O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Kuipers em casa antes da final da Europa League

Björn Kuipers, árbitro da final, falou ao UEFA.com sobre o orgulho de estar em casa, da sua ética de equipa e de como uma corrida numa praia ventosa da Holanda é mais agradável do que parece.

Quando Björn Kuipers apitar na quarta-feira para o início da final da UEFA Europa League 2013, tornar-se-á no primeiro árbitro a dirigir uma final em casa em 22 anos, desde que o italiano Tullio Lanese foi o árbitro da final da Taça dos Clubes Campeões Europeus, em 1991, em Bari. Kuipers, de 40 anos, contou ao UEFA.com o porquê de ser uma honra a dividir por tantos, o quanto ele conhece a Amsterdam ArenA e como correr numa praia holandesa ventosa é mais agradável do que parece. 

UEFA.com: Parabéns, como se sente por sido nomeado para um jogo tão importante?

Björn Kuipers: Sinto-me bem. Fiquei muito contente quando recebi a nomeação para dirigir a final da Europa League. Ainda por cima, no meu país, logo é excelente. Fiquei surpreendido, pois desconhecia ser possível um árbitro do mesmo país dirigir a final. Por isso é especial por ser na Holanda, mas seria na mesma se fosse noutro local.  

Estava na praia quando recebi a chamada. Fazia um treino na costa da Holanda quando o Pierluigi Collina me ligou. Fiquei muito orgulhoso. Fiquei contente pela minha equipa, feliz por lhes dar a novidade de que estaríamos na final e pensei também nas pessoas que me ajudaram a chegar até aqui: os meus treinadores, as pessoas na UEFA, as pessoas da Federação Holandesa, a minha equipa. Foi um trabalho duro, mas tivemos agora o nosso bónus.    

UEFA.com: Pode falar-nos um pouco do estádio. O que acha que o torna num local especial?

Kuipers: Conheço o estádio muito bem. Já arbitrei lá muitas vezes, muitas vezes o Ajax, é excelente. Para Amesterdão é excelente ter a final cá. O estádio é excelente e vai estar esgotado. As condições são muito boas, pelo que está pronto para uma grande noite.

UEFA.com: O que sente quando percorre aquele túnel em direcção ao relvado com as equipas atrás de si e com a assistência a aplaudir?

Kuipers: É sempre um momento especial. Quando era um jovem árbitro, nunca imaginei chegar à elite, era apenas um passatempo. Por aqui se vê como vai ser, o quão rápido pode ser a progressão. Quando saio para o relvado com as equipas atrás e a música a tocar, é uma sensação excelente.  

UEFA.com: Como se prepara para um jogo grande?

Kuipers: Temos vindo a preparar-nos há muito tempo. Nunca é trabalho de um dia só. Se conseguimos um compromisso limpamos as nossas agendas. Na passada sexta-feira fizemos uma análise ao jogo Dortmund-Real Madrid. Viemos juntos e analisamos tudo sobre os nossos jogos: o que fizemos bem, onde errámos e o que poderemos melhorar. Fazemos isso em todos os jogos.

Nós preparamos tudo: fitness, analisamos as equipas e analisamos os nossos jogos anteriores - não é um trabalho de uma hora, leva muito tempo preparar um jogo como este. E eu sempre digo que não é tudo sobre mim. Eu sou o árbitro e a responsabilidade é minha, mas eu nunca actuo sozinho, preciso da minha equipa, preciso de todos ao meu redor. Estou muito feliz com a minha equipa, pois temos tido um desempenho muito bom em relação ao ano passado.

UEFA.com: Dirigiu a final da SuperTaça Europeia em 2011. Existem diferenças em apitar uma final em relação a um qualquer outro jogo? 

Kuipers: Sim, claro, uma final é uma final. Todos os jogos são importantes, mas dirigir uma final é excelente. Mas não arbitro de maneira diferente do que faço num outro jogo, continua a ser um jogo entre duas equipas. A equipa de arbitragem é a terceira, nós estamos preparados e espero dirigir o jogo da melhor maneira. Vamos ver amanhã como é que corre.

Conteúdos relacionados