Vantagem de 2-0 não tranquiliza a Ucrânia

"Vamos estar no EURO", disse Yevhen Konoplyanka após a sua equipa vencer a Eslovénia por 2-0, mas a Ucrânia tem razões para ser cautelosa, como explica Bogdan Buga.

A Ucrânia espera que Andriy Yarmolenko tenha bons motivos para estar optimista
©Getty Images

As reacções à vitória da Ucrânia sobre a Eslovénia, por 2-0, na primeira mão do "play-off" do UEFA EURO 2016, em Lviv, foram muito contidas. "Vamos estar no EURO", disse o extremo Yevhen Konoplyanka, mas nenhum dos seus colegas estava disposto para fazer uma previsão tão ousada.

Talvez haja razões para isso. Em Novembro de 2013, parecia que a Ucrânia tinha um pé no Campeonato do Mundo de 2014, no Brasil, após vencer em casa a França, também por 2-0, no "play-off". No entanto, na segunda mão os "bleus" bateram a equipa de Mykhailo Fomenko por 3-0, resultado que ditou a quinta eliminação da selecção do Leste num "play-off".

"Penso que nessa altura pesou a nossa falta de experiência", disse Fomenko. "Foi isso e o facto de não podermos ter alterado metade da equipa [para a segunda mão, como fez a França]. Aprendemos uma lição e temos de retirar ensinamentos disso".

A França foi, talvez, um adversário mais assustador do que a Eslovénia, mas as comparações entre as duas eliminatórias não se ficam apenas pelo nervosismo ucraniano.

Andriy Yarmolenko marcou de grande penalidade para fazer o 2-0 à França e participou nos dois golos diante da Eslovénia, no sábado, marcando o primeiro e solicitando Artem Fedetskiy, que por sua vez assistiu Yevhen Seleznyov para o segundo tento. "Quando há dois anos vencemos por 2-0, ficámos felizes e pensávamos que já estávamos no Brasil", relembrou o avançado do Dynamo Kyiv. "Mas depois fomos eliminados".    

Resumo: Veja os golos da Ucrânia
Resumo: Veja os golos da Ucrânia

"Todos sabem que não se pode facilitar", acrescentou Yarmolenko. "Ainda há uma segunda mão e a eliminatória está em aberto. Criámos as condições e agora temos de conseguir um resultado positivo na Eslovénia. Teremos de ser organizados na defesa e aproveitar as oportunidades que criarmos. Sabemos que se fizermos um golo a Eslovénia terá de marcar quatro".

Taras Stepanenko e Olexandr Kucher regressam terça-feira em Maribor, após cumprirem castigo, enquanto o capitão Ruslan Rotan, lesionado, ficará de fora a apoiar, cedendo temporariamente a braçadeira a Konoplyanka - cujo cruzamento no fim-de-semana resultou no golo inaugural de Yarmolenko.

Esse golpe de sorte – e o optimismo natural do extremo do Sevilla – fez dele um solitário foco de confiança à entrada para o jogo decisivo. "Tudo corre conforme planeado", disse entre sorrisos. “Disse-vos antes do primeiro jogo que íamos ganhar. E estava certo - talvez agora possa tornar-me num comentador televisivo - Lembram-se da França? Não se preocupem – vamos eliminar a Eslovénia e chegar ao EURO". Os adeptos da Ucrânia podem acreditar que a sua confiança tem razão de ser.

Topo