O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Mammarella partilha o mérito do bronze

O guarda-redes italiano Stefano Mammarella destacou os colegas depois de marcar o golo que garantiu um triunfo por 3-1 sobre a Croácia no jogo de atribuição do terceiro lugar.

Stefano Mammarella comemora a conquista da medalha de bronze pela Itália
Stefano Mammarella comemora a conquista da medalha de bronze pela Itália ©Sportsfile

Roberto Menichelli, seleccionador de Itália
Quero começar por dar os parabéns à Croácia, já que foi um grande encontro e eles jogaram muito bem. A vitória neste desafio tem maior significado devido à qualidade dos nossos adversários. Quanto à nossa equipa, estou feliz pelos meus jogadores que conquistaram esta medalha. Este Europeu vai ficar para sempre na nossa memória. Também não posso esquecer o público fantástico que esteve no pavilhão esta noite. Estamos muito felizes com esta vitória.

Os especialistas do futsal reconhecem que o Stefano Mammarella é um dos melhores guarda-redes. Para mim é difícil destacar jogadores, prefiro sublinhar a exibição colectiva. Os sucessos de uma equipa são conseguidos colectivamente e não devido a um único jogador. É a nossa forma de pensar, mas certamente que o Mammarella é um dos melhores do mundo.

Stefano Mammarella, guarda-redes de Itália
Queríamos ganhar este jogo e atingimos o objectivo. Demos tudo frente à Espanha, mas o máximo que podíamos conquistar neste jogo era a medalha de bronze, e queríamo-la a qualquer custo. Esta é uma excelente selecção de Itália, formada por indivíduos excepcionais.

Já marquei em várias ocasiões importantes. Marquei ao Benfica na Taça UEFA de Futsal [nas meias-finais em Abril de 2011], podemos dizer que tenho sorte nas competições da UEFA! Se sou o melhor guarda-redes do mundo? Não sinto isso, de forma alguma. Tento estudar todos os desafios e olhar para o futuro. É a minha forma de ser.

Mato Stanković, seleccionador da Croácia

Repetimos alguns erros que já tínhamos cometido na meia-final e voltámos a sofrer um golo demasiado cedo. Preparámos isto durante o dia inteiro, para não cometer erros, mas voltámos a consentir um golo no primeiro minuto. Depois jogámos bem e estou feliz por termos conseguido ameaçar a Itália durante alguns minutos. No final do jogo tivemos algumas boas oportunidades, mas não conseguimos aproveitar.