O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Nova geração confirma estatuto do Barcelona

Perfil da equipa: O Barcelona ultrapassou facilmente a fase de grupos com 20 golos marcados, mas sentiu mais dificuldades para bater o Copenhaga e o Arsenal, acabando por se apurar em grande estilo.

O Barcelona festeja um golo nos oitavos-de-final, frente ao Copenhaga
O Barcelona festeja um golo nos oitavos-de-final, frente ao Copenhaga ©FC Barcelona

Não é coincidência que treinadores e formadores de treinadores por todo o Mundo façam peregrinações até à academia La Masía, propriedade do FC Barcelona, considerada um santuário do desenvolvimento jovem. Neste contexto, também é sem surpresa que a próxima geração de talento do Barcelona se tenha qualificado para a fase final da UEFA Youth League, em Nyon.

Ainda assim, depois de ter atravessado a fase de grupos invicto, com 20 golos marcados e cinco sofridos, os jovens "blaugrana" foram obrigados a passar por uma curva de aprendizagem complicada na fase a eliminar. Primeiro teve que recuperar de uma desvantagem caseira de 1-0 para bater o FC København, e depois teve de arranjar uma resposta táctica para uma equipa do Arsenal FC que, no jogo dos quartos-de-final realizado no Mini Estadi, conseguiu controlar com sucesso, e durante longos períodos, o explosivo jogo ofensivo do Barça.

A equipa jovem partilha da cartilha futebolística da formação principal, educada a assentar o seu jogo na posse de bola, excelência técnica, combinações e, acima de tudo, um nível de humildade ilustrada pela política do clube em impedir jogadores dos escalões jovens de darem entrevistas, por forma a manterem um perfil comunicacional discreto. O treinador Jordi Vinyals prefere concentrar-se no colectivo em vez das virtudes individuais.

Mesmo assim, o "onze" inicial do Barcelona conta com algumas individualidades vistosas. Oito golos em igual número de partidas dizem muito do instinto predatório do avançado Munir El Haddadi. A velocidade e capacidade técnica do extremo-direito Adama Traoré causou comparações com o seu homólogo da equipa principal, Pedro Rodríguez. Jordi Ortega partilha das qualidades do discreto mas influente Sergio Busquets como médio-defensivo. Atrás de si, Juanma García e Rodrigo Tarín são os pilares de uma defesa que sofreu apenas oito golos na caminhada para Nyon.

"Temos aprendido bastante e a experiência será magnífica novamente", disse Vinyals na antevisão para as meias-finais em solo suíço. "No desafio com o Schalke espero um pouco de magia e alegria."

Número: 8
Quando o Barcelona ganhou a UEFA Champions League em 2011, oito dos jogadores envolvidos na final de Wembley eram oriundos da academia do clube.

Treinador: Jordi Vinyals
Data de nascimento: 24/11/1963
Vinyals, natural da cidade catalã de Cardedeu, percorreu o caminho desde La Masía até à equipa principal do Barça como médio, representando outros seis clubes até enveredar pela carreira de treinador, em 2000. Regressou a "casa", La Masía, em 2012, para orientar as equipas jovens.

Foco na academia
La Masía formou 17 jogadores da equipa principal, incluindo os muito premiados Lionel Messi, Xavi Hernández e Andrés Iniesta – os dois últimos foram eleitos Jogador do Torneio no UEFA EURO de 2008 e 2012, respectivamente.

Caminhada até Nyon
Fase de grupos: AFC Ajax 4-1 (c), Celtic FC 2-1 (f), AC Milan 6-2 (f), AC Milan 1-1 (c), AFC Ajax 4-0 (f), Celtic FC 3-0 (c) – vencedor do Grupo H

Oitavos-de-final: FC København 4-1 (c)

Quartos-de-final: Arsenal FC 4-2 (c)

Melhor marcador: Munir El Haddadi 8