O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Bayern tenta vingar-se do Inter

O Inter recebe o Bayern na primeira mão de um embate dos oitavos-de-final que é uma reedição da final da UEFA Champions League de Maio passado, e uma oportunidade para o Bayern ter a ambicionada vingança.

O Bayern tem algo a provar frente ao Inter
O Bayern tem algo a provar frente ao Inter ©Getty Images

O FC Internazionale Milano recebe o FC Bayern München na primeira mão de um embate dos oitavos-de-final que é uma reedição da final da UEFA Champions League da época passada.

• Para o Bayern é uma oportunidade madrugadora para vingar a derrota numa final que o Inter venceu por 2-0, permitindo-lhe conquistar o principal troféu europeu de clubes pela primeira vez nos últimos 45 anos, o terceiro do seu historial. A formação bávara pode motivar-se com a história, depois de ter vencido nas duas deslocações anteriores a Milão para defrontar o Inter.

• Este jogo é o primeiro do Inter na UEFA Champions League desde que Leonardo substituiu Rafael Benítez no comando técnico da equipa, em Dezembro. José Mourinho, arquitecto do triunfo frente ao Bayern no Santiago Bernabéu, deixou o clube no Verão passado.

Encontros anteriores
• Dois golos de Diego Milito (35, 70) garantiram a vitória do Inter sobre o Bayern, a 22 de Maio do ano passado. As equipas foram as seguintes:
Bayern: Butt, Lahm, Van Buyten, Demichelis, Badstuber, Robben, Van Bommel, Schweinsteiger, Altıntop (Klose 63), Müller, Olić (Gomez 74).
Inter: Júlio César, Maicon, Lúcio, Samuel, Chivu (Stanković 68), Zanetti, Cambiasso, Sneijder, Eto'o, Milito (Materazzi 90), Pandev (Muntari 79).

• As equipas também se defrontaram na fase de grupos da UEFA Champions League em 2006/07. O Bayern de Felix Magath venceu por 2-0 em casa do Inter, em Setembro de 2006, graças a golos de Claudio Pizarro (81) e Lukas Podoski (90+1), com o Inter a terminar reduzido a nove jogadores, depois das expulsões de Zlatan Ibrahimović e Fabio Grosso. Na segunda volta, o golo de Patrick Vieira, já em tempo de compensação, valeu à formação de Roberto Mancini um empate a um golo em Munique, depois de Roy Makaay ter inaugurado o marcador.

• O Bayern bateu o Inter na única vez que os dois clubes se defrontaram numa fase a eliminar, no caso a terceira eliminatória da Taça UEFA em 1988/89, graças a uma reviravolta espectacular. Aldo Serena (60) e Nicola Berti (71) deram uma vantagem de 2-0 ao Inter na primeira mão, em Munique, mas o Bayern respondeu, marcando três golos nos primeiros oito minutos do jogo da segunda volta, por intermédio de Roland Wohlfarth (33), Klaus Augenthaler (37) e Jürgen Wegmann (40). Apesar de Serena (45) ter reduzido a desvantagem, a vitória por 3-1 do Bayern garantiu o apuramento, graças ao maior número de golos marcados fora de casa.

• Jupp Heynckes dirigia o Bayern nessa altura, enquanto Giovanni Trapattoni, futuro técnico do clube bávaro, orientava o Inter.

Retrospectiva
• O Bayern parte para este confronto com um melhor registo na edição deste ano, depois de ter vencido o Grupo E, com cinco triunfos. Apenas o Real Madrid CF conseguiu mais do que os seus 15 pontos, e só Arsenal FC e Tottenham Hotspur FC marcaram mais que os 16 golos do Bayern.

• O Inter terminou atrás do Tottenham no Grupo A, com três vitórias, um empate e duas derrotas. Apesar de ter perdido duas vezes fora, permanece invicto nos últimos dez jogos em casa a contar para a UEFA Champions League. Venceu sete deles, incluindo uma goleada por 4-0 sobre o SV Werder Bremen, também da Bundesliga, na segunda jornada.

