Vídeo-árbitro pronto para a fase a eliminar da UEFA Champions League

Na sequência de uma decisão tomada pelo Comité Executivo da UEFA em Dezembro de 2018, o vídeo-árbitro (VAR) vai ser usado na UEFA Champions League a partir dos oitavos-de-final desta época.

O vídeo-árbitro vai ser utilizado a partir dos oitavos-de-final da UEFA Champions League
O vídeo-árbitro vai ser utilizado a partir dos oitavos-de-final da UEFA Champions League ©Sportsfile

Após testes tecnológicos bem-sucedidos e formação de árbitros nos últimos meses, o vídeo-árbitro (VAR) vai ser utilizado a partir de agora em todos os jogos da UEFA Champions League.

O VAR já foi introduzido noutras competições a nível nacional e internacional. No entanto, aqui fica um guia rápido de como irá funcionar na UEFA Champions League.

• Uma equipa do VAR - constituída por vídeo-árbitro assistente, assistente de vídeo-árbitro e dois operadores de vídeo - estarão em cada estádio e dará apoio ao processo de tomada de decisão do árbitro.

VAR: O que é e como funciona?
VAR: O que é e como funciona?

• A equipa do VAR irá verificar permanentemente erros claros e evidentes relacionados com as seguintes situações que mudam o jogo:

a. Golos

b. Grandes penalidades

c. Cartões vermelhos

d. Identidades trocadas

• A equipa do VAR irá verificar todas as situações que mudam o jogo, mas só intervirá no caso de erros claros e evidentes. O árbitro pode parar o encontro enquanto uma decisão está a ser revista.

• Se a revisão do VAR proporcionar provas claras de que existiu um erro grave numa situação que muda o jogo, o VAR pode então pedir ao árbitro para rever a jogada em campo (exibindo a repetição na área de visualização). A decisão final só pode ser tomada pelo árbitro.

VAR: as quatro situações que mudam o jogo
VAR: as quatro situações que mudam o jogo

• O VAR também pode levar em conta qualquer infracção que possa ter ocorrido imediatamente antes da jogada que conduziu ao incidente (a fase de ataque da jogada).

• Nas decisões “factuais” (por exemplo, foras-de-jogo e faltas dentro ou fora da grande área), o VAR pode simplesmente informar o árbitro desses factos, não sendo necessária a visualização das imagens em campo, mas é sempre o árbitro que toma a decisão final.

• O processo de visualização em campo será comunicado no estádio utilizando os ecrãs gigantes ou a instalação sonora.

• Por causa da utilização do VAR não haverá árbitros assistentes adicionais.

O Comité Executivo da UEFA decidiu também utilizar o VAR na final da UEFA Europa League de 2019, na Fase Final da UEFA Nations League de 2019 e na fase final do Campeonato da Europa de Sub-21 da UEFA de 2019. Como foi decidido na reunião do Comité Executivo da UEFA em Setembro, o VAR também será utilizado na UEFA Champions League de 2019/20 a partir do “play-off” e na SuperTaça Europeia de 2019. A UEFA pretende ainda alargar a utilização do VAR à fase final do UEFA EURO 2020, à UEFA Europa League de 2020/21 (a partir da fase de grupos) e à Fase Final da UEFA Nations League de 2021.

Para ler a entrevista completa sobre a introdução do VAR com Roberto Rosetti, responsável pela arbitragem na UEFA, por favor clique aqui.

O protocolo sobre como e quando utilizar o VAR foi definido pelo International Football Association Board, que também define as Leis do Jogo. O protocolo IFAB VAR está disponível aqui.

Topo