Forma caseira dá confiança ao Dortmund frente ao Shakhtar

Depois do empate 2-2 fora, o Dormund tenta dar seguimento ao registo imaculado em casa na presente edição da prova frente ao Shakhtar, vitorioso nas duas últimas visitas à Alemanha.

Os adeptos do Dortmund viram a sua equipa vencer os três jogos em casa na presente edição da UEFA Champions League
Os adeptos do Dortmund viram a sua equipa vencer os três jogos em casa na presente edição da UEFA Champions League ©UEFA.com

O Borussia Dortmund vai procurar dar continuidade aos excelentes resultados em casa alcançados na presente temporada da UEFA Champions League quando receber o FC Shakhtar Donetsk na segunda mão do embate dos oitavos-de-final da prova entre as duas equipas.

• A formação orientada por Jürgen Klopp foi uma das quatro equipas a obter um registo 100 por cento vitorioso nos jogos em casa durante a fase de grupos; apesar de estar naquele que era, muito provavelmente, o grupo mais complicado, o actual campeão da Alemanha bateu AFC Ajax, Real Madrid CF e Manchester City FC. Ainda assim, terá de estar muito atento ao Shakhtar, à procura da terceira vitória consecutiva em solo germânico.

• O Dortmund, contudo, vai entrar neste encontro da segunda mão com ligeira vantagem, depois de ter empatado 2-2 no primeiro jogo, em Donetsk.

• Esta é a segunda participação do Shakhtar nos oitavos-de-final e, da primeira vez, afastou a AS Roma rumo aos quartos-de-final da edição de 2010/11. O Dortmund esteve pela última vez nesta fase em 2002/03, quando disputou a segunda fase de grupos e, com o empate obtido na partida da primeira mão, soma já sete jogos sem perder diante de adversários da Ucrânia.

• A turma alemã procura chegar pela primeira vez aos quartos-de-final desde 1997/98, quando ficou pelo caminho nas meias-finais como detentor do troféu. Os alemães conseguiram atingir pelo menos os quartos-de-final da UEFA Champions League em três anos consecutivos, entre 1996 e 1998, mas nunca mais voltaram a chegar tão longe.

Encontros anteriores
• O Dortmund não teve dificuldades em seguir em frente quando os dois clubes se encontraram na terceira pré-eliminatória da UEFA Champions League de 2001/02. Os alemães venceram na primeira mão, por 2-0, na Ucrânia, com Lars Ricken, actualmente responsável pelo futebol de formação do clube, e Sunday Oliseh a marcarem os golos a 7 de Agosto de 2001. Julius Aghahowa reduziu a desvantagem dos ucranianos no encontro da segunda mão, 15 dias depois, mas o clube da Bundesliga respondeu com golos de Jan Koller (2) e Márcio Amoroso, seguindo em frente com um total de 5-1.

• Nesse encontro em Dortmund as equipas alinharam da seguinte forma:
Dortmund: Lehmann, Evanilson, Dedê, Kohler, Reuter, Wörns, Oliseh, Ricken (Stević 77), Rosický, Amoroso (Madouni 88), Koller (Bobic 79).
Shakhtar: Virt, Florea, Okoronkwo, Popov, Starostiak, Aliuţă, Bakharev (Bielik 70), Tymoshchuk, Zubov, Aghahowa, Vorobey.

Retrospectiva
• Para além da série ganhadora em casa na fase de grupos, o Dortmund pode ainda ir buscar mais inspiração no facto de apresentar um registo 100 por cento vitorioso na recepção a clubes ucranianos nas provas da UEFA. Em 2010/11, na fase de grupos da UEFA Europa League, o Dortmund bateu o FC Karpaty Lviv por 3-0 em casa, graças aos golos de Shinji Kagawa, Mats Hummels e Robert Lewandowski.

