O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Noruega vence Itália e assegura presença na final

Itália 2-3 Noruega
Caroline Hansen saltou do banco para marcar o golo do triunfo das norueguesas, que assim deitaram por terra as ambições das anfitriãs.

A Noruega fez a festa em Bellaria
A Noruega fez a festa em Bellaria ©UEFA.com

Caroline Hansen marcou o golo da vitória três minutos após saltar do banco e ajudou a Noruega a levar a melhor sobre a Itália num encontro marcado por muitos erros de parte a parte, carimbando assim o passaporte para a final do Campeonato da Europa Feminino de Sub-19.

A jovem de 16 anos marcou directamente a partir de um pontapé de canto, a meio do segundo tempo, conferindo vantagem no marcador às pupilas de Jarl Torskepela terceira vez na partida, disputada em Bellaria – vantagem que, desta feita, duraria até ao apito final. Elisa Lecce havia, por duas vezes, restabelecido a igualdade para a Itália, respondendo aos golos de Melissa Bjånesøy, aos 12 minutos, e de Ada Hegerberg, no arranque do segundo tempo.

O jogo, uma repetição da final de 2008, na qual a Itália venceu por 1-0, começou de forma algo incaracterística, com ambas as equipas a mostrarem dificuldades em lidar com as condições do relvado, que quase permitiram à Itália ganhar vantagem logo nos primeiros minutos. Ane Fimreite escorregou ao tentar chegar a uma bola que não parecia constituir qualquer perigo, mas Katia Coppola não conseguiu aproveitar da melhor forma. E, dois minutos depois, seria a Noruega a chegar ao golo.

Ada Hegerberg desferiu um perigoso cruzamento da direita, Cathrine Dekkerhus arrastou consigo a defesa contrária e Bjånesøy ficou solta de marcação. Em excelente forma, a ponta-de-lança não hesitou ao ver a bola chegar até si e rematou com êxito, mas a vantagem norueguesa não iria durar muito.

A capitã da selecção italiana, Martina Rosucci, única resistente em relação à final de 2008, foi quem esteve na origem do lance do empate, surpreendendo a defesa contrária com um excelente passe em profundidade. Lecce acorreu à bola, ganhou em velocidade às adversárias e fintou a guarda-redes norueguesa, Ane Fimreite, antes de colocar a bola para o fundo da baliza deserta.

Os erros defensivos foram uma constante ao longo de todo o encontro e era apenas uma questão de saber quais acabariam por se revelar fatais. Roberta Filippozzi viu um corte desastroso ser devolvido pela trave pouco antes do intervalo e, logo no início do segundo tempo, novo descuido de Filippozzi quase permitia à Noruega recolocar-se na frente do marcador, mas Kristine Hegland chegou atrasada ao cruzamento rasteiro de Bjånesøy.

O golo norueguês, porém, foi uma questão de tempo e nasceu de um misto do querer de Bjånesøy e da hesitação de Laura Giuliani, que permitiram a Ada Hegerberg fazer o 2-1. Um minuto mais tarde a Itália voltou a empatar, com Claudia Mauri a isolar Lecce para nova excelente finalização da atacante italiana. A Noruega, contudo, recolocar-se-ia na frente instantes mais tarde, na sequência de um pontapé de canto cobrado por Hansen que levou a bola a entrar junto ao primeiro poste.

Desta feita não houve recuperação possível para a Itália, embora Marta Mason, perto do fim, ainda tenha obrigado Fimreite a defender de forma brilhante, para a trave, um perigoso remate.