Inter - Sevilha: Quem apoiar na final de sexta-feira?

Não sabe que equipa apoiar na final da UEFA Europa League? Deixe-se convencer pelos nossos repórteres junto do Inter e do Sevilha.

Decisivos:  Éver Banega, do Sevilha, e Romelu Lukaku, do Inter
Decisivos: Éver Banega, do Sevilha, e Romelu Lukaku, do Inter

O Sevilha, cinco vezes vencedor da UEFA Europa League/Taça UEFA, vai defrontar na sexta-feira o Inter, que já conquistou por três vezes o troféu, na final no Stadion Köln: Por quem vai puxar?

Obviamente que o UEFA.com incentiva todos os adeptos a assistirem ao jogo pelo simples prazer do desporto, mas se for mais divertido escolher uma equipa para apoiar, siga os seguintes critérios e as palavras do repórter junto do Inter, Paolo Menicucci, e do correspondente em Sevilha, Joe Walker.

Cores do clube

Sevilha: Vermelho e branco
Inter: Azul e preto

Porque vai ganhar?

Diego Carlos, do Sevilha, é o único brasileiro que pode alinhar na final
Diego Carlos, do Sevilha, é o único brasileiro que pode alinhar na final POOL/AFP via Getty Images

Sevilha: Porque o Sevilha ganha sempre a Europa League, é um especialidade sua. A experiência e conhecimento desta competição são incomparáveis. Os espanhóis chegaram à sexta final esta época, depois de terem vencido as cinco anteriores.

Inter: Porque raramente vi um grupo tão unido, a equipa está em primeiro lugar para todos os jogadores do Inter de Antonio Conte. Todos puxam na na mesma direcção e parecem ter atingido a melhor forma antes da final.

Qual é o palmarés de cada um?

Mazzola on Grande Inter
Mazzola on Grande Inter

Sevilha: É um dos clubes mais antigos da Espanha (o seu primeiro presidente era escocês), o Sevilha conquistou a Taça UEFA/Europa League por cinco vezes desde 2006, além de cinco edições da Taça de Espanha ao longo da sua história. Entre as antigas estrelas do Sevilha podemos encontrar os dois Diegos, Maradona e Simeone, assim como Sergio Ramos e Dani Alves.

Inter: O “Grande Inter” de Helenio Herrera venceu a Taça dos Clubes Campeões Europeus por duas vezes na década de 1960, enquanto o “Inter alemão” de Andreas Brehme, Lothar Matthäus e Jürgen Klinsmann conquistou a primeira das suas três Taças UEFA durante a década de 1990. O triunfo na UEFA Champions League sob o comando de José Mourinho completou a “tripla” em 2009/10.

Jogador decisivo

Sevilha: Éver Banega – Dá prazer ver a jogar o organizador de jogo argentino. Comanda o meio-campo na equipa de Julen Lopetegui e pode ter um motivação suplementar em Colónia, já que jogou na época de 2016/17 no Inter, depois de vencer a UEFA Europa League nas duas temporadas anteriores ao serviço do Sevilha.

Inter: Romelu Lukaku – Sempre pronto para mais uma corrida e sempre rápido a confortar os colegas (em italiano fluente), a primeira época do belga em San Siro foi fenomenal. Um bom presságio: na primeira época no Inter, Ronaldo marcou 34 golos e ganhou a Taça UEFA de 1997/98. Total de golos de Lukaku antes da final da Europa League: 33.

Jogadores a seguir

Jesús Navas, o extremo do Sevilha adaptado a defesa
Jesús Navas, o extremo do Sevilha adaptado a defesa Getty Images

Sevilha: Contratado do Bordéus no Verão passado, o médio Jules Koundé, de apenas 21 anos, joga com uma maturidade nada normal na sua idade, enquanto o ídolo local, Jesús Navas, reinventou-se como um defesa-direito ofensivo, depois de ter feito carreira como extremo.

Inter: A capacidade goleadora de Lautaro Martínez não deve ser subestimada, mas estejam atentos a Nicolò Barella, recém-contratado ao Cagliari. "Ele está em todo o lado", comentou Lukaku sobre o médio de 23 anos após o triunfo sobre o Leverkusen nos quartos-de-final.

Os treinadores

Sevilha: Julen Lopetegui está no comando do Sevilla desde 2019, tendo passado toda a carreira de jogador, e grande parte da carreira de treinador, na Espanha. Treinador do Porto entre 2014 e 2016, dirigiu a selecção espanhola de 2016 a 2018.

Inter: Antonio Conte venceu a Taça UEFA e a UEFA Champions League como jogador da Juventus e conduziu o clube de Turim a três títulos italianos como treinador. Seleccionador de Itália de 2014 a 2016, venceu a Premier League como treinador do Chelsea e assumiu o comando do Inter em 2019.