O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Barcelona mais forte

FC Barcelona 2-0 FC Porto
Messi e Fàbregas marcaram os golos que deram o troféu ao Barça, num jogo em que o Porto terminou com nove.

Barcelona mais forte
Barcelona mais forte ©UEFA.com

O FC Barcelona conquistou esta sexta-feira a quarta SuperTaça Europeia do seu historial, com o FC Porto a não conseguir evitar uma derrota por 2-0 no Stade Loius II, no Mónaco.

A equipa espanhola, que estabeleceu um novo recorde de oito presenças na prova que coloca frente-a-frente os vencedores da UEFA Champions League e da UEFA Europa League, adiantou-se na recta final da primeira parte, quando Lionel Messi aproveitou com êxito um passe errado de Fredy Guarín, antes de Cesc Fàbregas entrar em campo para fechar a contagem perto do fim. O FC Porto terminou com nove jogadores por expulsão de Rolando e Fredy Guarín antes e depois do segundo tento do Barça.

Privado do concurso dos centrais Carles Puyol e Gerard Piqué, o técnico do Barça, Josep Guardiola, voltou a confiar na dupla formada por Éric Abidal e Javier Mascherano, ao mesmo tempo que surpreendeu ao apostar em Seydou Keita em detrimento de Sergio Busquets. Do lado do FC Porto, a principal nota de destaque foi para a titularidade de Cristian Rodríguez, que assim relegou Silvestre Varela para o banco de suplentes. E a verdade é que a novidade introduzida por Vítor Pereira produziu efeitos de imediato, com Rodríguez a ser um dos eleitos para levar a cabo uma pressão alta que causou desde muito cedo problemas aos catalães.

Os "dragões" iniciaram o jogo de forma muito personalizada e viram Hulk ter uma boa oportunidade para alvejar a baliza contrária logo aos seis minutos, mas o seu livre directo em posição privilegiada levou a bola a passar por cima da barra. Bem mais perto do 1-0 ficou João Moutinho no minuto seguinte, com o médio portista a ver o seu remate de pé direito ser desviado para canto por Víctor Valdés com a ponta dos dedos. O Barcelona respondeu três minutos volvidos, quando um ressalto na defesa do FC Porto acabou por deixar isolado Pedro Rodríguez mas este tentou de imediato o "chapéu" a Helton e a bola saiu por cima.

A pressão portista ia conseguindo limitar o habitual demolidor jogo ofensivo do Barça, mas a partir da meia-hora de jogo os espanhóis começaram a ter mais posse de bola e a empurrar o adversário para o seu meio-campo. Xavi Hernández avisou para o que estava a chegar aos 37 minutos, quando obrigou Helton a desviar o seu remate para canto, mas quis o destino que o golo do Barcelona surgisse na sequência de um erro "azul-e-branco", a seis minutos do intervalo. Guarín viu-se sob pressão a meio do seu meio-campo e tentou um passe atrasado que acabou por isolar Messi. O recentemente coroado Melhor Jogador da UEFA na Europa não vacilou na hora da verdade, contornando Helton e atirando a contar com o pé direito.

O FC Porto abordou a segunda parte disposto a correr atrás do prejuízo e viu João Moutinho criar muito perigo aos 52 minutos, com o seu remate a sofrer um desvio em Abidal e a sair muito perto do poste à guarda de Valdés. Apenas dois minutos volvidos e foi a vez de o próprio guardião espanhol evitar o 1-1 com uma providencial defesa para canto, após um remate de longa distância de Guarín. O Barcelona aguentou o primeiro impacto do "dragão" e foi controlando a vantagem no marcador. E a tarefa do FC Porto ficou ainda mais complicada com a expulsão de Rolando, por acumulação de cartões amarelos, a cinco minutos do fim, três antes de Fàbregas não perdoar na cara de Helton, a passe de Messi, e de Guarín ver o vermelho directo logo a seguir.