Retrospectiva do Benfica - Dínamo

O Benfica nunca foi eliminado nos oitavos-de-final, mas vai ter de anular a desvantagem de 1-0 quando receber o Dínamo Zagreb.

Alejandro Grimaldo (Benfica) no jogo da primeira mão dos oitavos-de-final em Zagreb
Alejandro Grimaldo (Benfica) no jogo da primeira mão dos oitavos-de-final em Zagreb ©Getty Images

O Benfica, que é o clube com mais jogos disputados em eliminatórias da UEFA Europa League, tem de recuperar da derrota por 1-0 na Croácia se quiser manter o registo perfeito de qualificações nos oitavos-de-final da prova. Caso o Dínamo Zagreb evite a derrota pela primeira vez em sete visitas a Portugal, regressa aos quartos-de-final de uma competição europeia quase meio século depois.

• O Benfica passou para a UEFA Europa League depois de terminar em terceiro no seu grupo da UEFA Champions League, atrás de Bayern e Ajax, com sete pontos. Suplantou outro participante da UEFA Champions League nos 16 avos-de-final, o Galatasaray, por um total de 2-1.

• O Dínamo estreou-se numa fase de grupos das provas europeias esta temporada e não perdeu no Grupo D da UEFA Europa League, tendo registado quatro vitórias e dois empates, antes de eliminar o Viktoria Plzeň nos 16 avos-de-final.

Confrontos anteriores
• Uma grande penalidade convertida por Bruno Petković, aos 38 minutos, fez a diferença entre as duas equipas no Stadion Maksimir. Foi o primeiro golo marcado por um jogador do Dínamo em quatro encontros com o Benfica e infligiu a primeira derrota do clube de Lisboa em seis encontros com clubes croatas.

• Os dois emblemas já se tinham cruzado duas vezes nas competições da UEFA. O Benfica afastou o Dínamo por um total de 2-0 (0-0 fora, 2-0 em casa) na primeira eliminatória da Taça dos Vencedores das Taças, em 1980/81, e ganhou por 2-0, de novo em casa, na fase de grupos da Taça UEFA de 2004/05. 

• Os outros encontros do Benfica ante adversários croatas ocorreram na fase de grupos da UEFA Champions League 1994/95, quando empatou 0-0 com o Hajduk Split e venceu por 2-1 em casa rumo aos quartos-de-final.

• O Dínamo foi derrotado, sem marcar qualquer golo, nas seis visitas realizadas a Portugal. Na última vez perder por 3-0 no Porto, na fase de grupos da UEFA Champions League de 2012/13. Nas três eliminatórias anteriores foi eliminado depois de perder a segunda mão em Portugal.

Os melhores golos da primeira mão dos oitavos-de-final da #UEL
Os melhores golos da primeira mão dos oitavos-de-final da #UEL

Guia de forma

Benfica
• Segundo classificado da Liga Portuguesa em 2017/18 depois de quatro títulos consecutivos, o Benfica iniciou a época europeia na terceira pré-eliminatória da UEFA Champions League ao vencer o Fenerbahçe por um total de 2-1, antes de eliminar o PAOK no "play-off" (1-1 em casa, 4-1 fora). Participou por isso pela nona temporada consecutiva na fase de grupos – 14º no total

• Tendo terminado sem pontos no último lugar do grupo em 2017/18, desta vez as "águias" venceram em casa e fora o AEK Atenas e garantiram o terceiro lugar no Grupo E – o outro ponto registou-se no empate 1-1 em casa com o Ajax. O Galatasaray foi eliminado nos primeiros encontros do Benfica na UEFA Europa League desde a final de 2014: à vitória por 2-1 em Istambul seguiu-se um empate a zero em Lisboa.

