O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Kessler: Wolfsburgo pronto para repetir sucesso

Nadine Kessler, capitã do Wolfsburgo, espera voltar a erguer o troféu em Lisboa e conta como o embate das meias-finais ante o Potsdam ajudou a trazer ainda mais adeptos ao futebol feminino.

Kessler: Wolfsburgo pronto para repetir sucesso
Kessler: Wolfsburgo pronto para repetir sucesso ©UEFA.com

Um ano depois de ter erguido o troféu da UEFA Women's Champions League, em Stamford Bridge, Nadine Kessler espera repetir o feito na próxima quinta-feira, quando capitanear o VfL Wolfsburg frente ao Tyresö FF, em Lisboa, no Estádio do Restelo.

Se na temporada passada o Wolfsburgo era um estreante nestas andanças, quando mediu forças com o então detentor do troféu Olympique Lyonnais, desta feita Kessler e as colegas entram em campo como campeãs em título para defrontar uma equipa que faz esta época a sua estreia na Europa. A centrocampista de 26 anos fala com o UEFA.com sobre a ameaça que o Tyresö constitui e sobre o épico triunfo do Wolfsburgo sobre o 1. FFC Turbine Potsdam nas meias-finais.

UEFA.com: Como é estar de volta à final?

Nadine Kessler: É simplesmente fantástico. Custou muito, pois tivemos de deixar pelo caminho grandes equipas, e por isso mesmo penso que merecemos totalmente estar de novo na final.

UEFA.com: Que diferenças encontra em relação à última época? Na temporada passada vocês eram estreantes, agora chegam à final como campeãs em título...

Kessler: Sim, tem sido totalmente diferente. As expectativas estão muito altas e a Champions League é uma competição de enorme prestígio para todos, por isso a pressão sobre nós é muito maior do que na época passada, o que constitui um desafio ainda maior.

UEFA.com: Pode falar-nos um pouco da intensidade vivida na meia-final 100 por cento alemã contra o Potsdam e o que ela significou?

Kessler: Foi um embate explosivo, repleto de emoções. O Potsdam é um clube que gera grandes paixões e várias semanas antes a atenção mediática era já muita. A primeira mão foi uma batalha enorme, com várias ocasiões de golo que ninguém conseguiu concretizar. A segunda mão valeu bem o preço que os espectadores pagaram pelo bilhete, pois proporcionámos um enorme espectáculo, cheio de golos e emoção. Houve muita luta, muita vontade de parte a parte, a emoção esteve à flor da pele e penso que foi fantástico para a promoção do futebol feminino.

UEFA.com: Que importância têm jogos como esse e uma competição como a Champions League para o desenvolvimento do futebol feminino e para atrair ainda mais público?

Kessler: A Champions League é muito importante. Hoje os jogos são transmitidos pela TV e essa segunda mão das meias-finais em particular atraiu um número considerável de telespectadores. As críticas têm sido bastante positivas, mesmo por parte de pessoas que não costumavam seguir o futebol feminino.

UEFA.com: Que final espera em Lisboa? O que precisam de fazer para voltarem a erguer o troféu?

Kessler: Teremos de mostrar a mesma atitude de sempre e actuar como equipa. Teremos de correr muito e estar sempre prontas para ajudar as nossas colegas. Só assim poderemos bater o Tyresö. No papel, elas têm uma equipa bastante forte, apesar de não terem ainda muita experiência nas competições europeias. Mas nomes como Marta, [Caroline] Seger e outras atestam todo o seu potencial, por isso sabemos que só conseguiremos defender com êxito o troféu se todas nós dermos 100 por cento.

UEFA.com: Como foi erguer o troféu na época passada, em Stamford Bridge?

Kessler: Ainda fico arrepiada cada vez que me lembro. Foi fantástico, uma sensação impossível de descrever. É o ponto mais alto que se pode atingir. Foi único.

UEFA.com: Há algo de especial que vá dizer às suas colegas antes de entrarem em campo na final de Lisboa?

Kessler: Sim, claro. Digo sempre algo antes dos jogos e, antes da final de Lisboa, irei sem dúvida dizer algo à equipa, mas ainda não pensei nas palavras exactas.