• O outro encontro do Dortmund em casa frente a um adversário da Ucrânia aconteceu logo depois de afastar o Shakhtar na terceira pré-eliminatória da UEFA Champions League de 2001/02. Encontrou o FC Dynamo Kyiv na primeira fase de grupos dessa mesma edição da prova e venceu por 1-0, golo de Tomáš Rosický.

• O Dortmund empatou fora por sete vezes em jogos da primeira mão de eliminatórias de provas europeias de clubes e conseguiu seguir em frente em seis dessas ocasiões. A única ocasião em que ficou pelo caminho, porém, ocorreu depois de um empate 2-2, no terreno da Juventus, nas meias-finais da Taça UEFA de 1994/95; o Dortmund viria a perder o encontro da segunda mão, na Alemanha, por 2-1, ficando assim pelo caminho.

• O Shakhtar somou um total de quatro pontos nos três jogos disputados fora no Grupo E. Venceu no terreno do FC Nordsjælland, empatou em casa da Juventus e perdeu na visita ao Chelsea FC devido a um golo marcado já no período de descontos. Para além disso, nos 11 jogos fora realizados nas últimas três temporadas na UEFA Champions League, a formação de Donetsk apontou 22 golos e apenas num desses 11 encontros ficou em branco.

• O Shakhtar saiu vitorioso das duas últimas visitas à Alemanha. Fernandinho abriu caminho ao triunfo de 2-0 no terreno do VfB Stuttgart na fase de grupos da Taça UEFA de 2005/06, num encontro em que também alinharam Răzvan Raţ e Darijo Srna.

• Na época anterior, o Shakhtar tinha levado a melhor sobre FC Schalke 04 nos 16 avos-de-final da Taça UEFA, em que um golo de Aghahowa, em Gelsenkirchen, assegurou um triunfo por 1-0 nesse encontro da segunda mão e carimbou o apuramento da formação ucraniana com um total de 2-1. O registo global do Shakhtar fora de portas frente a emblemas da Bundesliga é de 2V 1E 2D.

• O Shakhtar conquistou o primeiro troféu europeu às custas de um clube alemão quando, a 20 de Maio de 2009, venceu o Werder Bremen por 2-1, após prolongamento, na final da Taça UEFA, em Istambul, Turquia. Luiz Adriano e Jadson foram os autores dos golos da turma de Donetsk, pela qual alinharam nove jogadores que ainda permanecem no clube: Andriy Pyatov, Olexander Kucher, Fernandinho, Ilsinho, Luiz Adriano, Willian, Răzvan Raţ, Dmytro Chygrynskiy, Darijo Srna titulares e Olexiy Gai, suplente utilizado nesse encontro.

• O Shakhtar empatou em casa no jogo da primeira mão de eliminatórias de provas da UEFA em cinco ocasiões e acabou por ficar pelo caminho em três delas. Apenas por uma vez essa igualdade caseira no primeiro jogo foi de 2-2, frente ao FC Timişoara, na terceira pré-eliminatória da UEFA Champions League 2009/10; então, um empate sem golos na segunda mão, na Roménia, ditou a eliminação do Shakhtar.

• O registo do Dortmund em desempates por pontapés da marca de grande penalidade em eliminatórias de provas de clubes da UEFA é o seguinte:
3-4 frente à Udinese Calcio, primeira eliminatória da Taça UEFA de 2008/09
2-4 frente ao Club Brugge KV, terceira pré-eliminatória da UEFA Champions League de 2003/04
3-1 frente ao Rangers FC, terceira eliminatória da Taça UEFA de 1999/2000
6-5 frente ao AJ Auxerre, meias-finais da Taça UEFA de 1992/93

• O registo do Shakhtar em desempates de eliminatórias de provas de clubes da UEFA por pontapés da marca de grande penalidade é:
1-4 frente ao Club Brugge KV, terceira pré-eliminatória da UEFA Champions League de 2002/03

