As viagens mais longas nas competições de clubes da UEFA

O embate dos 16 avos-de-final entre Sporting e Astana vai implicar viagens de mais de 12 mil quilómetros para ambas as equipas, mas não se tratarão (em exclusivo) das maiores viagens de sempre em provas de clubes da UEFA, como o UEFA.com descobriu.

Aleksei Schetkin, do Astana, e Gonçalo Guedes, do Benfica, tiveram viagens longas em 2015
Aleksei Schetkin, do Astana, e Gonçalo Guedes, do Benfica, tiveram viagens longas em 2015 ©AFP/Getty Images

Um recorde europeu foi estabelecido na fase de grupos da UEFA Champions League 2015/16, quando o Benfica venceu o Astana por 2-0 em casa e depois empatou a dois golos na segunda volta, no Cazaquistão. Isto porque os clubes visitantes efectuaram a viagem mais longa na história das competições de futebol de clubes da UEFA, com cerca de 6.173 quilómetros.

Percurso idêntico será, agora, percorrido pelo mesmo Astana e pelo Sporting CP quando se defrontarem nos 16 avos-de-final da UEFA Europa League. Contudo, o Estádio José Alvalade, do Sporting, fica um pouco mais a Este do que o Estádio do Sport Lisboa e Benfica, o que significa que na prática a turma do Cazaquistão terá de percorrer, nesta nova viagem a Lisboa, um par de quilómetros menos do que aqueles que percorreu em 2015. O UEFA.com faz as contas e apresenta as maiores e menores distâncias percorridas pelas formações europeias em provas continentais de clubes. 

Jogadores do Kairat em Lisboa antes do desfile vitorioso mais longo em provas da UEFA
Jogadores do Kairat em Lisboa antes do desfile vitorioso mais longo em provas da UEFA©Sportsfile

Maior viagem nas competições de clubes da UEFA
Kairat Almaty
Fase final da UEFA Futsal de 2015
Sporting
Fase final da UEFA Futsal de 2017

O desfile vitorioso mais longo na história das competições de clubes da UEFA aconteceu no futsal, quando o Kairat regressou ao Cazaquistão após conquistar a principal prova europeia da modalidade em Lisboa, em Abril de 2015. Uma viagem de 6.911 quilómetros para oeste que não afectou a equipa de Cacau. O Sporting fez viagem idêntica, no sentido inverso, quando a fase final de 2017 se realizou em Almaty, mas não teve tanta sorte pois perdeu a final por 7-0.

Maior viagem europeia/sul-americana
Racing Avellaneda 2-1 Celtic

Entre 1960 e 2004, o campeão da Europa e da América do Sul disputaram a Taça Europeia/Sul-americana, mais conhecida por Taça Intercontinental, evento apoiado pela UEFA. O mais longe que uma equipa teve de se deslocar foi 11.304 quilómetros, quando o Celtic viajou para enfrentar os argentinos do Racing Avellaneda na edição de 1967. Após ganhar a primeira mão em casa, por 1-0, perdeu por 2-1 em Avellaneda. Posteriormente, perdeu por 1-0 o jogo de desempate realizado em Montevideo, a meros 11.236 quilómetros de Glasgow.

Viagens mais curtas nas competições de clubes da UEFA
AC Milan 0-0 Inter Milão
Inter Milão 1-1 AC Milan
Meias-finais da UEFA Champions League 2002/03

AC Milan 2-0 Inter Milão
Inter Milão 0-3 AC Milan

Quartos-de-final da UEFA Champions League 2004/05

Nos primórdios do futebol europeu, os clubes mais pequenos eram por vezes persuadidos a jogar as duas mãos no estádio do adversário, mas nenhum jogo fora teve uma deslocação mais curta do que estes dois derbies de Milão. Em San Siro, os clubes têm sempre o mesmo balneário, o que significa que o jogo não implica deslocação. Ironicamente, o primeiro destes embates foi decidido graças aos golos fora.

