mim, não tem preço. Em campo, quase parecia que estava a jogar pelo Sporting, com todo o respeito que tenho pelo Kairat. Não posso esquecer o que vivi e ganhei aqui.

Andrei Yudin, treinador do Dina
Claro que estamos muito desiludidos com o resultado. Não estivemos na máxima força. Conseguimos defender quatro contra cinco durante grande parte do tempo, mas acabámos por cometer erros posicionais e sofrer alguns golos quando Higuita estava como guarda-redes avançado.

Mas estou grato à equipa pelo desempenho no tempo regulamentar. Até este jogo estava muito feliz [com a campanha do Dina], mas queríamos mais. Estivemos abaixo do nosso nível, talvez porque nos faltou experiência.

Dmitri Prudnikov, capitão do Dina
Queria jogar, por isso tomei analgésicos. Esperei cinco anos por este jogo e não podia falhá-lo. É uma pena não termos ganho. Foi uma longa caminhada para nós e talvez tenha faltado algo. Mais golos, provavelmente!

Quando fizemos o 3-3 tivemos a sensação de que era possível chegar à vitória. No entanto, algo falhou. Apesar de o Kairat ter ganho, não lhe fomos inferiores.