Números e factos da final da UEFA Europa League

O Sevilha foi a primeira equipa a conquistar a UEFA Europa League nas grandes penalidades, enquanto Unai Emery, Ivan Rakitić e José Antonio Reyes fixaram novos máximos.

Ivan Rakitić e Unai Emery estabeleceram novos recordes
Ivan Rakitić e Unai Emery estabeleceram novos recordes ©AFP/Getty Images

• O encontro em Turim entre Sevilla FC e SL Benfica foi a primeira final da UEFA Europa League a terminar sem golos e a ser decidida no desempate por grandes penalidades.

• Este foi apenas o quarto desempate em cinco edições da UEFA Europa League. Tal como nas três ocasiões anteriores, a equipa vencedora converteu quatro tentativas. O Sevilha já tinha triunfado no outro desempate da edição de 2013/14, quando bateu o rival Real Betis Balompié por 4-3, depois de ambos os jogos dos oitavos-de-final terem terminado com 2-0 no marcador.

• O médio croata do Sevilha, Ivan Rakitić, foi o primeiro jogador a capitanear a sua equipa ao triunfo na UEFA Europa League e a também ser eleito o melhor jogador em campo.

• Unai Emery tornou-se no terceiro treinador espanhol a vencer a UEFA Europa League, depois de Quique Sánchez Flores (Club Atlético de Madrid, 2010) e Rafael Benítez (Chelsea FC, 2013).

• O Benfica tornou-se no primeiro clube a perder duas finais da UEFA Europa League, ao ser batido pelo Sevilha no desempate por penalties 12 meses depois de perder com o Chelsea, por 2-1, em Amesterdão. Jorge Jesus também é o primeiro treinador a ser derrotado em duas finais da UEFA Europa League.

• O desfecho do encontro em Turim significa que as equipas espanholas venceram três das quatro finais disputadas na UEFA Europa League: o único derrotado foi o Athletic Club, que não conseguiu fazer frente ao Atlético na final espanhola de 2012. Pelo contrário, os clubes portugueses perderam três das quatro finais em que participaram, sendo o único triunfo o do FC Porto sobre o SC Braga no duelo português de 2011.

• O Sevilha vai regressar à UEFA Europa League na próxima temporada, o que significa que o Chelsea, esta época, foi o único vencedor que não defendeu o título. O detentor do troféu nunca conseguiu ir além do 16 avos-de-final, pois Porto e Atlético caíram nessa ronda em 2011/12 e 2012/13, respectivamente. Os "colchoneros" venceram a primeira edição da prova, mas ficaram pela fase de grupos em 2010/11.

• O Sevilla utilizou 25 jogadores nos 15 encontros desta campanha vitoriosa: Rakitić foi o mais utilizado, com 14 jogos, seguido por Carlos Bacca e Vitolo, ambos com 13. O melhor marcador dos espanhóis foi Kevin Gameiro, com cinco golos, menos três do que o rei dos goleadores de 2013/14, Jonatan Soriano, autor de oito remates certeiros em sete desafios pelo FC Salzburg.