Ligações entre as equipas
• Mircea Lucescu era o seleccionador quando a Roménia perdeu por 2-1 com a República Federal da Alemanha na fase de grupos do Campeonato da Europa de 1984. Nos seus tempos de jogador, Lucescu alinhou pelo FC Dinamo Bucureşti FC quando o clube foi eliminado pelo 1. FC Köln, com um total de 4-3, na segunda eliminatória da Taça UEFA de 1974/75, isto após uma derrota por 3-2 na segunda mão na Alemanha. O romeno só voltou a encontrar adversários da Bundesliga quando o Shakhtar mediu forças com o Schalke na Taça UEFA de 2004/05.

• Kucher, Yaroslav Rakitskiy e os suplentes Marko Dević e Gai defrontaram Hummels e Mario Götze a 11 de Novembro de 2011, quando a Ucrânia e a Alemanha empataram 3-3 num encontro particular que assinalou a reabertura do Estádio NSC Olimpiyskiy, em Kiev.

• A República Checa, de Tomáš Hübschman, bateu por 1-0 a Polónia, de Jakub Błaszczykowski, Robert Lewandowski e Łukasz Piszczek, na fase de grupos do UEFA EURO 2012, um resultado que deixou pelo caminho os co-organizadores.

• O contingente polaco do Dortmund vai defrontar os internacionais ucranianos do Shakhtar quando os dois países medirem forças em Varsóvia, a 22 de Março, na qualificação para o Campeonato do Mundo. Błaszczykowski, Lewandowski e Piszczek estiveram no empate 1-1 num encontro particular com a Ucrânia, que contou com Dević e Pyatov, em Setembro de 2010. Błaszczykowski também foi utilizado quando a Polónia perdeu por 1-0 frente à Ucrânia, de Chygrynskiy, Vyacheslav Shevchuk, Gai e Pyatov, num amigável realizado em Agosto de 2008.

• Fernandino estreou-se pela selecção do Brasil numa derrota por 3-2 num particular com a Alemanha, em Agosto de 2011. Hummels e Götze alinharam pela Alemanha e Götze marcou mesmo um dos golos da sua selecção nesse encontro, disputado em Estugarda.

• Raţ não evitou duas derrotas da Roménia frente à Sérvia, de Neven Subotić, na qualificação para o Campeonato do Mundo de 2010. O defesa ajudou o seu país a bater a Polónia, de Błaszczykowski e Lewandowski, por 1-0, num particular disputado em Novembro 2009 e, antes disso, marcou o único tento pela selecção numa derrota por 5-1 com a Alemanha, num encontro de preparação disputado em Bucareste em Abril de 2004.

• Şahin contribuiu para o triunfo da Turquia, por 2-0, num encontro particular em Junho de 2012 com a Ucrânia, que contou com Pyatov, Kucher, Rakitskiy, Shevchuk e Dević. Şahin marcou o golo da vitória, aos 85 minutos, quando a Turquia bateu a Ucrânia por 2-1, em Kiev, num encontro de qualificação para o Campeonato da Europa de Sub-21 realizado em Junho de 2007. Olexiy Polyanskiy e Taras Stepanenko alinharam pela equipa da casa e o segundo voltou a ser utilizado, quando Şahin voltou a marcar, na vitória da Turquia, por 2-0, no segundo jogo.

• Srna marcou um golo no triunfo da Croácia, por 2-1, sobre a Alemanha no UEFA EURO 2008.

• Taison ajudou o FC Metalist Kharkiv a levar a melhor sobre o Bayer 04 Leverkusen na fase de grupos da UEFA Europa League desta época, empatando 0-0 na Alemanha e vencendo por 2-0 na Ucrânia.

• Eduardo não defronta equipas da Bundesliga desde que perdeu por 2-1, ao serviço do GNK Dinamo Zagreb, em casa do VfB Stuttgart, na fase de grupos da Taça UEFA de 2004/05.

Conteúdos relacionados