Galatasaray mostra orgulho e frustração

Felipe Melo afirmou que o Galatasaray tem motivos para estar orgulhoso, enquanto Didier Drogba e Hamit Altıntop ficaram com a sensação de que podiam ter chegado mais longe.

Johan Elmander e Didier Drogba reagem ao segundo golo do Real Madrid
Johan Elmander e Didier Drogba reagem ao segundo golo do Real Madrid ©Getty Images

O Galatasaray AŞ despediu-se da UEFA Champions League com um emotivo triunfo sobre o Real Madrid CF e no final do encontro sentiu-se o orgulho dos jogadores da equipa de Istambul, mas também alguma frustração por sentirem que podiam ter chegado ainda mais longe. Tal como tinha acontecido quando os dois clubes mediram forças nos quartos-de-final de 2001, os turcos venceram o jogo em casa por 3-2, mas foram penalizados pela derrota por 3-0 na primeira mão, com Didier Drogba a lamentar que a exibição não tenha sido semelhante em Espanha. "Se tivéssemos jogado assim na primeira mão o desfecho poderia ter sido diferente", explicou.

Felipe Melo, médio do Galatasaray
Poderíamos ter feito um pouco melhor mas, globalmente, não nos podemos queixar. Vencemos uma grande equipa e estamos orgulhosos disso. Mostrámos o nosso poderio em casa. Ganhámos o jogo mas, infelizmente, não vencemos a eliminatória, mas estamos orgulhosos por termos derrotado a equipa mais forte da Europa. Igualámos o melhor resultado de sempre do Galatasaray na era da UEFA Champions League e fomos eliminados depois de bater o Real Madrid, por isso estamos satisfeitos.

Didier Drogba, avançado do Galatasaray 
Foi um excelente jogo e teria sido ainda melhor se tivéssemos garantido a qualificação. Esta noite tivemos mais oportunidade de ver que estes adeptos são extraordinários. É uma pena, mas considero que o Real Madrid mereceu. O facto de terem marcado muito cedo foi fatal para nós, mas na segunda parte, depois de termos marcado, mostrámos que acreditamos nas nossas capacidades. Se tivéssemos jogado assim na primeira mão o desfecho poderia ter sido diferente.

Hamit Altintop, médio do Galatasaray
A derrota por 3-0 na primeira mão foi muito dura para nós. Globalmente, nos dois jogos, ganhou a equipa mais inteligente e temos de dar os parabéns ao Real Madrid. Hoje fizemos aquilo que não conseguimos na primeira mão, marcar golos. Depois de marcar, ficamos ainda mais motivados e, com o apoio dos nossos fantásticos adeptos, parecia que tudo era possível.

Conteúdos relacionados