Kellermann pensa no futuro do Wolfsburgo

Primeiro técnico de clubes nomeado treinador do ano no futebol feminino, Ralf Kellermann aponta à conquista do terceiro troféu por parte do Wolfsburgo.

Kellermann pensa no futuro do Wolfsburgo
Kellermann pensa no futuro do Wolfsburgo ©UEFA.com

Ralf Kellerman pode estar a celebrar o facto de ter sido nomeado esta segunda-feira o Melhor Treinador do Ano do futebol feminino – contudo, os seus pensamentos estão firmemente centrados na tentativa de conquista pelo VfL Wolfsburg do terceiro título consecutivo da UEFA Women's Champions League e nos difíceis quartos-de-final que vai disputar com o FC Rosengård.

O feito de Kellermann de liderar o Wolfsburgo na época passada ao segundo título europeu e na Frauen Bundesliga consecutivos valeu-lhe o prémio à frente da seleccionadora de Sub-19 da Alemanha, Maren Meinert e do seleccionador do Japão, Norio Sasaki, na primeira vez que um treinador de clube recebe a distinção. “Receber este prémio é um momento excepcional. Gostaria de agradecer a tanta gente – ter um prémio individual num desporto colectivo. Por isso, isto, é para toda a equipa”, disse o vice-campeão em 2013, Kellermann. Ainda assim, o seu foco está no futuro.

Quando Kellermann, no sorteio de Novembro, em Nyon, soube que ao Wolfsburgo caberia defrontar o Rosengård, campeão da Suécia, teve que durante alguns segundos suster a respiração. “Vamos defrontar a melhor equipa sueca, que com facilidade venceu o campeonato da Suécia”, disse ao UEFA.com o técnico de 46 anos. “Jogadoras como a Marta, Anja Mittag, Ramona Bachmann  - são uma equipa de topo além de que teremos de jogar a segunda mão fora e em relva sintética."

As memórias do duelo da época passada nos oitavos-de-finalestão ainda frescas quando o Wolfsburgo derrotou o clube então denominado FCR Malmö com um lisonjeiro triunfo fora por 2-1, na primeira mão, seguido de nova vitória por 3-1 em casa. "Foram dois jogos renhidos, pelo que tudo é possível e serão os desempenhos nesse dia a fazer a diferença", disse Kellermann.

"É uma vantagem para o Rosengård [poder] jogar a segunda mão em casa além de que jogam num piso sintético, mas nós temos relva artificial em Wolfsburgo onde poderemos treinar, pelo que estaremos preparados."

Kellerman, cuja equipa está invicta na Europa há 22 jogos nas últimas três temporadas e lidera a liga alemã chegada a pausa de Inverno, acrescentou: "Se queremos jogar a Champions League e prová-lo a nós mesmos temos que defrontar as melhoras equipas. E se queremos atingir a final teremos também que bater o Rosengård".

Todavia, a lesão que atingiu a capitã Nadine Kessler causou algumas preocupações, embora Kellermann confie que ela esteja recuperada para ambos os jogos após a cirurgia ao joelho a que foi submetida em Outubro e que ditou uma paragem superior à esperada. A jogadora de 26 anos deveria ter retomado os treinos no início de Janeiro mas ainda sente dores, pelo que a sua integração teve de ser adiada por um período indeterminado. "Seria importante ter a nossa capitã de volta", disse Kellermann.

"Defrontámo-las num amigável na pré-temporada e vencemos por 2-0, mas não podemos cingir-nos a esse jogo. Vai ser muito difícil para nós chegar às meias-finais, mas defrontar o Paris vai ser outro duelo atractivo."