• O Benfica participa nos oitavos-de-final da UEFA Europa League pela quinta vez consecutiva, registo recorde ao lado de Valência e Zenit, tendo as suas quatro anteriores presenças sido sempre bem-sucedidas: frente ao Marselha em 2009/10 (1-1 casa, 2-1 fora), Paris em 2010/11 (2-1 casa, 1-1 fora), Bordéus em 2012/13 (1-0 casa, 3-2 fora) e Tottenham em 2013/14 (3-1 fora, 2-2 casa). Nunca perdeu em oito jogos nos oitavos-de- final (5V 3E) e venceu três dos quatro partidas fora, nas quais apontou nove golos.

• O Benfica foi derrotado em 11 dos últimos 20 jogos europeus, mas as cinco vitórias e quatro empates aconteceram todas nesta época. Os encarnados nunca marcaram mais de um golo nos últimos 13 jogos europeus em Lisboa, conseguindo um total de nove. No entanto, nunca perderam em casa em nenhuma fase da UEFA Europa League, somando 17 vitórias e três empates.

• O Benfica foi derrotado por 34 vezes fora de casa na primeira mão das competições da UEFA, e conseguiu recuperar e vencer 11 dessas eliminatórias. Das 11 vezes em que perdeu por 1-0 conseguiu vencer cinco eliminatórias, a mais recente com o Fenerbahçe nas meias-finais da UEFA Europa League de 2012/13 (3-1 em casa). A última vez foi nos quartos-de-final da UEFA Champions League de 2015/16, quando foi eliminado ao empatar 2-2 em Lisboa com o Bayern.

Modrić, Mandžukić e outros: Cinco jogadores formados no Dínamo
Modrić, Mandžukić e outros: Cinco jogadores formados no Dínamo

Dínamo
• O Dínamo corrigiu temporada rara sem troféus em 2016/17 ao ganhar o campeonato e a taça em 2017/18 – a terceira "dobradinha" em quatro temporadas. Tudo indicava estar a caminho da terceira participação na fase de grupos da UEFA Champions League em quatro anos, depois de afastar Hapoel Beer Sheva e Astana e empatar 1-1 na primeira mão do "play-off" na casa do Young Boys, mas a derrota por 1-2 em Zagreb atirou os croatas para a UEFA Europa League.

• O Dínamo venceu os quatro primeiros jogos da fase de grupos: por 4-1 em casa, frente ao Fenerbahçe, por 2-0 no terreno do Anderlecht e no duplo confronto ante o Spartak Trnava (2-1 fora, 3-1 casa). Garantiu o apuramento a duas jornadas do fim e os dois derradeiros  jogos terminaram sem golos. A primeira derrota da sua participação, 1-2 em Plzen, colocou o Dínamo em risco nos 16 avos-de-final, mas recuperou com uma vitória por 3-0 em Zagreb.

• Esta é a primeira época em que o Dínamo se apura para lá de uma fase de grupos na Europa, à 14ª tentativa, pois nunca tinha chegado às rondas a eliminar sob a bandeira da Croácia. A última vez que atingiu uma fase mais adiantada de uma competição da UEFA aconteceu como clube jugoslavo, quando atingiu os quartos-de-final da Taça dos Vencedores das Taças em 1969/70.

• A derrota do Dínamo frente ao Plzen, na primeira mão dos oitavos-de-final, terminou com invencibilidade dos campeões croatas fora de casa na Europa que durava há oito jogos (3V 5E). O triunfo na segunda jornada terminou finalmente com a série de 19 derrotas seguidas nas fases de grupos da UEFA Champions League and UEFA Europa League que durou quase oito anos.

• O Dínamo venceu 18 das 22 eliminatórias europeias em que ganhou na primeira mão em casa, incluindo as últimas 15, duas vezes após triunfos por 1-0. No entanto, duas das quatro eliminações foram frente a equipas portuguesa: o Sporting recuperou de uma derrota por 1-0 em Zagreb e venceu por 3-0 em Lisboa na primeira eliminatória da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1982/83 - a estreia do Dínamo na prova - e o Porto levou a melhor devido aos golos marcados fora na primeira eliminatória da Taça dos Vencedores das Taças, quando o Dínamo começou por ganhar por 2-1 em casa, mas depois perdeu por 1-0 em Portugal.

