O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Antonsson orgulhoso da campanha do Copenhaga

Mikael Antonsson acredita que o Copenhaga pode recordar a caminhada na UEFA Champions League com satisfação, apesar de ter sido eliminado pelo Chelsea.

O Copenhaga impediu Nicolas Anelka e companhia de marcarem em Stamford Bridge
O Copenhaga impediu Nicolas Anelka e companhia de marcarem em Stamford Bridge ©Getty Images

Apesar da desilusão pelo facto de ter visto terminar no terreno do Chelsea FC a longa campanha do FC København na UEFA Champions League, Mikael Antonsson acredita que o clube da Dinamarca vai regressar às últimas fases da prova num futuro próximo.

A temporada europeia do campeão dinamarquês começou na terceira pré-eliminatória, no já longínquo mês de Julho e, 12 jogos e quase oito meses volvidos, a cortina caiu em Stamford Bridge, não obstante uma sólida actuação defensiva ter assegurado que o FCK deixasse a prova de cabeça bem erguida, graças a um meritório empate sem golos. "Sabíamos que vir aqui e ganhar pelo menos por 2-0 seria uma tarefa muito dura. O Chelsea é uma equipa fantástica, pelo que podemos congratular-nos com isso", disse Antonsson ao UEFA.com.

No entanto, o prejuízo já tinha sido feito há três semanas no Parken Stadion, quando um bis de Nicolas Anelka deu ao Chelsea uma vantagem que se revelaria decisiva. Ainda assim, o Copenhaga dispôs de oportunidades em Londres, com destaque para um livre de Dame N'Doye devolvido pelo poste. "Falámos que, caso chegássemos ao 1-0, talvez eles ficassem nervosos e depois podíamos aproveitar isso", disse Antonsson, defesa de 29 anos e totalista na campanha europeia da sua equipa. "Temos de estar felizes. Chegámos mais longe do que qualquer outra equipa dinamarquesa. É bom defrontar nomes sonantes e queremos voltar a fazê-lo. Sabemos que temos de estar ao nosso máximo e jogar o nosso melhor futebol – de sempre – para podermos derrotar uma equipa como o Chelsea. Não o conseguimos, mas vamos voltar."

A experiência revelou-se igualmente agridoce para Jesper Grønkjær, de regresso a um palco que deixara em 2004 e que lamentou aquilo que considerou ter sido uma oportunidade perdida. "Não jogámos ao nosso melhor nível. Fomos um pouco melhores [do que no jogo da primeira mão], só que a pausa de Inverno deu cabo de nós", comentou o antigo extremo dos "blues". "[Estar de volta a Stamford Bridge] foi ainda mais especial do que pensava, mas assim que o jogo começou queria ganhá-lo. Empatar aqui é excelente, mas acaba por não importar quando se perde 2-0 em Copenhaga. O Chelsea é uma equipa muito forte e espero que possa vencer finalmente a UEFA Champions League."