O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Barcelona bate Celtic ao cair do pano

FC Barcelona 2-1 Celtic FC
O golo de Jordi Alba, aos quatro minutos do tempo de compensação, negou um ponto ao Celtic e manteve o clube catalão 100 por cento vitorioso.

Andrés Iniesta lidera os festejos depois do empate do Barcelona
Andrés Iniesta lidera os festejos depois do empate do Barcelona ©Getty Images

O Celtic FC esteve à beira de registar o seu terceiro empate em Camp Nou nos últimos oito anos, até que Jordi Alba deixou os escoceses em choque, com o golo da vitória, aos 94 minutos, confirmando a liderança do FC Barcelona no Grupo G.

Um autogolo de Javier Mascherano, na primeira parte, recompensou a equipa de Neil Lennon pelo seu jogo calmo e inteligente e, apesar de Andrés Iniesta ter empatado – à beira do intervalo – e David Villa ter acertado no poste em tempo de compensação da segunda parte, o guarda-redes Fraser Forster parecia ter valido ao Celtic um ponto valioso. Mas foi só até Adriano fazer um cruzamento perfeito na direita e Alba finalizar à boca da baliza.

No entanto, o que terá causado preocupação ao treinador "blaugrana", Tito Vilanova, é que o Barcelona tornou a sua própria vida difícil ao ignorar a regra fundamental de aproveitar as oportunidades quando elas surgem. Muito tempo antes de o Celtic chegar à vantagem, a equipa da casa podia tê-lo feito. O passe visionário de Iniesta rasgou a defesa verde-e-branca e, apesar de Alexis Sánchez ter chegado à bola primeiro que Forster, fez a bola passar ao lado do guarda-redes e do poste mais distante.

Para o Barça ameaçar foi preciso a chegada de Marc Bartra - escolhido para alinhar a defesa-central no seu terceiro jogo na UEFA Champions League - à área para receber um cruzamento de Iniesta e obrigar a defesa de Forster. O valor dessa defesa ficou patente quando o campeão escocês inaugurou o marcador, momentos depois.

O livre de Charlie Mulgrew foi finalizado por Giorgios Samaras, mas a bola desviou em Javer Mascherano e enganou Víctor Valdés. O tento originou loucos festejos na parte superior do estádio, onde cerca de 5000 adeptos forasteiros expressaram o seu contentamento.

O Barcelona reagiu. Lionel Messi, com dois livres, fez a bola passar perto da barra da baliza de Forster, e mais um passe de Iniesta permitiu a Bartra mais um cabeceamento, que este não aproveitou. A sorte não favoreceu o Celtic, já que Samaras, que causou bastante perigo para os anfitriões, torceu o tornozelo antes do intervalo e teve de ser substituído por James Forrest.

E no espaço de poucos segundos o Barça chegou ao empate. Messi desmarcou Iniesta e depois o médio combinou com Xavi, antes de concluir uma jogada bem construída.

Para grande crédito do Celtic, a sua exibição na segunda parte não se desviou um centímetro do plano de jogo traçado. Remates rasteiros de Messi e Iniesta, à medida que o jogo se desenrolava, não deram grande trabalho a Forster, no entanto, antes do apito final precisou de mostrar qualidade para negar o golo ao campeão de 2011.

O seu primeiro momento dourado aconteceu aos 68 minutos, quando Alexis e Pedro Rodríguez combinaram para assistir Messi com uma oportunidade que este, na pequena área, rematou com intenção, mas à qual o inglês respondeu da melhor forma. Cinco minutos depois, Messi teve um cabeceamento à queima-roupa, que levava o selo de golo, mas o guarda-redes conseguiu deter a bola.

Infelizmente para Forster e os seus colegas de equipa, Alba teve a última palavra, quando parecia que o seu trabalho árduo tinha dado frutos.