O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

De la Fuente destaca competitividade espanhola

Luis de la Fuente descreveu a Espanha como "insaciável" após mais um título Sub-19, enquanto Dmitri Khomukha reconheceu que a derrota da Rússia foi merecida.

Veja o resumo da final na Grécia, com a Espanha a vencer o troféu ao bater a Rússia por 2-0.
Highlights: See how Spain claimed U19 crown

Luis de la Fuente, seleccionador da Espanha
Hoje estou muito, muito feliz. A Rússia tinha uma grande equipa e obrigou-nos a trabalhar bastante – a derrota na fase de grupos motivou-nos a ser melhores neste desafio. Foi o nosso melhor jogo no torneio e um dos melhores de sempre. A primeira parte foi quase perfeita e só faltou marcarmos mais golos. Também fomos superiores à Rússia na segunda parte, mas até fazermos o 2-0 a vitória não estava certa.

Entre o jogo com a Rússia e este disputámos três partidas e mudámos algumas coisas. Hoje estávamos em melhor condição física, principalmente por a minha equipa ser insaciável. Quer sempre ganhar e ficou muito magoada após a derrota inaugural com a Rússia; hoje jogaram muito bem porque queriam conquistar o troféu.

Este triunfo significa que podemos manter-nos fiéis à nossa filosofia futebolística, à forma como jogamos. É a prova do trabalho levado a cabo nas diversas províncias na descoberta de talentos que depois são aconselhados à federação. Podemos estar muito optimistas para o futuro pois temos uma base de recrutamento grande. Muitos dos jogadores que estiveram em campo hoje estarão a disputar a primeira divisão dentro de poucos anos – e na selecção principal.

Dmitri Khomukha, seleccionador da Rússia
Parabéns à Espanha e ao seu treinador – hoje estiveram muito melhor do que na fase de grupos e mereceram ganhar. É um resultado justo. Perdemos a posse da bola nos primeiros minutos e a Espanha colocou-nos sob pressão – tivemos problemas sérios nos lances de bola parada. Técnica e tacticamente eles apresentaram-se bem preparados e mereceram vencer.

A Espanha é uma excelente equipa – de topo, mesmo. Existem adversários que a conseguem bater duas vezes num curto espaço de tempo, mas não muitos. Precisamos de ver a que nível estes jogadores estão verdadeiramente. Precisamos de perceber porque é que hoje alguns estiveram à altura das exigências e outros não.

O sucesso da nossa equipa tem sido muito importante e estes jogadores merecem evoluir ainda mais. Precisam de jogar pelos respectivos clubes – é assim que se tornam melhores jogadores. A Espanha mostrou-nos o quanto precisamos de melhorar, a nível técnico e táctico.

Claro que gostaríamos que mais destes jogadores estivessem na selecção principal – se somarem mais tempo de jogo nos clubes, vão chegar lá. É tão simples quanto isso.

A nossa equipa ganhou experiência fundamental neste torneio, algo que vai ajudar os jogadores no futuro. Mostrámos verdadeiramente o nosso potencial e, no global, a competição foi um sucesso para nós.

Não tive conversações sobre a possibilidade de assumir a selecção Sub-21, mas se receber o convite provavelmente vou aceitá-lo, pois gosto de trabalhar com jovens – é isso que quero fazer.