Estádio Alfheim, casa do Tromsø
Estádio Alfheim, casa do Tromsø©Getty Images

Jogos da UEFA mais a Norte
Os noruegueses do Tromsø disputaram 27 jogos europeus caseiros no Estádio Alfheim.
As coordenadas da cidade de Tromso são 69° 40' 58" N, o que significa que está dentro do Círculo Árctico.
A viagem mais longa até Tromso para jogos da UEFA foi efectuada pelo İnter Bakı, que percorreu 3.717 quilómetros na segunda pré-eliminatória da UEFA Europa League, em Julho de 2013, perdendo por 2-0.

Jogos da UEFA mais a Sul (excluindo a Taça Europeia/Sul-americana)
Os espanhóis do Las Palmas disputaram cinco jogos europeus caseiros no Estadio de Gran Canaria.
Las Palmas faz parte das Ilhas Canárias, cujas coordenadas são 28° 9' 0" S, que a situam ao largo de Marrocos e estão mais a Sul do que o Cairo.
A viagem mais longa até ao Gran Canaria para jogos da UEFA foi efectuada pelo Sloboda Tuzla, que percorreu 3.548 quilómetros na primeira eliminatória da Taça UEFA, em Setembro de 1977, perdendo por 5-0.

O Sibir disputou dois jogos europeus caseiros
O Sibir disputou dois jogos europeus caseiros©Alexey Ignatovich

Jogos da UEFA mais a Leste
Os russos do Sibir Novosibirsk disputaram dois jogos europeus caseiros no Estádio Spartak Novosibirsk.
As coordenadas são 82° 56' 0" E, que o colocam tão a este quanto o Nepal.
A mais longa das duas viagens para defrontar o Sibir foi de 4.951 quilómetros, efectuada pelo PSV Eindhoven no "play-off" da UEFA Europa League, em Agosto de 2010, perdendo por 1-0.

Jogos da UEFA mais a Oeste (excluindo a Taça Europeia/Sul-americana)
O Santa Clara disputou dois jogos europeus caseiros no Estádio São Miguel, em Ponta Delgada.
Principal cidade dos Açores, as suas coordenadas são 25° 44' 50" O, o que significa que está tão a oeste quanto Cabo Verde.
A viagem mais longa até Ponta Delgada foi efectuada pelos arménios do Shirak, que percorreram 5.824 quilómetros para oeste na primeira eliminatória da Taça Intertoto, em Junho de 2002, perdendo por 2-0.

O Luch-Energiya passou uma época no principal escalão russo
O Luch-Energiya passou uma época no principal escalão russo©Getty Images

Maiores viagens possíveis
Se cingirmos a busca a clubes que já disputaram as competições da UEFA, então a maior deslocação seria de 8.046 quilómetros, num duelo entre Sibir Novosibirsk e Tenerife (outra equipa das Canárias, que está ainda mais a oeste do que o Las Palmas, ainda que não tão a sul), mas viagens ainda mais longas também podem acontecer em teoria.

O Luch-Energiya Vladivostok passou três épocas na primeira divisão russa, entre 2006 e 2008. O Estádio Dínamo, onde joga, está a 100 metros do Mar do Japão. Um hipotético jogo entre Luch-Energiya e Tenerife representaria uma viagem de ida e volta com 11.460 quilómetros.

As fronteiras europeias podem estender-se ainda mais. Equipas de territórios insulares podem disputar a Taça de Portugal e de França.

O Santa Clara, dos Açores, representa uma longa viagem rumo a oeste, mas a situação em França é ainda pior, já que equipas de Mayotte, Reunião, Guadaloupe, Martinica e Guiana Francesa podem, em teoria, apurar-se para as competições europeias em caso de conquista da Taça de França.

Florent Malouda, o jogador mais conhecido oriundo da Guiana Francesa
Florent Malouda, o jogador mais conhecido oriundo da Guiana Francesa©Getty Images

Caso o Matoury, actual campeão da Guiana Francesa, alguma vez tenha de defrontar o Luch-Energiya num jogo europeu, isso envolveria uma viagem de cerca de 30.000 quilómetros, e ficaria mais perto voarem rumo a oeste do que leste, pois a circunferência do planeta é perto de 40.000 quilómetros.

Topo