Os jogos da primeira mão dos oitavos-de-final da #UEL em 90 segundos
Os jogos da primeira mão dos oitavos-de-final da #UEL em 90 segundos

Ligações e curiosidades

• Haris Seferović, do Benfica, e Mario Gavranović, do Dínamo, são internacionais pela Suíça.

• Seferović jogou com Izet Hajrović no Grasshoppers em 2009/10.

• Filip Krovinović, médio do Benfica e titular na primeira mão, é croata e actuou com Dominik Livaković e Ivan Šunjić pelo rival do NK Zagreb. Krovinović jogou na formação do Dínamo e estreou-se pelo Zagreb num derby ante o Dínamo em 2012/13.

• O Benfica fez mais jogos na fase a eliminar da UEFA Europa League do que qualquer outro clube (35). Atingiu os quartos-de-final em 2010, as meias-finais em 2011 e a final em 2013 e 2014 – perdida, respectivamente, frente ao Chelsea em Amesterdão (1-2) e ao Sevilha em Turim (0-0, 2-4 nos penalties). Em contraste, apenas jogou seis partidas na fase de grupos e nenhuma desde 2009/10.

• O Dínamo é um dos quatro clubes em prova nos oitavos-de-final que nunca atingiu esta fase da UEFA Europa League; Slávia Praga, Eintracht Frankfurt e Rennes são os outros.

• O Dínamo é um dos dois campeões nacionais ainda em prova; o outro é o Salzburgo. Seis outras equipas foram eliminadas nos 16 avos-de-final.

• Este é o 16º jogo do Dínamo na Europa esta temporada e anteriormente nunca tinha feito mais de 12 partidas nas provas de clubes da UEFA.

• O próximo jogo de Jonas, do Benfica, será o 50º nas competições europeias.

• O Dínamo deu a volta frente ao Rijeka na Liga croata e venceu em casa por 3-1  no fim-de-semana passado, resultado que lhe permitiu aumentar a vantagem no topo da classificação para 17 pontos de diferença.

Bruno Petković marcou de grande penalidade o único golo da primeira mão para o Dínamo
Bruno Petković marcou de grande penalidade o único golo da primeira mão para o Dínamo©AFP/Getty Images

Desempates por grandes penalidades

• O registo do Benfica em quatro desempates nas provas da UEFA é 2V 2D:

4-1 frente ao Torpedo Moskva, primeira eliminatória da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1977/78

5-6 frente ao PSV Eindhoven, final da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1987/88

4-1 frente ao PAOK, segunda eliminatória da Taça UEFA de 1999/2000

2-4 frente ao Sevilha, final da UEFA Europa League de 2013/14

• O registo do Dínamo no único desempate nas provas da UEFA é de 0V 1D:

5-6 frente ao Sheriff, terceira pré-eliminatória da UEFA Champions League de 2010/11

Treinadores
• Bruno Lage foi confirmado como treinador do Benfica até final da época a 14 de Janeiro. Era o responsável pela equipa B do clube quando foi chamado para dirigir interinamente a formação principal após a saída de Rui Vitória no início do desse mês. Com 42 anos, Lage, nascido em Setúbal (a mesma cidade de José Mourinho), desempenha pela primeira vez as funções de técnico na primeira divisão, mas acumulou vasta experiência noutras funções. Foi treinador dos escalões jovens do Benfica de 2004 a 2012 e passou depois pelo futebol inglês como adjunto de Carlos Carvalhal no Sheffield Wednesday e no Swansea.

• Antigo médio e internacional pela Croácia, cuja camisola vestiu nove vezes entre 2001 e 2004, Nenad Bjelica jogou pelo Osijek na sua terra natal, onde ganhou a Taça da Croácia em 1999, mas passou a maior parte da carreira em Espanha, Alemanha e Áustria. Começou a treinar quando ainda jogava no Kärnten e passou por Itália (Spezia) e Polónia (Lech Poznań), antes de ser escolhido para treinar o Dínamo Zagreb em Maio de 2018 – poucos dias antes do ter ganho o campeonato e a taça.

Topo