O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Bélgica 2-3 França: Theo Hernández completa fantástica reviravolta gaulesa

O primeiro golo de Theo Hernández pela sua selecção valeu à França uma extraordinária reviravolta no marcador e a passagem à final de domingo, frente à Espanha.

Theo Hernández festeja o golo da vitória francesa
Theo Hernández festeja o golo da vitória francesa Icon Sport via Getty Images

A França vai defrontar a Espanha na final de domingo da UEFA Nations League, depois de uma sensacional recuperação na segunda parte frente à Bélgica.

Compre bilhetes para a Nations League

O jogo em poucas palavras

Resumo: Bélgica 2-3 França
Resumo: Bélgica 2-3 França

A Bélgica parecia ter tudo bem encaminhado para estar na final de domingo, depois do que fez na primeira parte. Hugo Lloris, com uma grande defesa, ainda negou o golo a Kevin De Bruyne logo a abrir o jogo, mas um remate rasteiro de Yannick Carrasco e uma finalização de Romelu Lukaku à sua imagem, ambos assistidos por De Bruyne, deixaram os belgas com uma vantagem confortável ao intervalo. Mas os actuais campeões do mundo reagiram no segundo tempo e deixaram desde logo dois avisos, por Paul Pogba e Antoine Griezmann, antes de Karim Benzema reduzir a diferença. Kylian Mbappé não perdoou, depois, na transformação de uma grande penalidade e restabeleceu a igualdade.

À beira do fim, Lukaku pensou que tinha recolocado a Bélgica na frente, mas viu o seu golo invalidado por fora de jogo e logo a seguir Paul Pogba, de livre, acertou na trave para a França. Só que no minuto seguinte a bola acabaria mesmo por entrar na baliza à guarda de Courtois. Theo Hernández, com um remate forte e cruzado fora da área, de pé esquerdo, carimbou a extraordinária cambalhota no marcador por parte da selecção gaulesa.

Bélgica - França: como tudo aconteceu, reacções

Melhor em Campo: Kylian Mbappé (França)

"Com a sua velocidade e a sua técnica, Mbappé foi sempre uma ameaça no ataque da França. Abriu espaços, levou defesas consigo, tentou assistir os colegas e assumiu a responsabilidade de bater a grande penalidade que restabeleceu a igualdade. Fez a diferença no virar do resultado."
Vera Pauw, Observadora Técnica da UEFA

Mbappé brilhou a grande altura
Mbappé brilhou a grande alturaDeFodi Images via Getty Images

Reacções

Didier Deschamps, seleccionador da França: "Eles marcaram dois golos num período final da primeira parte em que estiveram muito fortes. Termos conseguido ainda ganhar este jogo mostra o carácter desta equipa. Os meus jogadores nunca desistiram. Viemos aqui para estar na final; conseguimos lá chegar e agora há um troféu em jogo. Vamos dar tudo para o erguer."

Antoine Griezmann, avançado da França: "Todos nós estamos muito orgulhosos. Ao intervalo dissemos o que era preciso. O Kylian (Mbappé) e o Karim (Benzema) fizeram um trabalho fantástico, pressionando muito no ataque, marcando e fazendo a diferença. Foi um jogo extraordinário. Ao intervalo, sabíamos que se marcássemos um golo relançaríamos o jogo e foi o que aconteceu. Agora temos uma final para jogar e vamos ter de recuperar bem até lá."

Roberto Martínez, seleccionador da Bélgica: “A nossa primeira parte foi verdadeiramente extraordinária. Estivemos confiantes e as coisas saíram com naturalidade. No segundo tempo deixámo-nos levar pelas emoções. Talvez tenhamos começado a pensar na final em demasia. Não fizemos o que tínhamos de fazer, deixámos a França reagir e, no fim, eles ainda tiveram forças para marcarem aquele último golo."

Yannick Carrasco, autor do primeiro golo da Bélgica: “Estava tudo a correr tão bem. Tínhamos o jogo controlado, marcámos dois golos...até á segunda parte. Recuámos demasiado, perdemos a calma que vínhamos demonstrado com bola e não conseguimos criar mais problemas à França. Mentalmente, foi duro. Quando eles fizeram o 2-2 ficámos muito atrás, mas depois a sorte também não esteve do nosso lado"

Principais estatísticas

  • Lukaku chegou aos 68 golos em 101 internacionalizações; apenas cinco outros jogadores europeus marcaram mais pelas respectivas selecções.
  • A França só não marcou golos em dois dos últimos 28 jogos que disputou.
  • Lucas e Theo Hernández tornaram-se nos primeiros irmãos a jogar juntos pela França desde os irmãos Revellis, em 1974..
  • Com apenas 22 anos e 291 dias, Mbappé tornou-se no mais jovem jogador de sempre a chegar às 50 internacionalizações pela França.
  • Lukaku marcou dez golos nos últimos oito jogos que disputou na UEFA Nations League.
Os irmãos Lucas e Theo Hernández foram ambos titulares pela França
Os irmãos Lucas e Theo Hernández foram ambos titulares pela FrançaIcon Sport via Getty Images

Equipas

Bélgica: Courtois; Alderweireld, Denayer, Vertonghen; Castagne (Batshuayi 90+2), Witsel, Tielemans (Vanaken 70), Carrasco; De Bruyne, Lukaku, E. Hazard (Trossard 74)

França: Lloris; Koundé, Varane, L. Hernández; Pavard (Dubois 90+2), Pogba, Rabiot (Tchouameni 75), T. Hernández; Griezmann; Benzema (Veretour 90+7), Mbappé

O que se segue

A Bélgica vai defrontar a Itália no jogo de atribuição do 3º lugar em Turim, a partir das 14h00 de domingo.
A França vai jogar com a Espanha na final, em Milão, também no domingo, a partir das 19h45 (horas de Portugal continental).