Inter prepara recepção ao Ajax

Tendo conseguido repor a igualdade depois de ter estado a perder por 2-0, o Inter está em vantagem perante o Ajax.

Recuperação fundamental
• No entanto, a vantagem conseguida pelo Ajax no ArenA de Amesterdão acabou por ser apenas metade da história, já que os italianos conseguiram recuperar e empataram o encontro, ficando com grandes possibilidades de alcançarem os quartos-de-final. Dejan Stanković e Julio Cruz foram os jogadores responsáveis pelos golos, conseguidos na segunda parte, que frustraram os holandeses, tendo o argentino marcado a apenas quatro minutos do final.

Imparável em casa
• As perspectivas não são as melhores para o Ajax, se o Inter repetir as prestações que tem conseguido no seu estádio. Venceu sete e empatou dois dos últimos nove jogos da UEFA Champions League no San Siro, que incluem os três da fase de qualificação desta temporada e da época passada, com excepção do encontro com o AC Milan, nos quartos-de-final, que terminou durante o segundo tempo. Pior ainda para os homens de Amesterdão, nos oitavos-de-final de 2004/05, o Inter empatou fora na primeira mão (1-1, com o FC Porto), antes de ter vencido em Milão, por 3-1, com um "hat-trick" de Adriano.

Registo do Inter
• Os "nerazzurri", pela quinta vez na UEFA Champions League e vencedores da Taça dos Campeões Europeus em 1963/64 e 1964/65, quase sempre levaram a melhor quando receberam adversários holandeses no seu estádio. O registo de seis jogos apresenta três vitórias e duas derrotas. O único encontro em casa com o Ajax foi na primeira fase de grupos da UEFA Champions League, quando um golo de Hernán Crespo, nos últimos minutos, valeu uma vitória, por 1-0.

Derrota com o FC Porto
• O Inter sofreu apenas uma derrota, tendo terminado no comando do Grupo H, com seis pontos de vantagem sobre o Rangers FC. O FC Porto conseguiu vencer, na terceira jornada, apesar de a equipa de Roberto Mancini - em busca de conseguir um lugar nos quartos-de-final pela terceira vez em quatro anos - ter demonstrado ser uma formação consistente.

História desfavorável
• A seu favor, o Ajax tem o facto de poder olhar para trás e afirmar que o primeiro jogo foi melhor do que aqueles que nos são apresentados pela história recente, tendo perdido as últimas quatro partidas com adversários italianos, e todas por 1-0. A última visita a Milão, em 2003/04, comprovou a tendência, com o AC Milan a levar a melhor pela margem de um golo.

Sem vitórias em sete jogos
• O Ajax não venceu nas últimas sete deslocações a Itália, com um empate a uma bola no reduto da AS Roma, a contar para a segunda fase de grupos da UEFA Champions League, a separar duas séries de três derrotas consecutivas. Também perdeu nas últimas quatro viagens a Milão, tendo vencido, por 2-0, um jogo fora, disputado em Trieste, frente ao AC Milan, na fase de grupos da UEFA Champions League, em Novembro de 1994.

Liderança perdida
• Uma primeira vitória em Milão dará ao clube holandês um lugar nos quartos-de-final da UEFA Champions League pela quinta vez, mas a primeira em três tentativas. Para alcançar tal feito, precisará de demonstrar uma maior resistência do que a apresentada no jogo em casa, duas semanas antes, quando perdeu a vantagem inicial conseguida por Klaas Jan Huntelaar, que efectuou a sua estreia na principal competição europeia de clubes depois de uma transferência no valor de 9 milhões euros do SC Heerenveen, e Mauro Rosales.

• No entanto, o Ajax, que disputou sete finais europeias com clubes italianos, pode inspirar-se nos resultados que conseguiu na fase de grupos, tendo batido o FC Thun e empatado com o AC Sparta Praha e Arsenal FC. Valeu aos holandeses o segundo lugar no Grupo B, com uma vantagem de sete pontos sobre o Thun.

Formato da fase a eliminar
• Os clubes disputam dois jogos entre si, em casa e no terreno do adversário, passando à fase seguinte os que tiverem apontado mais golos no conjunto das duas mãos. Caso ambas as formações tenham marcado o mesmo número de golos, passará à fase seguinte aquela que tiver apontado mais golos fora de casa. Se tal não for conclusivo, será jogado um prolongamento com duas partes de 15 minutos, depois do encontro da segunda mão. Neste período, caso as duas equipas marquem o mesmo número de tentos, os golos marcados fora contarão a dobrar (passará à ronda seguinte a equipa visitante). Se durante o prolongamento não forem marcados quaisquer golos, o vencedor será encontrado no desempate através de pontapés da marca de grande penalidade.

Topo