O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Paulo Fonseca sobre a Roma, o reencontro com o Braga e as ambições na Europa League

O técnico da Roma abordou o próximo encontro com o Sp. Braga, os seus princípios como treinador e o desejo de vencer a Europa League.

Paulo Fonseca revela ambição ao comando da Roma
Paulo Fonseca revela ambição ao comando da Roma Getty Images

O técnico português, agora ao serviço da Roma, comentou a realidade do clube da capital italiana, o reencontro com o Sp. Braga e não poupou elogios a Carlos Carvalhal, numa entrevista ao UEFA.com.

Sobre os seus três princípios basilares como treinador

Paulo Fonseca: Paixão, disciplina e ambição. Para começar, acho que devemos ter paixão por tudo o que fazemos e precisamos de transmitir essa paixão para ter sucesso. Sou apaixonado pelo que faço. Sou apaixonado pelo meu trabalho. Claro, este é um dos princípios que eu acho que deve ser incutido na equipa. Se não estivermos apaixonados ou entusiasmados com o que fazemos, então, obviamente, todo o resto será muito mais difícil.

Depois, há a questão da disciplina. Isso é crucial para o nosso trabalho. Ter disciplina no que fazemos, no que transmitimos aos outros e na formação de uma identidade dentro da equipa. Disciplina é algo que não podemos abrir mão. Ter uma equipa disciplinada é a chave para criar uma identidade que é algo que nós, como treinadores, buscamos.

Tem que existir igualmente ambição. É importante transmitir ambição aos jogadores e à equipa como um todo. Jogamos para vencer. Devemos ser destemidos e confiantes no nosso jogo. Esses são três princípios que considero cruciais para o sucesso de uma equipa.

Golo sensacional  de Calafiori pela Roma na fase de grupos
Golo sensacional de Calafiori pela Roma na fase de grupos

O seu percurso na Roma

Paulo Fonseca: Ser treinador em Itália é bastante desafiador e muito diferente do que esperava. Mas, 18 meses depois, posso dizer com segurança que criámos uma identidade como equipa. Os jogadores estão mais ambiciosos agora e, como treinador, também sinto que aperfeiçoei a minha técnica nos desafios que constituem treinar em Itália. Ao longo destes 18 meses, sinto que a equipa fez grandes progressos e sinto que estamos muito mais fortes agora do que quando aqui cheguei. Os treinadores aqui enfrentam outro problema: dado o número de competições, não temos muito tempo para treinar. Os jogadores precisam de recuperar depois de cada jogo, e penso que é decisivo haver continuidade.

Sobre a participação da Roma na fase de grupos da [UEFA] Europa League

Paulo Fonseca: Esta competição é muito difícil; gosto de me referir a ela como uma ‘mini [UEFA] Champions League’, em vez de Europa League, porque há excelentes equipas envolvidas. Na temporada passada, perdemos ante a equipa [Sevilha] que viria a ganhar o troféu, e isso diz muito. É uma equipa muito forte e foi uma digna vencedora da competição. Esta temporada fizemos uma excelente fase de grupos, mas isso já passou. Estamos agora na fase a eliminar e vamos defrontar uma equipa muito forte [o Sp. Braga]. Obviamente, sabemos que nos jogos a eliminar não podemos cometer erros e vamos defrontar uma equipa do Braga muito forte. Teremos de fazer boas exibições nas duas mãos, pois serão jogos muito difíceis.

Paulo Fonseca conquistou a Taça de Portugal ao serviço do Braga
Paulo Fonseca conquistou a Taça de Portugal ao serviço do BragaGetty Images

Sobre o Braga, seu próximo adversário na Europa League, que já treinou

Paulo Fonseca: Tenho maravilhosas [recordações] e não se trata apenas do que conquistámos no campo. O troféu que ganhámos foram as relações que construímos no clube. Não tenho palavras para descrever o que sinto por essas pessoas, o que sinto pelo Sporting Clube de Braga. Vai ser difícil defrontá-los, mas vai ser muito bom ver os meus velhos amigos bracarenses, ver um clube e um local onde fui tão feliz.

Os pontos fortes do Braga

Paulo Fonseca: Espero um jogo muito difícil. Conheço muito bem a equipa do Braga, conheço muito bem o seu treinador [Carlos Carvalhal], que é um treinador de topo. O Carlos está a fazer um trabalho magnífico. O Braga é uma equipa com identidade própria e vai ser uma eliminatória muito dura para nós. O Braga é hoje uma das equipas mais fortes de Portugal e, como disse, é uma equipa com identidade própria e não consigo identificar quaisquer pontos fracos. No conjunto, está muito bem organizada e muito bem treinada. É uma equipa forte em todas as situações de jogo, o que significa que serão duas partidas muito difíceis.

A relação com Carlos Carvalhal e um presente especial

Paulo Fonseca: Temos uma excelente relação. Eu também lhe disse que tenho uma garrafa de vinho italiano à sua espera. O Carlos é um excelente treinador, uma óptima pessoa, é alguém que admiro muito, e será óptimo passar algum tempo com ele depois do jogo. Vai ser excelente vê-lo porque é uma pessoa que realmente admiro.

Sobre a vantagem de ir defrontar uma equipa portuguesa

Paulo Fonseca: Honestamente não acho que seja uma vantagem. Obviamente, voltarei ao meu país, voltarei a ver velhos amigos, mas esta equipa do Braga e os jogadores actuais são diferentes dos da minha passagem por lá. Por isso, não creio que seja vantajoso ser um treinador português frente a uma equipa portuguesa. O que poderia ser visto como a nossa única vantagem é que acompanho regularmente o campeonato português, acompanho os jogos do Braga de muito perto. Isso não quer dizer que não acompanhe outros campeonatos; no entanto, não vejo isso como uma vantagem.

O desejo de conquistar uma Europa League com a Roma

Paulo Fonseca: A Roma é um clube ambicioso e está cada vez mais perto de ganhar títulos, algo que não conquistou regularmente ao longo dos anos. Nada me satisfaria mais do que dar um título aos adeptos da Roma, que são maravilhosos e com muita paixão pelo seu clube. Gostaria de retribuir essa paixão com bons resultados. No entanto, temos que manter os pés no chão e ser realistas quanto às nossas possibilidades. Para mim, esta equipa da Roma deve estar focada apenas no próximo jogo, que será muito difícil. Acho que é impossível para qualquer equipa da Europa League prever quem vai vencer. Existem tantos clubes de primeira linha a competir na Europa League, que é difícil indicar um vencedor. Faremos tudo o que pudermos para ser a equipa que vença. No entanto, o nosso único foco é o nosso próximo jogo contra o Sporting de Braga.

Paulo Fonseca nos tempos em que orientava o Shakhtar
Paulo Fonseca nos tempos em que orientava o ShakhtarAFP via Getty Images

Vestiu-se de Zorro quando o Shakhtar [Donetsk] se apurou para os oitavos-de-final da Champions League. Que fará se ganhar a Europa League pela Roma?

Paulo Fonseca: Não tenho nada planeado nem penso nisso, mas quem sabe? Algo pode acontecer! Acho que às vezes alguns momentos no futebol devem ser comemorados de forma única. No entanto, não tenho planos semelhantes para o futuro, embora não feche a porta. Depende de muitas coisas – mas pode acontecer, pode acontecer.