Barcelona soma terceiro título em casa

O Barcelona recebeu a fase final de 2019/20 e conquistou o seu terceiro título europeu.

O Barcelona festeja a vitória
O Barcelona festeja a vitória UEFA via Getty Images

Foram precisas 19 épocas para a Espanha, país dominante nesta competição, fornecer os dois finalistas, com o anfitrião Barcelona a bater o Murcia FS por 2-1 no Palau Blaugrana.

Resumo da final da Futsal Champions League: Barcelona 2-1 Murcia
Resumo da final da Futsal Champions League: Barcelona 2-1 Murcia

A edição 2019/20 estava inicialmente agendada para Minsk, na Bielorrússia, mas foi adiada de Abril para Outubro, devido à pandemia da COVID-19 e relocada para Barcelona, com jogos à porta fechada. A fase final contou com apenas dois países, com os espanhóis do Barcelona e do Murcia, que bateram a concorrência dos antigos campeões Kairat Almaty e Benfica na ronda de Elite, e os estreantes russos do KPRF e do Tyumen, este último após eliminar o Sporting CP, campeão na época passada.

A única presença do Murcia na final tinha sido em 2008, em Moscovo, quando perdeu com o Sinara Ekaterinburg, e o longo período de espera terminou com um triunfo sobre uma equipa russa, graças à vitória por 2-1 sobre o Tyumen, com Alberto García, produto dos escalões de formação do clube, a marcar o golo decisivo.

Já o Barcelona ganhou vantagem madrugadora frente ao KPRF mas depois permitiu o empate a dois golos. Esquerdinha fez o 3-2 no prolongamento, tornando-se no primeiro jogador a marcar dez golos em fases finais, mas a 11 segundos do fim Nando empatou de penálti. O vencedor viria a decidir-se no desempate por penalties, onde Lin, antigo jogador do Barça, falhou a segunda tentativa do KPRF, permitindo aos anfitriões vencerem por 5-4, com o capitão Sergio Lozano a converter o remate decisivo.

Resumo da Futsal Champions League: Penalties dão bronze ao KPR
Resumo da Futsal Champions League: Penalties dão bronze ao KPR

O KPRF teve melhor sorte em novo desempate, agora frente ao Tyumen, no jogo de terceiro e quarto lugar, após ter recuperado de uma desvantagem de dois golos, fazendo o 2-2 a oito segundos do fim, graças ao aniversariante Yanar Asadov. Albert Tsaider defendeu os dois primeiros remates do Tyumen, enquanto Ilya Bespaly, o outro guarda-redes do KPRF, entrou para a quarta tentativa e impediu outro golo. Coube a Lin redimir-se, cobrando a tentativa decisiva para o KPRF.

A final também veio a revelar-se equilibrada. O Barcelona voltou a entrar a todo o gás, com o remate de Ferrão a ser desviado para o fundo da baliza por Dyego, com Aicardo a aumentar para 2-0 com somente nove minutos decorridos. Mas o Murcia estava determinado a quebrar a série de 11 derrotas em finais frente ao Barcelona e, logo a abrir a segunda parte, Leo Santana marcou frente à antiga equipa.

No entanto a formação catalã aguentou a pressão e venceu por 2-1, com o troféu a ser erguido por Sergio Lozano, que igualou dois recordes: os 14 jogos de Gabriel em fases finais e os três títulos de Ortiz com o mesmo clube, este ao serviço do Inter FS. Antes do terceiro título do Barça em 2020, somente o pentacampeão Inter tinha alcançado esse feito.