O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Orlando Duarte satisfeito com esforço extra

A reviravolta do Kairat valeu-lhe elogios de ambos os treinadores, no entanto o sentimento dominante da parte do Sporting é que a vitória por 3-2 nas meias-finais foi merecida.

A equipa de Orlando Duarte foi bastante pressionada pelo Kairat
A equipa de Orlando Duarte foi bastante pressionada pelo Kairat ©Sportsfile

O treinador do Sporting, Orlando Duarte, elogiou o Kairat Almaty, anfitrião vencido, depois da emocionante vitória da formação lisboeta por 3-2, na primeira meia-final da Taça UEFA de Futsal, disputada sexta-feira no Palácio dos Desportos Baluan Sholak.

Depois de o Sporting ter marcado o golo da vitória a quatro minutos do fim, por intermédio de Caio Japa, Orlando Duarte partilhou da opinião do seu guarda-redes, Cristiano, elogiando uma equipa do Kairat que recuperou de dois golos de desvantagem diante dos seus adeptos. João Carlos Barbosa, treinador do Kairat, tinha motivos para lamentar o último dos cinco golos marcados na segunda parte, no entanto para o sportinguista Cristiano, esse momento selou um triunfo merecido para os "leões".

Orlando Duarte, treinador do Sporting
Esta noite defrontámos uma equipa muito forte. Deram tudo, mas nós também, porque queremos ganhar esta competição. Sabíamos bastante sobre o adversário, mas era mais importante preocuparmo-nos com o nosso jogo. Viemos em boa forma e mostrámos qualidade para estar na final. Vamos tentar fazer o mesmo este domingo.

Era o que eu esperava do Kairat, que possui excelentes jogadores, como Kelson e o guarda-redes Jeronimo. É um conjunto bem organizado, mas fizemos o suficiente para vencer e estamos satisfeitos por isso. Ao intervalo reorganizámo-nos e tentámos manter-nos fiéis aos nossos princípios de jogo. Queremos ganhar da nossa maneira, independentemente do oponente. E apesar de puderem dizer que alguns dos nossos golos nasceram de erros contrários, é preciso criar oportunidades para que os erros apareçam e possam ser aproveitados.

João Carlos Barbosa, treinador do Kairat
Parabéns ao Sporting, que mostrou muita qualidade. Não jogámos bem na primeira parte, mas mostrámos atitude para chegar ao 2-2. No entanto, após termos chegado ao empate, a equipa descomprimiu um pouco, como às vezes pode acontecer, e foi por isso que sofremos o terceiro golo. É isso que tenho a lamentar. Mas é preciso dar mérito ao guarda-redes Cristiano, pelas defesas que fez. No domingo, frente ao Benfica, vamos ter mais uma tentativa. Este era o grande jogo para nós, mas infelizmente perdemos e agora temos que nos concentrar no próximo. Os meus jogadores são óptimos profissionais e nunca lhes faltou dedicação em campo. De facto, mostraram grande orgulho.

Cristiano, guarda-redes do Sporting
O capitão, João Benedito, e eu temos uma rivalidade saudável na luta pela titularidade – ele é de classe mundial – por isso quando sou eu o escolhido tenho que estar concentrado na minha forma de jogar. Hoje penso que estive bem, e enquanto conjunto conseguimos o objectivo, que era a final. Pode-se dizer que foi uma das minhas melhores exibições, tendo em atenção o que estava em jogo, um lugar numa final europeia. O Kairat esteve bem ao aproveitar um ligeiro relaxamento da nossa parte, mas não desistimos e marcámos o terceiro golo logo de imediato. No global, merecemos vencer pela qualidade da nossa exibição, apesar de ter sido um jogo exigente em termos físicos.