O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

UEFA.com escolhe o melhor do Futsal EURO 2016

A confiança contagiante da Espanha, a alegria da Sérvia nos quartos-de-final, a frieza de Sergei Abramov e, claro, Ricardinho: os nossos repórteres escolhem os seus momentos favoritos em Belgrado.

Ricardinho esteve em destaque na Sérvia, apesar da eliminação precoce de Portugal
Ricardinho esteve em destaque na Sérvia, apesar da eliminação precoce de Portugal ©Getty Images

Noah Broad: A atitude de campeã da Espanha
No dia seguinte à grande vitória de Espanha, por 6-2, sobre Portugal, nos quartos-de-final, fui convidado para filmar a uma sessão de treino da selecção espanhola. Sem o esperar, vivi aí o meu momento mais memorável do torneio. Deparei-me com uma tranquilidade que transpirava confiança, a confiança dos campeões.

Enquanto Alex, Mario Rivillos, Pola e companhia faziam o aquecimento, os seus exercícios com bola e o treino de preparação para o jogo seguinte, senti-me contagiado pela sua confiança. E foi sem surpresa que, quatro dias depois, os vi erguerem mais uma vez o troféu.

As qualidades técnicas da Espanha
As qualidades técnicas da Espanha

Dmitri Mamykin: O olhar de Abramov
Este torneio vai ser recordado pelo golo de Ricardinho, mas houve outros grandes momentos. Na meia-final da Sérvia com a Rússia, quando Mladen Kocić fez o 1-1, pensou-se que a selecção da casa podia mesmo chegar à final. A Rússia parecia em dificuldades mas, de repente, após receber um passe de Sergei Sergeev, Sergei Abramov, com um toque, fez a bola passar sobre Kocić e, depois de deixar bater no chão, disparou certeiro para o fundo das redes.

O jogo acabaria por ser apenas decidido no prolongamento, a favor dos russos, mas é com aquele olhar sério de Abramov após marcar aquele grande golo que o guarda-redes sérvio, Miodrag Aksentijević, vai ter certamente pesadelos durante muito tempo.

Como Abramov e a Rússia abateram os anfitriões
Como Abramov e a Rússia abateram os anfitriões

Paul Saffer: A sensasional Espanha
Foi o quinto UEFA Futsal EURO a que assisti e o quarto em que vi a Espanha ganhar. Depois de perder o título em 2014, a Espanha chegou a Belgrado desfalcada de alguns dos seus principais jogadores. Pensava-se que iria passar por muitas dificuldades, mas a verdade é que os espanhóis pareceram melhores do que nunca e terminaram com um claro triunfo por 7-3 na final, frente à Rússia, selecção que os bateu havia eliminado em 2014.

Após a final, o treinador José Venancio López relevou que, à chegada a Belgrado, tinha dito aos seus jogadores: "Vocês são a melhor equipa que alguma vez treinei. E já treinei muitas!" E, de facto, apesar dos abandonos de Luis Amado, Javi Rodríguez, Kike e Torras e das lesões de Sergio Lozano, Adri, Aicardo e Fernandao, esta pareceu mesmo ser a melhor Espanha de sempre.

Os sete golos da Espanha na final
Os sete golos da Espanha na final

Rok Šinkovc: Os festejos sérvios
A multidão que enchia a Arena Belgrado já estava pronta para o prolongamento, as "cheerleaders" prontas para saltar para a pista depois da buzina final, os jogadores de Espanha e Portugal prontos para terem um período de aquecimento mais reduzido… Sérvia e Ucrânia estavam empatadas estavam empatadas 1-1 no 40º minuto do embate dos quartos-de-final e o tempo extra parecia inevitável.

Mas Miloš Simić tinha outras ideias e desfez a igualdade num excelente remate de primeira. Restavam 0,3 segundos no cronómetro de jogo. Em vez de mais dez minutos de futsal, assistiu-se, sim, a uma celebração épica por parte de jogadores e adeptos da selecção da casa.

A vitória da Sérvia no último segundo
A vitória da Sérvia no último segundo

Nuno Tavares: A magia de Ricardinho
"Melhor jogador do mundo", "golo do século", "o Leo Messi do futsal" ou "um jogador de outra galáxia" foram apenas alguns dos elogios feitos a Ricardinho no UEFA Futsal EURO 2016. A estrela de Portugal assumiu-se como a figura do torneio, apesar da eliminação ante a Espanha, nos quartos-de-final. O seu golo do outro mundo diante da Sérvia foi, talvez, o melhor do deslumbrante desempenho do ala do Inter FS em Belgrado, mas foi apenas um dos seus vários momentos de magia.

Se ter a Arena Belgrado a cantar o seu nome durante vários minutos, após a derrota de Portugal frente à Espanha, não fosse já prova suficiente do seu estatuto de culto, Ricardinho mostrou uma vez mais por que tem a alcunha de "O Mágico". Desolado com a derrota e com nova decepção ao serviço do país que tanto ama, Ricardinho encontrou força para levar um sorriso à cara dos seus imensos fãs, mantendo-se na quadra para tirar fotografia atrás de fotografia. A imagem de Ricardinho a segurar a dor e as lágrimas enquanto sorria para as câmaras ficará comigo para sempre. Não é todos os dias que se vê aquele tipo de magia…

O momento de magia de Ricardinho
O momento de magia de Ricardinho