• O registo caseiro do Inter frente a equipas alemãs é de dez vitórias, um empate e quatro derrotas.

• Desde que a fase de grupos terminou, o Inter adicionou o Mundial de Clubes ao seu palmarés – no último jogo de Benítez à frente da equipa.

• Para Leonardo esta é apenas a segunda experiência na UEFA Champions League como treinador, depois de ter conduzido o AC Milan até aos oitavos-de-final da época passada. Van Gaal, por outro lado, vai na sua nona campanha.

• O Bayern sofreu duas derrotas por 3-2 em solo italiano em 2010. Perdeu com a ACF Fiorentina nos oitavos-de-final da época 2009/10, mas apurou-se devido aos golos fora e um triunfo por 2-1 na primeira mão. Na quinta jornada desta época, e com o apuramento já garantido, desperdiçou uma vantagem de dois golos e perdeu com a AS Roma. O último triunfo em Itália foi frente à Juventus, em Dezembro de 2009, por 4-1.

• O registo do Bayern fora de casa frente a equipas italianas é de quatro vitórias, dois empates e nove derrotas.

• O Inter perdeu a final da Taça UEFA de 1996/97 frente ao FC Schalke 04 no desempate por grandes penalidades, em San Siro, depois de cada uma das equipas ter ganho por 1-0 em casa.

Reencontros
• O treinador do Bayern, Van Gaal, enfrentou por duas vezes equipas italianas em finais da UEFA Champions League, ao serviço do AFC Ajax. Em 1995 o Ajax venceu o Milan por 1-0, mas perdeu na época seguinte frente à Juventus, no desempate por grandes penalidades. Van Gaal também conduziu o Ajax à glória europeia frente ao Torino FC, na final da Taça UEFA de 1992.

• Lúcio representou o Bayern entre 2004 e 2009, conquistando a Bundesliga e a Taça da Alemanha por três vezes. Foi titular, tal como Jorg Bütt, na final da UEFA Champions League em 2002, ao serviço do Bayer 04 Leverkusen.

• Robben levou a melhor sobre Júlio César, Maicon e Lúcio quando a Holanda venceu o Brasil por 2-1 nos quartos-de-final do último Campeonato do Mundo, com um "bis" do interista Wesley Sneijder.

• Dejan Stanković fez parte da selecção sérvia que venceu a Alemanha na fase de grupos do Mundial. Sulley Muntari foi suplente doo Gana na derrota da equipa africana frente à Alemanha no mesmo grupo, por 1-0.

• Eto'o marcou de penalty para os Camarões na derrota por 2-1 ante a Holanda de Arjen Robben, em partida da fase de grupos do último Campeonato do Mundo.

• Milito e Walter Samuel estiveram no banco de suplentes quando a Argentina perdeu por 4-0 frente à Alemanha nos quartos-de-final da prova sul-africana. Thomas Müller e Miroslav Klose (2) marcaram nessa partida.

• Lúcio e Moroslav Klose defrontaram-se no jogo em que o Brasil bateu a Alemanha por 2-0 no Campeonato do Mundo de 2002.

• Marco Materazzi ajudou a Itália a bater a França de Franck Ribéry nos penalties, na final do Campeonato do Mundo de 2006, tendo apontado o golo do empate da Itália (1-1) e convertido uma das grandes penalidades, no triunfo por 5-3.

• Os seus colegas holandeses, Robben e Sneijder, também jogaram juntos no Real Madrid CF, antes de se transferirem para Bayern e Inter, respectivamente, em 2009.

• No dia 9 de Fevereiro a Alemanha, com Philipp Lahm, Holger Badstuber, Bastian Schweinsteiger, Müller e Klose empatou 1-1 com a Itália, em jogo amigável disputado em Dortmund. Klose marcou para os da casa, ao passo que Andrea Ranocchia e Thiago Motta alinharam pelos visitantes.